Samu 192 começa a fazer resgates com helicóptero no Espírito Santo

Espírito Santo – O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) 192 corre contra o tempo para salvar vidas e reduzir sequelas em pacientes graves. Uma missão importante, que ganhou na manhã desta quarta-feira (08) um forte aliado: um helicóptero todo equipado para desempenhar o serviço aeromédico. A aeronave modelo ASA350 B3e, conhecida como “Esquilo”, será usada para atender pacientes graves e atuará no transporte de órgãos para transplante.

08helicoptero2

O vice-governador do Espírito Santo, César Colnago, ressalta que o resgate com helicóptero vai melhorar muito o atendimento do Samu 192 à população capixaba, uma vez que o transporte realizado na aeronave reduzirá o tempo de deslocamento de pacientes graves. Além disso, conferirá mais conforto ao atendimento, já que no voo há mais estabilidade do que no transporte por terra.

“Esse helicóptero é um importante complemento do Samu, pois qualifica o serviço de urgência e emergência do sistema e permite um deslocamento mais rápido dos pacientes graves e vítimas de acidentes em nossas rodovias, inclusive em localidades distantes. Como médico, fico muito feliz com esse importante passo para melhorar o atendimento aos capixabas. Com certeza, irá ajudar a salvar muitas vidas”, comenta.

O investimento do helicóptero que será usado pelo Samu 192 foi de R$ 14.153.556,88. Conforme explica o secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira, o serviço aeromédico já era realizado pelo Samu 192 em parceria com a Secretaria de Estado da Casa Militar, mas antes a equipe precisava desmontar todos os equipamentos de uma ambulância e montá-los no helicóptero, o que também consumia tempo.

“Agora, a aeronave está sempre pronta para atender a ocorrência, além disso, com mais equipamentos e equipamentos de melhor qualidade. É como se a equipe estivesse dentro de uma sala de emergência em terra”, comenta.

08helicoptero4

Parceria

Segundo o capitão Wellington Luiz Kunsch, chefe de operações do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer) da Polícia Militar – unidade responsável pela equipe que vai pilotar o helicóptero –, dentro da Grande Vitória a equipe de resgate pode chegar ao local da ocorrência em até 10 minutos usando a aeronave.

Ele explica que se a ocorrência for atender um acidente na BR 101 Sul, por exemplo, a aeronave pode pousar na rodovia, se houver condições, ou em alguma área aberta próxima ao local do acidente. Já se for transferir um paciente para um hospital em Vila Velha, a referência é um campo de futebol no bairro Aribiri; em Vitória, o Hospital da Polícia Militar, em Bento Ferreira, ou o próprio Quartel da Polícia Militar, em Maruípe; e na Serra o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves.

De acordo com o capitão, o Notaer dá apoio ao Samu 192 em três situações: atendimento pré-hospitalar, em que a exigência maior é a rapidez; transporte inter-hospitalar, cujo objetivo principal é fornecer atendimento adequado a quem já está hospitalizado, reduzindo o tempo de deslocamento e garantindo conforto ao paciente; e transporte de órgãos para transplante, situação em que o tempo também é um grande diferencial.

Ao todo, 17 pilotos e quatro mecânicos estão treinados para pilotar e fazer a manutenção da aeronave, que está sob os cuidados da Secretaria da Casa Militar, no mesmo hangar dos helicópteros do Governo do Estado. A capacitação dos pilotos foi realizada pela empresa Helibras e foi especificamente voltada para operar a aeronave Esquilo.

08helicoptero5

Unidade mais equipada

Segundo o coordenador médico do Samu 192, Robert Alexsander, o helicóptero dispõe de equipamentos de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea, como desfibrilador com monitor cardíaco, respirador, bomba de infusão para controle de medicamento endovenoso, aspirador de secreção, oxímetro de pulso, cilindro de oxigênio e material de imobilização, entre outros.

Conta ainda com equipamentos multimissão, como guincho de salvamento com braço que permite o içamento ou arriamento de paciente deitado em maca de resgate. “Essa estrutura é uma novidade, pois antes não contávamos com esse tipo de equipamento, que é importante para operações em locais como montanhas e reservas florestais”, ressalta Alexsander.

Para Letícia Rizzo, primeira médica do Samu 192 a realizar uma operação de resgate aéreo no Espírito Santo, o novo helicóptero terá impacto muito positivo no trabalho da equipe e para a população. “Melhora muito nossa condição de trabalho. Em casos de acidente vascular cerebral e infarto, por exemplo, cada minuto é importante para o paciente”, comenta.

O enfermeiro Rodrigo Rocha Guilherme ressalta que o Samu trabalha com a chamada hora ouro, ou seja, o melhor tempo que se pode fazer para atender o paciente com qualidade. “Esse é um princípio que norteia o trabalho do Samu, e o emprego dessa aeronave contribuiu para que isso seja cumprido e para que possamos fazer bem o nosso trabalho”, diz.

08helicoptero6

Tempo aproximado de voo de Vitória até alguns municípios do interior

São Mateus – 1 hora
Cachoeiro, Linhares, Colatina e Venda Nova do Imigrante – 40 minutos
Domingos Martins – 15 minutos
Ibiraçu e Fundão – de 15 a 20 minutos

Por dentro da aeronave

Capacidade: 05 pessoas, sendo 01 piloto, 01 tripulante, 01 médico, 01 enfermeiro e 01 paciente.
Velocidade: aproximadamente 300 km/h
Espaço interno da cabine: 2,6 metros quadrados
Comprimento: 12,94 metros
Altura: 3,34 metros
Peso: 1.295 Kg

Fonte: Agência de Notícias do Espírito Santo.

Foto: Romero Mendonça / Secom.

Assessoria de Comunicação da Secretaria de Estado da Saúde, Jucilene Borges.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

7 + catorze =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários