BRPAe São José do Rio Preto apóia Corpo de Bombeiros no combate a incêndios

No mês de agosto o Águia 17 foi solicitado 3 vezes para o apoio em combate a incêndios florestais.

No dia 16 foram realizados 20 lançamentos de água com o equipamento bambi-bucket (capacidade de 540 litros)  na região da Avenida Alfredo Teodoro de Oliveira, área rural, onde existia uma granja desativada do Frango Sertanejo.

No dia 23 o apoio se deu pela BR-153, próximo a cidade de Bady Bassit, sendo realizados 39 lançamentos.

No ultimo dia 26, a aeronave realizou aproximadamente 30 lançamentos pela Av. Alfredo Teodoro de Oliviera, Condomínio dos Pássaros e posteriormente pelo município de Mirassol.

Acompanhe a reportagem do Diarioweb.com.br sobre o caso:

Rio Preto e região já perderam pelo menos 60 hectares de mata nativa (o equivalente a 72 campos de futebol iguais ao Estádio do Teixeião, que pertence ao América Futebol Clube) em razão das queimadas registradas entre janeiro e 12 de agosto de 2010. A área destruída em oito meses corresponde a 43 hectares a mais do que o registrado ao longo dos 12 meses do ano passado, quando 17 hectares (21 campos de futebol) foram queimados.

O fogo e a falta de vegetação contribuem para deixar o clima ainda mais seco, especialmente em Rio Preto, onde não chove há 86 dias. Na última quarta-feira, a baixa umidade do ar na cidade atingiu índice recorde, com 10%, o que fez com que a Defesa Civil do município decretasse estado de alerta máximo. O índice mínimo de umidade relativa do ar preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é 30%. Segundo a Defesa Civil, ontem a umidade chegou a 12%.

“A queimada contribuiu para a piora na qualidade do ar, porque coloca ainda mais poluição no ar que está muito seco e já é poluído devido a indústrias e carros”, diz o meteorologista Olívio Bahia do Sacramento Neto, do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC). “Se o carro joga uma tonelada de poluentes, a fumaça da queimada joga 10 vezes mais.”

Meio ambiente

Além disso, a queimada também traz prejuízo ao meio ambiente. Segundo o tenente Alessandro Daleck Moreira, da Polícia Ambiental de Rio Preto, a quantidade de mata nativa perdida com queimadas em 2010 pode demorar até 10 anos para se recompor. “Cada bioma se recupera de maneira diferente. O tempo vai depender do tamanho da área destruída e do tipo de vegetação. No caso de uma área totalmente devastada, o replantio não adianta se não houver manutenção e uma ajuda diária”, diz.

O biólogo Arif Cais concorda. “Isso gera uma perda muito grande. Uma árvore que acabou de ser plantada demora três anos para atingir três metros de altura.” Para evitar a queimada, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente proibiu, desde o último dia 19, a queimada da palha da cana-de-açúcar em qualquer horário, em 525 municípios do Estado, inclusive em Rio Preto e outros 36 municípios da região.

O gerente do projeto Etanol Verde da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Ricardo Viegas, diz que a medida foi adotada em razão dos índices da umidade do ar. “Se alguém flagrar um foco de incêndio, deve denunciar imediatamente ao órgão competente”, afirma Viegas.

Queimadas

Um incêndio, ontem, em propriedade rural no limite de Rio Preto, Bálsamo e Mirassol destruiu 16 alqueires de pastagem e parte de mata nativa, equivalente a 47 Teixeirões. A acão de combate ao fogo contou com apoio do helicóptero Águia 17.

O fazendeiro Virgílio de Castro, 47 anos, alugava a área devastada para o gado. “O prejuízo será de R$ 300 mil, porque não tenho onde colocar os bois e vou ter de vendê-los mais barato.” Um tamanduá quebrou a pata, foi resgatado e levado ao Hospital Veterinário da Unirp.

O fogo chegou próximo da rede de energia elétrica e a CPFL fez o monitoramento. “Um poste foi queimado e tivemos de desligar a chave no local. Não houve interrompimento de energia porque não há clientes ali”, informa a concessionária.

No bairro Pousada dos Pássaros, extremo da zona norte de Rio Preto, o fogo destruiu dois alqueires de canavial e três de mata nativa entre a noite de anteontem e a manhã de ontem. Outros três focos de incêndio foram registrados em Álvares Florence e Valentim Gentil.


Fonte: Diarioweb


1 COMENTÁRIO

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

um × 4 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários