- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

O novo aumento de casos de COVID-19 no Brasil tem feito a demanda por UTI aérea continuar em alta. As empresas de Táxi Aéreo autorizadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para realizar o serviço de transporte de pacientes em aviões e helicópteros tem apresentado aumento expressivo no número de remoções aeromédicas.

De acordo com a diretora-superintendente de gerenciamento, manutenção e fretamento de aeronaves da Líder Aviação, Bruna Assumpção, a empresa voltou a registrar crescimento na procura pelo serviço aeromédico.

“Tivemos um aumento de 62% de horas voadas em UTI em janeiro e fevereiro em relação ao mesmo período no ano passado, quando ainda não havia pandemia no Brasil. As regiões que mais demandam nesse momento são Norte e Nordeste”, diz.

Ainda segundo Bruna, no primeiro semestre do ano passado, o número de horas voadas em UTI chegou a atingir 400% a mais em relação ao ano anterior. “Lembrando que são voos bed to bed, ou seja, transportamos de um hospital para outro”. Ela pontua ainda que a empresa tem seguido os mais rigorosos protocolos de segurança em suas operações no combate à disseminação do coronavírus.

Sobre a Líder Aviação

A Líder Aviação é considerada uma das maiores empresas de aviação executiva da América Latina, possui mais de 1.000 colaboradores e uma frota de mais de 55 aeronaves. Em sua unidade voltada para operações de helicópteros, a Líder conta com uma frota com 32 helicópteros nos modelos S-92 A, S-76 C+, S76 C++, Bel 212 e H135.

Além disso, possui 19 bases operacionais nos principais aeroportos brasileiros e recentemente completou a marca de um milhão de horas voadas em missões voltadas para a indústria de óleo e gás e energia.

Líder Aviação aumentou em 62% as horas voadas no transporte aeromédico em 2021. Foto: Gustavo Andrade.
- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários