Deficientes visuais conhecem de perto o helicóptero Águia, em Presidente Prudente

Pelo tato e audição, 23 pessoas cegas ou com baixa visão foram apresentadas à aeronave da Polícia Militar, em Presidente Prudente/SP.

O Helicóptero Águia da Polícia Militar foi visto de uma forma diferente nesta sexta-feira (20/09/13), em Presidente Prudente/SP. Com as mãos e os ouvidos bem atentos, 23 deficientes visuais da Associação Filantrópica de Proteção aos Cegos da cidade puderam conhecer melhor o trabalho policial feito pelos ares.

Deficientes visuais conhecem de perto o Helicóptero Águia - Notícia - Presidente Prudente 6

A educadora social da entidade, Eliete Marguti, explicou que essa visita está dentro das atividades pedagógicas. “Eles escutam e não têm a dimensão do helicóptero. Dessa forma eles conseguem tocar aquilo que imaginam”, enfatizou. Primeiro, os participantes tiveram contato com os equipamentos operacionais usados nas operações de incêndio e resgate. Depois foi a vez de tatear a aeronave.

O grupo era composto por pessoas cegas ou com baixa visão, com idade entre 18 a 70 anos e de diversas cidades da região. Romildo Luiz da Silva, 37 anos, já trabalhou como carteiro e perdeu a visão após um acidente vascular cerebral. Ele disse ter realizado um sonho de infância. “Estava ansioso. Tenho apenas 5% da visão e foi emocionante”, falou.

Quem também se empolgou com a atividade foi Luiza Mantovani, 64 anos, que ficou cega há mais de três décadas. “Foi muito bacana. Pude sentir e entrar na aeronave. Também fiz algumas perguntas aos policiais sobre a segurança. Estou muito feliz apesar de não ter voado”, brincou a idosa.

Segundo o capitão Alexandre Silva Costa, o grupamento frequentemente recebe visita de escolas, mas essa foi a primeira vez que pessoas com deficiência visual estiveram presentes. “Foi um desafio para a gente. Pedimos orientações de como lidar com esta nova situação. Então, fomos falando sobre os objetos enquanto eles tocavam”, relatou.

A apresentação do helicóptero foi feita da mesma forma. As pessoas contornaram a aeronave com as mãos enquanto os policiais descreviam a funcionalidade das peças. Cada um também pode entrar na cabine e se sentir um passageiro do Águia. No final, puderam ouvir o já conhecido som da aeronave. “Nosso lema é ‘Voar para servir’, mas também falo que aqui podemos ‘Servir sem voar’, que é o que foi feito hoje. Esse tipo de atividade é importante, pois abrange o lado social”, ressaltou Silva Costa.

Comemorações

Nesse sábado (21) é o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência e, desde quinta-feira (18), a Associação dos Cegos estão promovendo atividades comemorativas. “Ontem foi feita panfletagem no Calçadão [da Maffei] sobre o uso do piso tátil para lojistas, que às vezes colocam suas bancas em cima do piso, e para as pessoas em geral”, disse a assistente social da entidade, Luciane Nascimento da Silva.

Para ela, a acessibilidade dos deficientes visuais em Prudente é considerada boa. “Já tivemos melhorias, mas tem muito o que mudar ainda. Mesmo assim, os serviços essenciais e o lazer são áreas que abrangem os deficientes visuais. O qual falta mesmo é as pessoas entenderem que eles são cidadãos como todos os outros”, salientou Luciane.

Fonte: iFronteira / Heloisa Hamada

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

doze − 2 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários