Corpos de surfistas são encontrados entre praias de Graçandu e Pitangui

O helicóptero Potiguar 1, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), encontrou os corpos dos comerciante Jailson Lourenço de Xavier, 19 anos, e do sobrinho dele, o estudante, Cristian Xavier, 16. Os dois estavam desaparecidos desde o início da tarde do domingo (29), quando surfavam na praia de Santa Rita, no litoral Norte da Grande Natal.

Corpos de surfistas foram encontrados entre Graçandu e Pitangui

O Corpo de Bombeiros Militar, que junto ao Potiguar 1 realizava as buscas na área, já foi informado e trabalha na remoção dos dois corpos, que foram encontrados próximos um do outro. Mais cedo, o corpo de Bombeiros havia encontrado o que poderia ser um corpo na praia da Redinha, mais próximo de onde os dois teriam se afogado, mas a informação não passou de um alarme falso – era, na verdade, o casco de uma tartaruga.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi registrada por volta das 12h30 de domingo. Cristian, após surfar, emprestou a prancha para o tio e o aconselhou a ficar só na área rasa do mar, visto que a maré estava agitada. Apesar do conselho, Jailson acabou caindo de uma onda e perdendo a prancha. Cristian, que estava na areia junto a outro tio, Jenildo Lourenço, a amiga da família, Amanda Cavalcante, e  duas crianças, correu para socorrê-lo e acabou também desaparecendo.

Os bombeiros foram avisados e começaram as buscas logo em seguida, utilizando um veículo terrestre e também uma lancha. A procura foi interrompida à noite e recomeçada na manhã de ontem, sendo novamente suspensa ao fim do dia. À tarde, o helicóptero Potiguar 1, da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), também participou das buscas, mas sem sucesso. “Esperamos achá-los o quanto antes, até para dar uma satisfação à família”, afirmou o soldado do grupamento de salvamento aquático dos Bombeiros, Petrônio Clementino.

Segundo os familiares dos desaparecidos, Jailson não tinha costume de ir à praia de Santa Rita. Já Cristian, costumeiramente, visitava o local atrás das ondas. “A maré estava quase seca quando aconteceu o desaparecimento, mas nessa época do ano o mar em Santa Rita fica muito agitado. Repleto de irregularidades e com muitos canais mesmo no raso. Por isso, é preciso atenção”, afirmou o bombeiro Petrônio.


Fonte: Tribuna do Norte


Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

15 − quatro =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários