Homem cai após parapente dobrar durante voo e é resgatado pelo Águia

São Paulo – Um homem de 47 anos sofreu um acidente de parapente em Águas da Prata (SP), neste domingo (1º), logo após saltar para um voo no Pico do Gavião. Segundo o tenente Fabrício Padovani Rasera, que comandou o resgate do helicóptero Águia da Polícia Militar, a vítima teve vários traumatismos e foi encaminhada para a Santa Casa de São João da Boa Vista (SP). O hospital informou que o paciente está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em observação.

Helicóptero Água da PM de Piracicaba realizou operação de salvamento (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

De acordo com o sargento do Corpo de Bombeiros da cidade Diogenes Apuena Moreira, o homem estava consciente. “Aparentemente foi diagnosticada uma lesão interna, ou seja, uma possível hemorragia no pulmão esquerdo. Mas ele estava bem e conversando”, relatou. O sargento não soube precisar a região em que a vítima mora.

O acidente aconteceu por volta das 9h30. Dois helicópteros da PM, um de Campinas (Águia 11) e outro de Piracicaba (Águia 12) , participaram da operação de salvamento, que foi concluída por volta das 13h30. O homem foi encontrado há aproximandamente 200 metros abaixo da rampa em que saltou.

O tenente Rasera relatou que o resgate foi complexo devido às condições climáticas e à dificuldade para se chegar ao local onde a vítima e estava. “Ele só caiu porque pegou uma corrente de vento, que dobrou o parapente. Esse período frio à noite e calor de dia provoca uma variação térmica muito grande com rajadas de ventos, mesmo com o céu aparentemente favorável”, explicou.

Outro acidente

No dia 17 de agosto, o comerciante de Descalvado (SP) Sudmar Franzin, de 49 anos, viveu momentos de desespero junto com um instrutor durante um salto de parapente, no Rio de Janeiro. Ambos ficaram durante quatro minutos no meio de uma nuvem. O caso ganhou repercussão depois que um amigo do comerciante postou o vídeo do salto na internet.

Comerciante segura câmera para filmar segundo voo de parapente (Foto: Glenda Almeida / G1)

Apesar da aparente calma no vídeo, o comerciante disse ao que entrou em desespero. “Na hora que ouvi o instrutor falar ‘meu Deus’. Ali eu já vi que o negócio era sério. Até pousar teve muito problema lá no alto. O medo de bater nas montanhas era terrível. A gente não sabia o que ia encontrar. Fechei o olho e o instrutor começou a rezar. Na hora passou tudo pela minha cabeça. A gente não sabia o que ia encontrar”, afirmou.

O comerciante disse que também rezou, mas em pensamento e ficou preocupado quando o instrutor perguntou se ele sabia nadar. “Tenho que agradecer muito a Deus por estar vivo. Eu sei nadar, mas tive medo de cair no mar e não conseguir me soltar do equipamento. Eu sabia que se isso acontecesse ia ser fatal”, disse. Ele afirmou também que não ficou com nenhum trauma e que voaria de novo.

Na manhã de sábado (31), o comerciante voltou a realizar um voo de instrução, mostrando coragem e superação. Desta vez, no entanto, ele se certificou que todos os procedimentos seriam realizados corretamente. “O voo foi muito bom, muito lindo”, disse Sudmar ao chegar na praia de São Conrado, na Zona Sul.

Fonte: G1

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

quatro × 1 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários