- Anúncio -

Tocantins – O processo de doação de órgãos requer empenho da equipe da Saúde Estadual que esteve em Araguaína no último domingo (24), para realizar mais uma captação com o apoio da Secretaria de Segurança Pública e da Força Aérea Brasileira. A ação ocorreu no Hospital Dom Orione e foi a segunda realizada no período de três dias pelo Governo do Tocantins.

“Nossas equipes demonstraram que estão muito preparadas para atuarem na captação de órgãos no Tocantins”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Edgar Tollini. “É pertinente que o Estado esteja apto a colaborar com a diminuição da fila de transplantes”, concluiu o gestor, satisfeito com o desempenho apresentado.

Ação ocorreu no Hospital Dom Orione e foi a segunda realizada no espaço de três dias pelo Governo do Tocantins – Nielcem Fernandes/Governo do Tocantins

Na ocasião, foram captados os rins e fígado de uma paciente de 44 anos, beneficiando três receptores: um rim foi remetido a Porto Alegre, outro rim ao Maranhão e o fígado foi enviado a São Paulo. Toda captação ocorrida no Tocantins, seja em unidades da rede privada ou pública, é atribuída à Central Estadual de Transplantes do Tocantins (CETTO), que contou com a presença do médico, Rudinei Brunetto e da coordenadora do serviço, Suziane Crateús.

A equipe da Central Nacional de Transplantes se deslocou com o apoio da Força Aérea Brasileira para a captação e remissão para os outros estados e, no Tocantins, toda operação contou com o apoio da Secretaria de Segurança Pública, por meio da equipe Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER), responsável pelo deslocamento ágil entre hospital e aeroporto.

Doação de órgãos requer empenho da equipe da Saúde Estadual que realizou mais uma captação em Araguaína – Rodrigo Martins/Governo do Tocantins.

Doação

Para que seja possível a doação, o primeiro grande passo é que a família tenha conhecimento do desejo de ser doador, uma vez que parte dela a autorização para captação dos órgãos. A autorização deve ser concomitante ao quadro de morte encefálica, quando ocorre uma perda definitiva das funções do cérebro e, por isso, a recuperação não é possível. Neste quadro, os órgãos permanecem ativos por um curto período de tempo, o que permite então a captação para que sejam remetidos aos receptores.

Três dias

A captação ocorreu apenas três dias após a última realizada no Hospital Geral de Palmas (HGP), na última sexta-feira, 22. A família de um jovem de 23 anos, vítima de acidente de trânsito, permitiu que cinco pacientes fossem beneficiados com córneas, fígado e rins, destinados à pacientes de Brasília, Goiânia, Curitiba e dois tocantinenses.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários