Salvando vidas em acidentes com helicópteros no mar

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Vinte pessoas mortas. Cinco aeronaves em acidentes sobre a água. Os helicópteros que transportam os trabalhadores de petróleo e gás offshore ao longo do Mar do Norte tiveram um registro de segurança alarmante nos últimos anos. No entanto, eles carregam um milhão de passageiros a cada ano.

BBC 1

A BBC inglesa teve a chance de conhecer e experimentar os novos dispositivos de segurança que podem salvar vidas no futuro.

Ele combina um colete salva-vidas com uma pequeno cilindro de ar. A Autoridade de Aviação Civil, que regula a segurança aérea, está tornando-o obrigatório na sua nova regulamentação.

“Foi-me dada a oportunidade de testar o novo sistema em uma piscina especial de treinamento da Survivex em Aberdeen/Inglaterra. Antes de experimentar o novo colete salva-vidas eu tive a chance de experimentar o atual, como comparação.”

“Esse teste significou passar uma manhã inteira amarrado em um helicóptero de mentira, de cabeça para baixo em uma piscina, sendo golpeado com chuva, ondas, vento e relâmpagos falso. Ah, e no escuro também. Para dizer o mínimo, uma situação um pouco intimidante.”

O atual sistema é chamado de re-respiro híbrido (hybrid re-breather), que é um colete salva-vidas com um saco de borracha cheio de ar que você continuamente respira através de um tubo.

Isso lhe dá alguns preciosos minutos adicionais se o helicóptero afunda ou vira – essa é a pior parte, quando o helicóptero gira e você fica de cabeça para baixo.

Aqui está um fato terrível, cerca de 60% dos helicópteros adernam e afundam, imediatamente ou após um pequeno intervalo de tempo, assim que atinge a água.

“Não tente sair de imediato”, ensina o instrutor Kieran Morrison. “Uma vez que a água passe por cima de sua cabeça, conte até sete, e fique com o cinto em até o último minuto.”

Então, na verdade, você tem que se sentar calmamente, colocar o cinto, e contar, enquanto a água toma conta de tudo mais do que depressa e você virar de ponta cabeça. É uma luta contra seus instintos.

Mas, como explicou Kieran, se você soltar o cinto de segurança muito muito cedo você irá flutuar para o topo do helicóptero, que agora está invertido e isso torna incrivelmente difícil para você voltar e tentar efetuar o escape pela janela ou pela saída de emergência.

O fato do kit de sobrevivência fazer você flutuar é uma boa coisa, a menos que você ainda esteja dentro da aeronave.

Você também tem que colocar um clipe de nariz com uma mão, o que é extremamente trabalhoso, sendo que a outra mão fica, em todos os momentos, segurando a alavanca de liberação da janela.

Eu demorei um pouco até descobrir que podia respirar com a válvula de respiro, mas não é um ar puro, e isso dá um pouco de insegurança. Há também um pino de metal que você tem que lembrar de empurrar assim que você alcançar a superfície. Caso contrário, você pode ter um estômago cheio de água do mar.

Me senti muito bem em usar o equipamento, mas essas coisa pequenas e complicadas, como o clipe nasal, o pino, bem, será que você realmente se lembraria deles se fosse um acidente real?

Por outro lado, o novo sistema é como uma mini-versão de um equipamento de mergulho. É mais pesado, devido ao pequeno cilindro de ar comprimido, mas também é menos volumoso.

O clipe de nariz está ligado à parte de boca e é muito mais fácil de colocar, especialmente com uma só mão. Acredite em mim, isso faz uma grande diferença.

E uma vez que eu estava sob a água, era muito mais confortável para respirar. Eu não sou um mergulhador, eu só tinha mergulhado uma vez, há 10 anos, mas eu consegui respirar com isto imediatamente.

Eu não experimentei o novo sistema em um cenário real de acidente, apenas no lado da piscina, mas no geral ele me deu muito mais confiança na água.

Os sindicatos também aprovaram o equipamento. “Ele deve dar mais confiança com os trabalhadores”, diz Jake Malloy do RMT.

“Mas o plano a longo prazo deve ser o de manter a aeronave voando … aeronaves mais seguras e mais confiável, aeronaves mais modernas, janelas maiores, mais espaço.”

Meu dia de treinamento foi bastante estressante, mas é claro que não é nada comparado a um acidente real.

Falamos com James Nugent, um trabalhador da plataforma offshore que estava cochilando enquanto o seu helicóptero se aproximava do aeroporto Sumburgh, nas ilhas Shetland, em agosto do ano passado. “Você sabia que estávamos caindo. Vi esta janela sendo empurrada, junto com a água em meu colo e rosto sendo nocauteado, qualquer coisa entre 45 segundos a um minuto.

“Quando eu percebi que estava de cabeça para baixo, submerso na água. Eu instintivamente soltei o cinto de segurança … nadando para a janela … dei-lhe um par de chutes … e cheguei até a superfície da água e então percebi que estava ok. Eu podia ouvir as pessoas gritando e ver que estavam se debatendo na água.”

Quatro pessoas morreram no acidente , que os especialistas ainda estão investigando.

James não se impressiona com as novas regras e equipamentos que a Autoridade de Aviação Civil está aprovando.

“Eles falam sobre a taxa de sobrevivência quando um desses helicópteros vai para o mar. Até onde eu sei, o que eles estão dizendo é que é totalmente aceitável que estes helicópteros caiam .”

Ele quer uma reformulação total para que os helicópteros não caiam, não afundem ou virem, se caírem na água.

Este novo sistema de respiração estará disponível para alguns trabalhadores offshore dentro de algumas semanas, e todos devem estar usando um no início do próximo ano.

Fonte: BBC / Reportagem: Richard Westcott

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários