- Anúncio -

Portugal – O Serviço de Helicópteros de Emergência Médica (SHEM) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) apresenta uma taxa de operacionalidade superior a 98% nos primeiros sete meses de 2019, tendo as quatro aeronaves ao serviço da emergência médica sido acionadas para 595 ocorrências.

O SHEM é composto com por quatro aeronaves que têm base em Macedo de Cavaleiros, Santa Comba Dão, Évora e Loulé. Estes meios de Suporte Avançado de Vida (SAV) foram ativados, de janeiro a julho, para um total de 595 ocorrências, sendo 189 missões primárias e 406 missões secundárias.

Este serviço, que funciona 365 dias por ano, 24 horas por dia, apresenta uma taxa de operacionalidade de 98,3%. Em relação aos períodos de inoperacionalidade, 1,3% refere-se a avarias, manutenções ou inspeções necessárias nas aeronaves; 0,1% relacionadas com a equipe médica e 0,3% com a equipe de pilotos.

Serviço de Helicópteros de Emergência do INEM apresenta taxa de operacionalidade superior a 98%. Hugo Vilares, TEPH.

Exclui-se deste cálculo a impossibilidade de intervenção das aeronaves devido à falta de condições meteorológicas ou de segurança. Contudo, os dados disponíveis demostram que este fator apenas condicionou a atividade do SHEM em cerca de 40 horas de atividade nos sete meses de 2019.

O helicóptero sedeado em Macedo de Cavaleiros é o que apresenta um maior número de ocorrências com 161 missões, sendo que 67 foram missões primárias e 94 secundárias. O helicóptero sedeado na região centro, em Santa Comba Dão, apresenta 148 intervenções, 40 primárias e 108 secundárias. Segue-se o helicóptero sedeado na região algarvia com 147 ocorrências, 37 primárias e 110 secundárias. Já o helicóptero de Évora apresenta 45 ativações para ocorrências primárias e 94 secundárias, totalizando 139 intervenções.

Os Helicópteros de Emergência Médica são utilizados no transporte de doentes graves entre o local da ocorrência e a unidade de saúde (missões primárias) ou entre unidades de saúde (missões secundárias). O SHEM poderá ainda ser usado para outras missões, nomeadamente transporte de órgãos para transplante.

Estão equipados com material de Suporte Avançado de Vida e a sua tripulação é constituída pela equipe de pilotos (o comandante e um piloto) e pela equipe médica (um médico e um enfermeiro). Os médicos e os enfermeiros que prestam serviço nos Helicópteros do INEM têm formação específica, compreendendo um Curso de Fisiologia de Voo e Segurança em Heliportos e um curso de Viatura Médica de Emergência e Reanimação. Têm também experiência em Emergência Pré-hospitalar, em Cuidados Intensivos e/ou Serviço de Urgência.

Equipes de médicos, enfermeiros e pilotos cruzam os céus de Portugal desde 1997. Mais de 16.500 missões e milhares de vidas salvas.
- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários