- Anúncio -

Goiás – Nesta sexta-feira (12), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou repasse de R$ 150 milhões para a média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar em Goiânia e no interior. Desse recurso, cerca de R$ 25 milhões serão destinados a 30 municípios goianos. Além disso foi lançado o transporte aéreo de urgência e emergência de longa distância. Os convênios foram assinados na sexta-feira.

Ao Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) foram entregues 45 leitos de enfermaria pediátrica e dez leitos de UTI pediátrica que servirão de retaguarda para pacientes do Hospital Materno Infantil (HMI).

Convênio foi assinado nesta sexta-feira (12), em evento com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Medida prevê o reforço de um avião no serviço de resgate aéreo. Foto: Divulgação.

O Hugol receberá pacientes do HMI encaminhados via regulação estadual. Segundo Ismael Alexandrino, o atendimento inicial de pacientes de alta e média complexidade ainda é no Materno Infantil, e o Hugol deve funcionar como uma retaguarda. Para cuidar dos 55 novos leitos, o Hugol contratou 170 funcionários, entre enfermeiros, técnicos, fisioterapeutas, psicólogos e intensivistas pediátricos. A quantidade total de leitos do Hugol deve passar de 387 para 442.

Em fevereiro, o governo entregou dez incubadoras neonatais e 15 berços aquecidos para fortalecer o tratamento de crianças prematuras no HMI, investimento de R$ 452 mil. A próxima meta do governo é a reestruturação do centro cirúrgico, de modo que seja possível a realização de qualquer procedimento, principalmente de crianças que nascem com lesões cardíacas, entre outros casos.

Aeromédico do Corpo de Bombeiros de Goiás

Também na sexta-feira (12), os goianos passaram a contar com transporte aéreo de urgência e emergência de longa distância. Trata-se do lançamento do serviço de transporte aeromédico de asa fixa do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás. Na solenidade, entregou um avião, modelo Sêneca 3, que vai reforçar o serviço. “Goiás está construindo situações inéditas”, afirmou Caiado ao formalizar a parceria dos bombeiros com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis.

Saúde pública de Goiás terá R$ 150 milhões em investimentos

A nova aeronave possui capacidade de transportar até seis pessoas e é equipada para atender ocorrências diuturnamente. O Sêneca 3 será utilizado como Unidade de Terapia Intensiva Aérea (UTI-Aérea) nos transportes de vítimas em estado grave.

A implantação do serviço de transporte aeromédico de asa fixa é fruto de uma parceria entre as secretarias estaduais de Segurança Pública e da Saúde, Samu de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis, e Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), que vão fornecer médicos, enfermeiros, além de equipamentos, medicamentos e insumos necessários para a manutenção do serviço.

O convênio firmado nesta tarde prevê economia de mais 50% em relação aos gastos anteriores. Até então, o socorro aéreo com esse perfil era realizado por uma empresa privada.

O avião entregue nesta tarde também irá atender equipes médicas para captação e transporte de órgãos e tecidos para transplantes. O Sêneca 3 passa a reforçar o serviço de resgate aéreo da Corporação, que já conta com um helicóptero AW119Ke com capacidade de resgatar até duas vítimas com médico e enfermeiro a bordo.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários