Novo comando do 12º Grupamento de Bombeiros projeta resgate aéreo e 15 postos

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Após oito anos, o 12º Grupamento de Bombeiros, que abrange Bauru e outros 68 municípios, tem um novo comandante. “Herdeiro” do Fundo Municipal dos Bombeiros (leia mais abaixo), o tenente-coronel Rogério Gago assume com a promessa de manter a continuidade do trabalho com expansão e modernização. Sua administração espera dobrar o número de postos na região e, finalmente, implementar o resgate aéreo em Bauru.

Novo comandante do grupamento, o tenente-coronel Rogério Gago bate continência para o comandante do Interior, coronel Rogério Bernardes Duarte (de costas).A solenidade oficial que marcou a passagem de comando do tenente-coronel José Guerxis de Aguiar para Rogério Gago ocorreu ontem na 1ª Base de Bombeiros da cidade. Estiveram presentes várias autoridades, como os comandos do Estado e do Interior dos Bombeiros, as chefias regionais da Polícia Militar (PM) e do Exército, o deputado Pedro Tobias (PSDB), o prefeito Rodrigo Agostinho (PMDB) e vereadores.

Com 29 anos de carreira, várias especializações, prêmios e mestrado e doutorado em ciências policiais de segurança e ordem pública, o tenente-coronel Rogério Gago assume a área que atende uma população de cerca de 1,5 milhão de pessoas.

Porém, a maior parte das cidades onde reside essa população não conta com postos de bombeiros. “Das 69 cidades, apenas 16 têm postos de bombeiros. Outras 15 estão na fila. Queremos dar continuidade ao trabalho do comando anterior e garantir essa expansão”, projeta.

O comandante de Bombeiros do Interior, coronel Rogério Bernardes Duarte, confirmou tal meta. “A expansão do serviço para outros municípios realmente faz parte do planejamento estratégico”, ressaltou.

Entretanto, além de dobrar a cobertura regional com postos, o novo comandante Rogério Gago quer garantir a “modernização dos equipamentos”.

Logo em seguida, em seu primeiro discurso na chefia do grupamento, Gago ressaltou ainda a importância de “prevenir em vez de remediar com a questão do bombeiro educador”.

Em relação ao número de homens do 12º Grupamento, o próprio ex-comandante Guerxis assume que “é o suficiente, mas não o ideal”. Questionado sobre como pretende suprir o déficit, Rogério Gago afirma que vai tentar compor o quadro e incentivar a qualificação dos que já fazem parte da corporação.

“Iremos usar bastante a questão do bombeiro municipal (funcionários contratados pelos municípios e treinados pelo Corpo de Bombeiros) para chegar aos números ideais. Porém, também iremos investir em cursos e treinamentos nacionais e internacionais dos nossos homens”, completa o novo comandante.

Resgate áereo

Além da expansão regional com mais 15 postos e da qualificação do corpo atual, o comando recém-empossado acredita que, em meados do ano que vem, o resgate aéreo em Bauru finalmente sairá do papel.

A parceria entre o Corpo de Bombeiros e o Grupamento de Radiopatrulha Aérea (GRPAE) da PM é esperada há algum tempo na cidade e já foi anunciada algumas outras vezes. “Os bombeiros já estão sendo formados em enfermagem e a expectativa é de que o resgate aéreo comece efetivamente em 2014”, pontua o tenente-coronel.

Tanto o prefeito Agostinho quanto o deputado Pedro Tobias se colocaram à disposição para a continuidade de parcerias. O comandante do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, coronel Reginaldo Campos Repulho, ressaltou que o 12º grupamento é uma “unidade diferenciada”.

“A unidade daqui realmente se tornou diferente. E sabemos que haverá continuidade nesse trabalho. Fiz questão de vir aqui hoje para prestigiar essa transição no comando. Esses são momentos muito importantes, pois são eles que fazem a instituição dos bombeiros ser perene”, finalizou o comandante estadual.

Ao fim da cerimônia, foi inaugurada uma galeria digital com todos os comandantes que já passaram pelo 12º Grupamento de Bombeiros.

Sede própria

O tenente-coronel José Guerxis de Aguiar afirma que “fez tudo o que pôde” ao longo desses oito anos no comando. Segundo ele, só há algo que ele queria ter concretizado e não obteve êxito: a construção da sede própria dos bombeiros em Bauru.

O maior entrave foi o terreno destinado ao projeto. Ao lado da Polícia Federal (PF), o local não pode ser utilizado por ser uma área de cerrado. “Conseguimos recentemente trocar para a parte da frente daquele terreno. Bem na Getúlio Vargas. Caberá ao novo comando concretizar essa sede própria”, destaca o ex-comandante.

Copom centralizado

Conforme o JC divulgou no mês passado, a partir do ano que vem, as chamadas feitas para os telefones 193 e 190 dos municípios de Bauru e região serão centralizadas no Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). A estratégia foi ressaltada ontem pelo novo comandante Rogério Gago.

“Todos estarão em um mesmo espaço físico. Enxergamos essa estratégia de forma muito positiva. Vai se tornar mais fácil o acionamento de ambos os órgãos. Isso diminui o tempo de resposta nos atendimentos”, acredita.

Atualmente, as ligações feitas ao 193 em Bauru e em municípios vizinhos menores são recebidas na sede central dos Bombeiros, localizada na rua Marcondes Salgado, em Bauru.

‘Quando cheguei a Bauru, tinha só uma viatura’, relembra Guerxis.

Era dezembro de 2004 quando o então major José Guerxis de Aguiar chegou a Bauru e assumiu o grupamento. Na época, ele relembra, a corporação não era nem esboço do que é hoje. Na visão do ex-comandante, sua primeira vitória foi operacionalizar o Fundo Municipal dos Bombeiros.

Tenente-coronel José Guerxis saúda o sucessor.

“Quando cheguei aqui, tinha só uma viatura. Hoje, saio deixando mais de 20 veículos. Naquela época, operacionalizamos a taxa de bombeiros. Sabia que somente isso garantiria o futuro do grupamento”, recorda Guerxis.

Em 2005, houve um incêndio que destruiu todo o galpão de um grande supermercado na cidade. O fato foi crucial para as mudanças. “Foi quando começamos a convencer o prefeito e a população da necessidade de melhorias”.

Hoje, ele se orgulha em dizer que deixa o grupamento com toda a “parte operacional de ponta”. Ao tenente-coronel que assume o cargo, ele deixa um conselho. Ou quase isso. “Se conselho fosse bom, ninguém dava”, brinca Guerxis. “Porém, eu diria para ele investir muitos nos nossos homens. Investir e qualificar o bombeiro que já temos. Isso faz a diferença”.

Fonte: JC Net

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários