PM/SC corre contra o tempo para não deixar Joinville sem helicóptero

A licitação para o aluguel de dois helicópteros para a Polícia Militar de Santa Catarina está sendo reiniciada faltando três semanas para o término do atual contrato, que encerra no fim do ano.A preocupação dos policiais que trabalham nas aeronaves é de que o tempo seja curto para a assinatura de um novo contrato e a Operação Verão fique sem os salvamentos aéreos nas praias e estradas do Estado. Um dos helicópteros fica em Florianópolis. Outro, em Joinville.

No verão, uma das atividades é o atendimento no mar. Foto : Salmo Duarte
No verão, uma das atividades é o atendimento no mar. Foto : Salmo Duarte

Durante os três meses da Operação Verão 2008/2009 foram atendidas 162 ocorrências só no litoral Norte.

— E a cada ano há um aumento de 8% a 10% nas ocorrências no verão — diz o comandante da 2ª Companhia de Aviação de Joinville, major Nelson Henrique Coelho.

O helicóptero Águia está em Joinville desde 2001. A aeronave atende a 45 municípios, em um trabalho realizado por 15 policiais, divididos em escalas. A aeronave realiza diferentes tipos de trabalho, desde resgates aquáticos, apoio a operações de outros órgãos, prisões, e atendimentos a acidentes e emergências médicas, como paradas cardíacas.

O comandante-geral da PM em Santa Catarina, coronel Eliésio Rodrigues, não vê motivos para preocupação.

— Ninguém corre o risco de ficar sem helicóptero. Não concordamos com o valor inicial da locação e vamos abrir nova licitação. Até o dia 31 de dezembro estará tudo resolvido — garante o comandante.

O custo atual da PM é de R$ 4, 3 mil a hora/voo. As propostas da licitação anterior eram de 6,5 mil a hora/voo e a outra R$ 6 mil, valores considerados muito altos pelo comando. O contrato atual tinha duração de cinco anos e não poderá ser renovado. Em média, o helicóptero voa duas vezes por dia, e fica no ar, em média, duas horas e meia.

Os números2009 (entre janeiro e novembro)
21 horas — ocorrências aquáticas
17 horas — buscas por desaparecidos
77 horas — ocorrências policiais (assaltos, perseguição)
122 horas — atendimentos pré-hospitalares (acidentes e emergências médicas)
18 horas — patrulhamento de fiscalização em geral
4 h30 — apoio a ocorrências ambientais
147 horas — apoio a outros órgãos (Ministério Público, Justiça, Fundema)
19h30 – instrução e treinamentos
269 pessoas socorridas
70 pessoas detidas em ocorrências policiais com apoio do Águia

Operação veraneio 2008/2009
16 operações aquáticas (resgate e localização de afogados sobreviventes)
6 buscas de desaparecidos no mar
4 buscas de embarcações
76 patrulhamento de fiscalização em geral
43 ocorrências policiais
15 apoio a outros órgãos (Ministério Público, Justiça, Fundema)
2 ocorrências ambientais


Reportagem / Fonte : Josi Tromm / A Notícia


Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

cinco × quatro =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários