- Anúncio -

Paraná – O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192 corre contra o tempo para otimizar qualificação técnica e recursos especializados ao paciente grave. Para ampliar a gama de recursos, a cidade de Maringá recebeu há 3 anos e meio do Governo do Estado um helicóptero para operações aeromédicas e esse serviço vem apresentando números significativos de benefício a população.

O helicóptero “Saúde 10” do Serviço de Operações Aéreas da Secretaria de Saúde do Paraná (SESA) – SAMU 192, Base Maringá, chegou nesta semana ao número de 2.000 ocorrências atendidas desde a inauguração.

Ocorrências de resgates em rodovias, atendimentos a pacientes politraumatizados, infartos agudos do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais, transportes de órgãos e remoções neonatais são as mais operadas pelo helicóptero.

“A vítima grave que antigamente não teria chance de chegar viva ao hospital referência, com o advento do serviço, esse panorama mudou”, informa a enfermeira Mileni Camargo, operadora do grupo.

A aeronave atua em um raio de 250 km otimizando tempo-resposta aos pacientes graves. A equipe é formada por operadores médicos e enfermeiros, comandante de aeronave e mecânico de voo. Todos os profissionais possuem treinamento rigoroso e formação especializada.

“Muitos pacientes tiveram suas vidas salvas com o apoio do helicóptero na nossa região. Aqueles casos mais graves, que necessitam de uma intervenção do suporte avançado de vida no local e otimização do tempo-resposta acionamos a aeronave”, disse Márcio Ronaldo Silva, médico coordenador geral de urgências e emergências do Samu Regional.

Saúde 10 – Operações Aéreas SAMU 192 – Maringá.

O helicóptero opera do nascer ao pôr-do-sol seguindo rigorosamente a legislação da ANAC (Agencia Nacional de Aviação Civil). Para o médico Marcos Bittencourt, fazer parte de uma estrutura como essa é um grande desafio e também, motivo de orgulho. “Temos muito honra do serviço! A consolidação dele deve-se a oferta rápida e especializada de cuidados às vitimas críticas e ao fundamental processo de integração com as equipes de solo.”

“O nosso objetivo é manter a qualificação técnica do serviço, com treinamento contínuo da equipe e implementação de novas tecnologias para que consigamos manter alto nível técnico. Essa parceria Estado do Paraná, Consórcio Proamusep e Prefeitura de Maringá é a condição fundamental para viabilização do serviço e consequentemente salvar muitas vidas’’, informa o médico Mauricio Lemos, operador do serviço.

O Estado do Paraná também possui bases de serviço aeromédico de asas rotativas nas cidades de Curitiba, Cascavel, Ponta Grossa e Londrina. Uma aeronave de asa fixa baseada em Curitiba também faz parte da frota aeromédica do Estado.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários