Helibras apresenta novo helicóptero EC130 T2

Ao lado do consagrado Esquilo AS350 B3e e do versátil EC135 P2e, expostos na LABACE – Latin American Business Aviation Conference & Exhibition, encontra-se a versão mais moderna do EC130, o T2, que pela primeira vez está sendo apresentado no Brasil.

Durante a LABACE, os participantes puderam conhecer a aeronave, modificada com o objetivo de proporcionar mais conforto, melhor desempenho operacional e versatilidade. Depois, o helicóptero ganhará os ares brasileiros, em turnê de demonstração que percorrerá as cidades do Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), e Curitiba (PR).

P1070743

A versão T2 do EC130 mantém as linhas externas já existentes, mas teve cerca de 70% da estrutura da célula modificada. Entre os novos e atualizados recursos está um motor mais potente, o Arriel 2D, com modernização da caixa de transmissão principal; a incorporação de um sistema ativo de controle de vibração; melhoria no sistema de ventilação e desembaçamento; estrutura interna da cabine redesenhada com piso plano, atualização de cockpit com a interface homem-máquina reforçada; mais absorção de energia nos bancos melhorando o peso e o equilíbrio no transporte de passageiros; tanque de combustível mais resistente ao impacto; porta do lado direito deslizante; e maior acessibilidade para manutenção dos sistemas elétricos e do ar-condicionado.

“No Brasil, o EC130 já conquistou uma fiel clientela em diferentes tipos de missão, desde transporte civil até resgate e salvamento. Agora na versão T2, proporcionará ao cliente um desempenho ainda melhor por conta das inovações implementadas e perfeitamente alinhadas com as exigências de nossos clientes”, diz François Arnaud, vice-presidente Comercial e de Marketing da Helibras.

O EC130 T2 está equipado com motor 10% mais potente do que no modelo anterior, com menor consumo de combustível. A aeronave também oferece um intervalo maior entre as revisões gerais. Quanto aos opcionais, o helicóptero possui uma nova geração de ar condicionado, para-brisa com proteção solar e uma porta deslizante do lado direito. O sistema de ar condicionado inclui melhoria no desempenho, controle de temperatura efetiva quente/frio, e uma melhor distribuição de ar pela cabine.

P1070750

No Brasil, helicóptero recebe pintura ecológica

A preparação para a apresentação do novo EC130 T2 ao mercado brasileiro começou em julho, quando o helicóptero chegou ao país e foi montado na fábrica da Helibras, em Itajubá (MG). Para a pintura especial de turnê da aeronave, foi utilizada uma tinta ecológica feita à base de água, sem solventes químicos.

Comparada às tintas comuns, a que utiliza água em sua composição reduz o impacto ambiental em 75%, além de ter alta qualidade de aplicação, aumentando também a qualidade do produto. Outros benefícios da pintura ecológica são a facilidade de utilização; a durabilidade da cor; e a economia gerada, pois a cobertura da tinta é maior, além de ser compatível com tintas à base de outros solventes, o que permite que a aeronave seja repintada com outros materiais, se necessário.

Ficha Técnica

EC130 T2

-Peso Máx. Decolagem (MTOW): 2.500kg / 5.512lb
-Capacidade Máx. (pilotos+pax): 1 + 6/7
-Motorização: Turbomeca Arriel 2D
-Potência Máx. Decolagem: 710kw / 952shp
-Velocidade Máxima de Cruzeiro MTOW: 236km/h / 127kts
-Alcance Máximo com Tanque Standard: 616km / 332nm
-Autonomia Máxima com Tanque Standard: 4h06

P1070747

5 COMENTÁRIOS

  1. A grande ponto negativo da Helibrás, é o fornecimento de peças de reposição… Não adianta ficar profalando essa ideia de que “é fabricado no Brasil”, enquanto TODAS as peças de reposição precisam vir da França… Isso que, muitas vezes, nem a Eurocopter da França tem a peça em estoque, e sua aeronave fica parada esperando eles FABRICAREM a peça… Por melhor que seja a máquina, é preciso organizar um “pós-venda” minimamente aceitável…

  2. A grande ponto negativo da Helibrás, é o fornecimento de peças de reposição… Não adianta ficar profalando essa ideia de que “é fabricado no Brasil”, enquanto TODAS as peças de reposição precisam vir da França… Isso que, muitas vezes, nem a Eurocopter da França tem a peça em estoque, e sua aeronave fica parada esperando eles FABRICAREM a peça… Por melhor que seja a máquina, é preciso organizar um “pós-venda” minimamente aceitável…

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

4 × 5 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários