Bombeiro 01 resgata mulher na Pedra do Sino no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – No último sábado, 2, uma turista que visitava as trilhas do Parque Nacional da Serra dos Órgãos sofreu um acidente no ponto mais alto da cadeia de montanhas, a Pedra do Sino (2.255m de altitude). Com uma entorse no joelho, a caminhante ficou no abrigo de número quatro até a chegada do socorro do Corpo de Bombeiros.

Devido às circunstâncias para o complicado resgate, que terminaria já à noite, o 16º GBM teve acionar um helicóptero da corporação para descer a visitante.

zresgate_pedra_sino1b

A situação de emergência foi comunicada ao quartel às 9h da manhã por um funcionário do Parnaso, que pediu ajuda aos bombeiros militares para realizar o resgate. A descrição dava conta de uma mulher de 29 anos, 1,70 de altura e 80 quilos, que teria sofrido uma entorse no joelho.

Como um resgate por teria seria demorado, devido a logística para preparação da subida, tempo de chegada até a vítima e descida, o comando do 16º GBM pediu auxílio a quartel do Rio de Janeiro.

“Seria aproximadamente uma hora de preparação, com separação do material de resgate e alimentação dos resgatistas, além do grande tempo até se chegar ao local onde estava a mulher. Com isso, seria inviável o retorno antes do entardecer, então optei em pedir apoio do grupamento aéreo da corporação”, relata o Comandante dos Bombeiros em Teresópolis, Tenente Coronel Leal.

O mal tempo acabou dificultando o resgate, sendo necessárias duas tentativas para conseguir acessar uma área segura para embarcar a vítima. Entre as duas investidas, o helicóptero teve de aguardar no campo do quartel, em Pimenteiras.

Com condições um pouco melhores, a equipe conseguiu chegar ao local por volta de 12h30 e resgatou a mulher, que foi levada para o quartel dos bombeiros, de onde foi encaminhada para receber socorro médico. “Nesse e em outros casos onde nossa equipe por terra demoraria muito tempo, ou até seria impossível chegar, temos o apoio desse grupamento, que tem pessoas altamente capacitadas. São raros os pilotos que operam em circunstâncias como foi o salvamento de sábado”, explica Leal.

O Comandante dos Bombeiros enfatiza ainda a importância de um bom preparo físico para praticar esportes como o montanhismo e que as pessoas devem ter conhecimento dos riscos envolvidos ao se aventurar montanha acima. “Apesar de ser caminhada, para um local com abrigo e tudo, a pessoas tem que ter a noção que em caso de acidente ou mesmo passar mal o socorro não chega de imediato. Nesse caso, se fossemos descer a pé, levaria de cinco a seis horas com a vítima imobilizada em uma maca”, atenta.

Fonte: NetDiário.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

oito + 16 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários