- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Noruega – O Serviço de Ambulância Aérea HF (Luftambulansetjenesten HelseForetak) está expandindo seu acordo com a Babcock Scandinavian AirAmbulance AS para entregar um avião a jato Cessna C680A Latitude, que transportará pacientes graves na Europa (UE).

A Babcock obteve um contrato para operações de ambulâncias aéreas de 1 de julho de 2019 com duração até 2025 e possibilidade de prorrogação até 2030. Babcock é um empresa líder em voos aeromédicos nos países nórdicos. A frota inclui 38 aeronaves, em 22 bases na Suécia, Finlândia e Noruega.

Como a missão é colocar uma ambulância aérea em operação até o final deste ano, foi considerada a realização de uma licitação seguindo os ritos normais, mas por uma questão de tempo, o Serviço de Ambulância Aérea HF optou por estender o acordo atual com a Babcock para se aplicar também às aeronaves a jato para a UE.

A contratante é o Serviço de Ambulância Aérea HF que pertence a quatro autoridades de saúde regionais da Noruega (Regionalt HelseForetak – RHF). Ela possui contrato com a Babcock para aviões e com a Norsk Luftambulanse AS para helicópteros. Nessa estrutura do Estado, cada uma das quatro regiões de saúde (RHF) da Noruega é responsável por garantir que a população receba serviços especializados de saúde.

O pano de fundo para a chagada da nova aeronave é o acordo celebrado entre a Noruega e a UE sobre o transporte de pacientes com doenças infectocontagiosas graves, como parte do RescEU, pelo período de 2021 a 2027. O investimento inicial foi de cerca de cinco milhões de euros. O acordo prevê investimentos de 60 milhões de euros para todo o período.

Babcock Scandinavian AirAmbulance expande acordo para entregar avião a jato ao serviço aeromédico da Noruega e atender a União Europeia. Foto: Divulgação. Cessna C680A Latitude. Johnny.

A Direção de Saúde da Noruega é uma parte contratante formal da UE

Através do Serviço de Ambulância Aérea HF, as quatro regiões de saúde (Helse Nord, Helse Midt-Norge, Helse Vest e Helse Sør-Øst) foram incumbidas para concretizar o acordo.

No dia-a-dia uma enfermeira comporá a tripulação do novo do jato Cessna C680A Latitude. Quando a aeronave for entregue para missões na UE, uma equipe de saúde será integrada na operação, em esquema de rodízio. Cada equipe (sete equipes no total) será composta por um médico, uma enfermeira e um paramédico / oficial de segurança.

Melhora do serviço de ambulância aérea

O contrato contempla operação completa de aeronaves, tripulação (pilotos), manutenção técnica, treinamento, etc. Isso inclui ambulâncias aéreas em regime de 24/7: 24 horas por dia, todos os dias, durante todo o ano. A nova aeronave Cessna C680A Latitude é o mesmo modelo do avião a jato usado em Gardermoen, e ficará baseada em Tromsø.

Quando o avião não for usado para missões sob os auspícios da UE, o serviço regular de ambulâncias aéreas na Noruega é implantado. Todas as operações de ambulâncias aéreas na Noruega são pagas e totalmente financiadas pelo setor público. No total, as autoridades regionais de saúde gastam mais de um bilhão de coroas em ambulâncias aéreas todos os anos e atendem quase 20.000 pacientes por ano.

Babcock Scandinavian AirAmbulance expande acordo para entregar avião a jato ao serviço aeromédico da Noruega e atender a União Europeia. Foto: Divulgação.

O serviço tem 14 helicópteros localizados em 13 bases: Arendal, Lørenskog (2), Ål, Dombås, Stavanger, Bergen, Førde, Ålesund, Trondheim, Brønnøysund, Evenes, Tromsø e Kirkenes. A Norsk Luftambulanse AS opera os helicópteros, principalmente em missões aeromédicas (ambulância aérea), mas também em buscas e resgates. Para o serviço de resgate, o Esquadrão 330 das Forças Armadas também realiza várias missões em parceria com o serviço.

Além dos helicópteros, há também 9 aviões-ambulância localizados em 7 bases: Gardermoen (2), Ålesund, Brønnøysund, Bodø, Tromsø, Alta (2) e Kirkenes. A Babcock Scandinavian AirAmbulance AS é a responsável por essa operação.

Este é o RescEU

O RescEU faz parte do programa de preparação civil para emergências da UE e visa reforçar a proteção dos cidadãos contra catástrofes, bem como a gestão de novos riscos (Reserva europeia de recursos – “reserva rescEU”).

Isso inclui uma frota de aeronaves e helicópteros de combate a incêndios, de evacuação aeromédica, bem como um depósito de equipamentos médicos e hospitais de campanha que podem ser usados ​​em emergências de saúde e em incidentes químicos, biológicos, radiológicos e nucleares.

RescEU, um mecanismo que visa oferecer solidariedade numa situação de emergência para países europeus.
- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários