Governo do AP não define data para compra de helicóptero para o GTA

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

A Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) do Amapá informou nesta terça-feira (27) que não há data definida para o lançamento do edital de licitação para compra de um helicóptero para o Grupo Tático Aéreo (GTA). O departamento foi criado há oito anos e desde 2010 está sem aeronave.

gta

A retomada da licitação acontece depois de a Justiça Federal mandar o governo do Amapá suspender o edital que resultou na compra de um helicóptero no fim de 2013. Indícios de irregularidades foram apontados pelo Ministério Público Federal (MPF). A conta corrente do Estado chegou a ser bloqueada para que não houvesse o pagamento da aeronave calculada, à época, em R$ 6,4 milhões.

De acordo com o coordenador do GTA, comandante Rubem Júnior, a indefinição de data para o lançamento do edital e compra do helicóptero deve-se à complexidade do bem a ser adquirido.

“Não tem data porque é algo muito complexo de adquirir e precisamos de pelo menos três empresas nacionais ou estrangeiras para analisarmos propostas. A partir dessa etapa, vamos para a próxima fase da licitação”, reforçou Júnior, descartando a possibilidade de aluguel de uma aeronave até que a compra seja concluída.

Segundo ele, o dinheiro para a compra do veículo é o mesmo bloqueado pela Justiça. A estimativa, falou, é de que o Estado invista mais R$ 2 milhões para aquisição da aeronave por causa de correções monetárias. O dinheiro será revestido em dólar, moeda usada na negociação do helicóptero.

O GTA atualmente é composto por 27 homens, entre policiais civis, militares e bombeiros. O grupo tem seis pilotos de helicóptero e um de avião. Sem aeronave, o departamento, vinculado à Sejusp, apoia ações da segurança com veículos terrestres.

Fonte: G1/AP

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários