GRAer/AM: Operação de buscas aos traficantes peruanos termina

Em 17 de dezembro de 2010 a tripulação de serviço do Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo da Polícia Militar do Amazonas foi acionado por volta das 03h30 da manhã a fim de apoiar a PF no município de Anamã (distante 168 NM de Manaus) às margens do Rio Solimões, as informações diziam que Policiais Federais em operação no Rio Solimões haviam trocado tiros com uma embarcação de traficantes peruanos e que haviam policiais feridos.

A equipe decolou da Base GRAer no aeródromo de Flores em Manaus assim que o sol nasceu, conduzindo o Delegado Sérgio Fontes – Superintendente da PF no Amazonas, chegando na cidade de Anamã pousando ao lado do hospital da cidade, onde se constatou que os Agentes Federais Mauro Lobo e Leonardo Matzunaga foram a óbito enquanto o Agente Federal Charles Nascimento havia sido alvejado com tiros de fuzil no braço e na perna. Assim que o médico responsável pelo hospital da cidade de Anamã autorizou, o Agente Charles foi conduzido para Manaus a fim de que sofresse intervenção cirúrgica no Hospital Pronto Socorro João Lúcio.

Águia 01 do GRAer/AM e embarcação na Base do Rio Solimões

A partir de então foi determinado pela PF no Amazonas que fossem feitas operações para a captura dos traficantes foragidos. Após contato com o Comando da Polícia Militar algumas unidades foram acionadas para apoiar a operação de cerco e perseguição dos traficantes em área de selva, entre elas o Grupamento Aéreo/GRAer, o Batalhão de Resposta, Apoio e Intervenção Operacional/RAIO com os seus Comandos e Operações Especiais/COE e o CANIL da PM com cães de busca. Além do apoio do Grupo FERA da Polícia Civil e da Secretaria de Inteligência/SEAI.

Após investigações concluiu-se que participaram da ocorrência no Rio Solimões 04 (quatro) traficantes peruanos e 02 (dois) traficantes brasileiros e que portavam armas de grosso calibre (fuzis). As equipes da PF montaram uma base operacional em uma embarcação, com equipamentos de visão noturna, armamento e demais equipamentos necessários para o êxito da missão. A partir de então foi traçado um perímetro de buscas onde equipes de solo incursionavam pela selva e o helicóptero policial dava cobertura e auxiliava nas buscas e varreduras.

Fuzis Galil apreendidos

Três dias após a deflagração da operação foram presos 03 (três) dos 06 (seis) integrantes da quadrilha, porém os lideres ainda estavam na área de selva e avançando no terreno. Após passado quase um mês do início das buscas não se tinha mais sinais dos demais infratores, quando uma informação importante fez mudar o perímetro de varredura, na localidade conhecida como ilha do Paratari, na região rural do município de Manacapuru. Nessa nova localidade as buscas continuaram. Quando no dia 01 de janeiro de 2011 o peruano Isaac Vasquez foi preso, a partir dele conseguiu-se localizar 02 (dois) fuzis 5,56 Galil e soube-se que havia mais 02 (fuzis) com os outros traficantes que estavam na ilha.

Durante as constantes incursões na área de selva e o trabalho do serviço de inteligência as equipes de solo conseguiram encontrar o ponto de apoio dos outros perseguidos, onde eles procuravam dormir e descansar de dia e avançar no terreno a noite, quando a aeronave não mais sobrevoava a região.

Nos dia 04 de janeiro houve um contato de Policiais Militares do Batalhão RAIO com os dois peruanos em área de selva, houve troca de tiros e um peruano foi a óbito enquanto o outro fugiu. No dia 06 de janeiro as equipes permaneceram em uma região de praia utilizando o binóculo de visão noturna SOFIR, quando avistaram o último peruano que não quis se entregar e na troca de tiro foi baleado, morrendo antes de chegar em Manaus.

Essa operação durou quase 60 (sessenta) dias e mostrou o valor da instituição Polícia Federal que não deixou que policiais que compõem seus quadros morressem em vão e do valor dos policiais brasileiros (Federais e Militares) que mesmo na época de fim de ano não deixaram se abater e permaneceram na missão, mesmo distante de seus familiares.

Confira as fotos da operação:


Fonte: GRAer/AM


12 COMENTÁRIOS

  1. Soube da lamentável notícia pela comunidade da PF, o Brasil perde dois profissionais singulares!!
    APF Lobo e APF Matzunaga, tenho certeza que ambos agora zelam pela integridade de seus companheiros que aqui permanecem.

    Parabéns a todos envolvidos na operação, as equipes de RAIO, COE, GRAER e os setores da PF. Ao menos os marginais pagaram/pagarão pela ousadia e atrocidade de seus atos.

    Agt PM Juan Berti
    CIEMER190 5ª RPM – PMSC
    -futuro piloto policial.

  2. Parabéns a todos pela sucesso da operação em especial à equipe do Graer e da Força Nacional em operação de assessoria para a Aviação da PMAM.

    Parabéns

    TC Gonçalves
    CONAV-SENASP
    2011-2012

  3. Existem muitas atividades para se empregar as aeronaves de asa rotativa do Estado do Amazonas, apoio a PF é brincadeira, esta instituiçao tem muitos mais recursos que a Secretaria de Seg do AM, se a aviaçao do AM fosse integrada, faltaria aeronaves para tanta operaçoes que existem, como por exemplo busca de pessoa desaparecida.

  4. Engraçado…
    Não ví nenhum comentário sobre a participação das aeronaves da própria PF nessa operação…
    O que será que está acontecendo com a unidade aérea da PF?

  5. A presença do GRAER AM nesta operação certamente contribuiu para a interceptação e prisão dos bandidos. O resultado positivo da operação terá grande repercussão na comunidade criminosa naquela região. Parabéns ao GRAER, mas também eu não poderia deixar de registrar que isto é fruto da política de segurança pública implementada pela SENASP, denominada ” Brasil Profundo”. As autoridades do MJ enxergaram os problemas dos longinquos pontos do país, como a Região Amazonica, ao priorizarem recursos para segurança pública a vários Estados da Região Norte e Centro-Oeste, sem esquecer os demais. A resposta veio rápida. Já valeu !
    Cmte AYRES – PLAH 0552.

  6. Nao entendi pq retiraram o comentário sobre a aviaçao integrada do Amazonas, que reportava a situaçao das aeronaves do Estado do Amazonas estarem sendo utilizados para apoiar Operaçao da Policia Federal para prender um traficante. Havia comentado anteriormente, que há muitas operaçoes em que as aeronaves podem ser empregadas e que é muito provável que a PF dispoe de recursos aeronáuticos para viabilizar suas operaçoes aéreas.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

dezesseis − onze =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários