Suspensão das operações com o helicóptero policial de San Jose, Califórnia/EUA

Em face de cortes no orçamento e demissões, o Departamento de Polícia da cidade de  San Jose, na Califórnia/EUA, irá desativar as operações de seu helicóptero, que por muitos anos voaram em missões de encontrar criminosos fugitivos e pessoas desaparecidas.

O Departamento de Polícia de São José diz que vai suspender sua operação por pelo menos três meses para avaliar a redução de custos e do impacto na segurança pública. O helicóptero, que normalmente voa cerca de três missões por dia tem um custo ao departamento de US $ 1,4 milhões por ano, principalmente em salários e benefícios para os pilotos. A verdadeira economia seria de cerca de 400.000 dólares referentes a combustível e manutenção.

Os quatro pilotos do departamento serão transferidos para a atividade de patrulhamento. Não ficou claro se o helicóptero será permanentemente desativado, mas essa opção está sendo cogitada. “Nós apenas temos que esperar e ver o impacto causado”, disse o sargento Jason Dwyer, porta-voz do departamento. “É um recurso importante, mas caro.”

O departamento ainda irá utilizar um avião de asa fixa que pode ser utilizado, se necessário, para fotos de reconhecimento e vigilância.

O fim das operações com o helicóptero é apenas uma parte do pacote de redução de custos e medidas de reorganização que o departamento está utilizando para lidar com o déficit do orçamento da cidade de US $ 110 milhões. Os 1250 oficiais do departamento também está enfrentando demissões sem precedentes, que as autoridades municipais estimam que poderá atingir o número de 350 demitidos.

Mas o término das operações do helicóptero de San Jose não significa que as polícias da região deixarão suas aeronaves enferrujado em seu hangar em Moffett Field.

O escritório do xerife do condado (Sheriff’s Office) de Santa Clara, cidade vizinha, diz que irá prosseguir sua operação com seu helicóptero, chamado de STAR 1, pelo menos três vezes por semana.

O Sheriff’s Office de Santa Clara utiliza um piloto civil contratado em vez de usar policiais como pilotos. Isso faz com que suas missões de helicóptero sejam mais baratas, cerca de 329.000 dólares por ano, além de ser apoiada em parte por meio de dinheiro de apreensão de bens.

“Vemos isso como um recurso importante para a cidade em operações de busca e salvamento, além de suporte e apoio as patrulhas em terra”, disse o sargento. Rick Sung, porta-voz do Sheriff’s Office.

Contudo, a cidade de San Jose ainda espera utilizar seu helicóptero, chamado de AIR 2, para emergências e grandes eventos como carnaval e Cinco de Mayo.

O helicóptero tem uma história de sucesso no combate ao crime bem como marcada por uma das piores tragédias do departamento.

O piloto Casey Desmond, policial do departamento de polícia de San Jose, morreu em 25 de outubro de 1999, enquanto voava o AIR 1.

Casey conseguiu desviar a aeronave em emergência para longe de motoristas e pedestres de uma rua lotada antes de colidir com o helicóptero no chão. Herman Yee, um mecânico a bordo, também morreu.

A matrícula do helicóptero AIR 2 foi escolhida para homenagear Casey: 408DC, pintado em grandes letras brancas e prata na parte superior do helicóptero, sendo o número 408, em referência ao código telefônico da área de San Jose, e DC retrata as iniciais do falecido Casey.


Fonte: MercuryNews.com


6 COMENTÁRIOS

  1. Esse acontecimento é nos USA – o país mais rico e poderoso do mundo.
    Imagina um Estado como o Maranhão que tem um Helicóptero mais equipado e de maior manutenção, ou seja, no Brasil.
    Não vamos se iludir

  2. INDEPENDENTE DO PAÍS DO MUNDO, BRASIL OU EUA, O GRANDE “MOTE” É A GESTÃO.
    NOTEM QUE O SERVIÇO AÉREO SUSPENSO TEMPORARIAMENTE EM SAN JOSE, CALIFÓRNIA-EUA, NÃO SE DÁ POR INEFICIÊNCIA DO SERVIÇO E NEM POR PROBLEMAS INTERNOS DO GRUPAMENTO, E SIM PELA MÁ GESTÃO DO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA COMO UM TODO, QUE TERÁ QUE CORTAR SUAS “ASAS” PARA SANEAR SUAS CONTAS.
    ACHO QUE TAL EXEMPLO SERVE PARA QUE POSSAMOS ABRIR NOSSOS OLHOS, BEM COMO PARA QUE OS GESTORES DAS SECRETARIAS DE SEGURANÇA PÚBLICA E DE DEFESA SOCIAL, ATENTEM PARA A PRÁTICA DE UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS AÇÕES DESENCADEADAS.
    FICA AQUI MINHA OPINIÃO PARA REFLEXÃO E DISCUSSÃO.
    CAP PMPE ROMILDO – ASP92.

  3. Cap Romildo – Salutar seus comentários, mas quem faz a má gestão????? Os grupamentos aéreos são subordinados as SSPs e esse ao Governador do Estado, se o mesmo solicita levar a família para um passeio aéreo, alguém terá coragem de negar?? rsrsrsrsr – meu caro, estamos no Brasil, um dos paises mais corrupto do mundo. E quem manda são os políticos, é fato.

  4. Em qualquer atividade, em qualquer parte do mundo, sempre existirão obstáculos, situações adversas, etc… a enfrentar. Até em nossas casas encontramos crises às vezes. E em alguns casos, ocorrem eventos como o Tsunami no Japão, seguido de explosão nuclear e aí desaparecem milhares de pessoas, o país é devastado… e agora ? Mas isto não deve abalar a vontade dos abnegados cavaleiros do ar, que escolheram essa profissão nobre de salvar vidas e trazer a paz para a sociedade brasileira.
    Se vier a acontecer algo desse tipo com alguma unidade de aviação brasileira, por erro da administração ou por outros interesses, só resta contar com o clamor do povo pela sua volta, afinal, é quem paga os impostos.

    CMTE AYRES – PLAH 0552

  5. Tenho um parente Oficial na PMPE, não vou dizer o nome – mas os comentários dequeles é o seguinte, “há tempo atrás (não mto distante) a PMPE suspendeu seus helicóptero por motivo de gestão e dinheiro” – ou seja, acabou o centro de apoio aéro, só com outro governo é que as coisas voltaram a clarear.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

dez + 8 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários