Guará 02 que transportava vice-governador de Minas sofre pane no rotor de cauda

Minas Gerais – O helicóptero que transportava o vice-governador mineiro, Antonio Augusto Anastasia, teve problemas no rotor da cauda nesta sexta-feira (26), no Parque do Rio Doce, no Leste de Minas. Segundo a assessoria do governo, a pane aconteceu em solo, durante os procedimentos de desligamento da aeronave (corte do motor), um helicóptero Esquilo AS350B2, prefixo PP-IEG, da Polícia Militar. (vide nota)

Não houve danos graves ao equipamento, que partiu de Ipatinga, e tinha seis pessoas a bordo. Ninguém ficou ferido. Ao lado do governador Aécio Neves, Antonio Anastasia, participou de uma solenidade no Parque do Rio Doce.

Incidente ocorreu no pouso do Guará 02. Foto: Renato Weil/EM/D.A.Press.

 

Nota do site: Pela foto, percebe-se que houve uma ruptura do eixo de transmissão do rodor de cauda e essa é uma pane extremamente grave, caso a aeronave estivesse em voo. Muita Atenção. Já é o segundo caso em menos de um mês.

Esta aeronave é operada pelo CORPAer da PMMG em convêncio com o IEF (Instituto Estadual de Florestas) e SEMAD (Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável). Este é o Guará 02. A Unidade possui ainda o Guará 01, matrícula PP-IEF, além das aeronaves Pégasus 1, 7, 8, 9, 10, 11 e 12.

Esta é aeronave (Guará 02) que sofreu pane no eixo de transmissão do rotor de cauda. Foto: Eduardo Alexandre Beni/PilotoPolicial

 


Fonte: Correio Braziliense e UAI


8 COMENTÁRIOS

  1. caros amigos , é verdade q esse é o segundo caso em 30 dias mas os dois fatos são casos totalmente isolados (AERONAVE record) perda da ligação gtm/ctt devido a ruptura do eixo na sua extremidade ou falhas na fixação do conjunto de estrias de ligação com o eixo curto, NO CASO DO GUARA 02 a ruptura do eixo foi na sua parte traseira proximo ao rolamento numero 1 como pode ser visto na foto.TRABALHO A 20 anos com AS350 e posso afirmar que um fato não tem ligação com o outro.O acidente com o guara so não foi maior pq estava no solo.

  2. Caro “mecânico de aeronave”, realmente tem razão nas suas colocações, entretanto, o alerta colocado pelo site foi no sentido de ficarmos atentos ao rotor de cauda, bem como aos sistemas que o compõe, pois não obstante os problemas terem ocorrido, em tese, em locais diferentes, fazem parte do mesmo sistema e isso, para mim, que sou piloto de helicóptero policial há 17 anos é muito preocupante.

  3. Reforçando o alerta para o pré voo, que por força do hábito estamos deixando muito na mão do mecanico de voo, não com isso querendo culpar A ou B, mas como sabemos, toda a responsabilidade com o voo cabe exclusivamente ao piloto em comando, inclusive ao que se refere ao pré-voo. Embora a area onde sofreu o dano encontrar-se carenado, temos que ter o cuidado, com auxilio do mecânico, descarenar e fazer uma inspeção periódica no eixo da caixa de 90 graus entre os periodos previsti de manutenção.

  4. Como são programados os vôos dessas aeronaves ?
    Quem autoriza decolar ?
    Há troca de pilotos para cada vôo desses ?
    manuntenção ,textes, como são executados os serviços ? sempre o mesmo mecânico ?
    O Governador tem conhecimento prévio do profissional que vai pilotar a aeronave ?
    Tem direito a escolha do piloto ? ou há uma escala a ser seguida ?
    Uma aeronave (helicóptero) da PMMG , mesmo que prestando serviços ao governador ou vice ao sobrevoar um municipio do estado tem como rotina ou obrigação os policiais do município visitado por intermédio da chefia imediata tomar conhecimento que essa aeronave vai sobrevoar essa área ? ou seja a área do município, registram-se hora ,dia, comandantes,comandados ,e ou autoridades que ocupam ou fazem parte da tripulação de vôo de cada uma dessas aeronaves?
    Ao sobrevoar um município ,cidade (interior) qual o procedimento que se dá entre os militares da aeronave e os militares da área qual a aeronave possa estar sobrevoando ?
    A policia do município registra o sobre vôo dessa aeronave , é antecipadamente avisada por algum serviço de rádio , ou não tem competência ,obrigações ,deixando ou não de relata-los ? também podem ou devem saber que tipo de aeronave é, se particular ,empresarial, e ou oficial , PMMG , como procedem referente a esses vôos ?
    A população tem , pode , ou deve saber ,se valer de informações a respeito desses vôos por intermédio de algum comando PMMG local , ou apenas saberá por intermédio das autoridades da PMMG (BH) A RESPEITO.
    ou não pode , não deve , e nem precisa saber.
    Ha possibilidades de um cidadão comum oferecer informações se necessário ao COMANDO da PMMG ?
    caso afirmativo ,quais ? referente aos vôos dessas aeronaves. A expectativa é apenas de compreender e se possível contribuir se necessário for. obrigado !

  5. Fato isolado ou não, será que temos pelo mundo mais ocorrencias desse tipo com o AS350?, se por acaso isso estiver acorrendo não seria interesante talvez o Fabricante rever o material do componete de ligação do CTP ao RC e atentarmos durante o Pré Vôo,Entre Vôo e Pós Vôo para esse item pois devido estar carenado normalmente só o verificamos em inspeções especificas ou em possiveis discrepancias relatadas pelo Piloto

    Oliveira

  6. Caro HELDER e Srs Leitores

    A aviação no que tange as atividades das POLÍCIAS MILITAR, CIVIL, BOMBEIRO MILITAR e bem como de DEFESA CIVIL, têm sua tipificação como AVIAÇÃO PÚBLICA (RBHA 91 Subparte K).
    A fiscalização e autorização de voo é responsabilidade da ANAC – Agencia Nacional de Aviação Civil. Referente a fiscalização, é feita pelos seus INSPAC Inspetores de Aviação Civil, a qualquer momento e de 5 em 5 anos nas VTE VISTORIA TÉCNICA ESPECIAL.

    Sugiro a seguinte leitura:
    http://www.anac.gov.br/biblioteca/rbha/rbha091.pdf

    Nota do Site: Foi corrigido o termo “parapúblico” no comentáro do nobre leitor. No Brasil, de acordo com a legislação vigente, o termo correto é Aviação de Segurança Pública ou Aviação Pública.

    No Brasil, o termo parapúblico tem outro significado. Um exemplo: Segundo afirma José Afonso da Silva (SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional positivo. 5. ed. São Paulo: Malheiros, 1998), são dois os sistemas financeiros regulados na Constituição: o público, que envolve os problemas das finanças públicas e os orçamentos públicos (arts. 163 a 169 da Constituição Federal), e o parapúblico, que a Constituição denomina de Sistema Financeiro Nacional, e que trata das instituições financeiras creditícias, públicas ou privadas, de seguro, previdência (privada) e capitalização (art. 192 da CF). Neste segundo sistema estão inseridas as cooperativas de crédito.

    Assim, podemos afirmar que os Órgãos de Segurança Pública no Brasil, são, conforme a Constituição Federal de 1988, eminentemente públicos.

    Na Europa e EUA existem Agências que são responsáveis pela Segurança Pública, bem como outras atividades essencias do Estado, o que não ocorre no Brasil, sendo, portanto, no Brasil, um termo inadequado, pois pode causar confusão de entendimento.

    No Brasil, as Agências foram criadas para regular a atividade econômica, não as atividades essenciais do Estado, como, por exemplo, a Segurança Pública. O termo correto no BRASIL é Aviação Pública.

    Bons Voos!

    Administrador

  7. Olá a todos!!
    Realmente, um acidente gravíssimo e, aqui, um incidente que não teve consequências piores.
    Acho que já está na hora de ser um item de série um sitema de monitoramento do espectro de vibração da anv. Com certeza, nos dois casos, se houvesse um sistema preditivo à bordo da anv, dando ao piloto o monitoramento em tempo real do espectro de vibração, acredito que eles saberiam que algo errado estava acontecendo com a parte traseira da anv.
    Lógico que anv avisa quando algo está ruim, mas quanto mais cedo a informação chegar, melhor, certo!!!!!!
    Abçs a todos!
    SO Martins-Força Aérea Brasileira
    Grupo Especial de Ensaios em Voo

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

7 − 5 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários