2014/2016 – A Segurança Pública se equipa para os Grandes Eventos

DANIEL QUEIROZ
(Revista Força Aérea)

Eventos esportivos de grande envergadura demandam grandes investimentos e muita organização para que ocorram sem maiores percalços. Quanto à segurança de cidades e estádios durante a Copa do Mundo de Futebol de 2014, o emprego da aviação policial se torna mandatório, principalmente pela capacidade tecnológica de vigilância embarcada em suas aeronaves. Sendo assim, a RFA foi saber, em detalhes, como as unidades aéreas policiais dos estados que sediarão os jogos da Copa de 2014, bem como as unidades aéreas dos órgãos federais, estão se preparando para esse grande evento.

copa 2014 e olimpiadas 2016

A Copa do Mundo da FIFA é uma competição quadrienal e um dos maiores eventos esportivos do mundo, que reúne as melhores seleções de futebol masculino pela disputa do título mundial.

Após 64 anos, o Brasil sediará novamente uma Copa do Mundo. O torneio, que ocorrerá em 2014, terá 12 cidades-sede: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

Como a Copa do Mundo é um evento esportivo que movimenta pessoas de todo o mundo, incluindo chefes de estado, delegações esportivas de vários países, grandes multidões e milhares de turistas, há uma óbvia preocupação para que um acontecimento de tais proporções seja realizado sem que ocorram grandes problemas, especialmente no que tange a questões de segurança.

Portanto, é importante se preparar de forma adequada para que tudo ocorra dentro do script e que a única coisa que tome conta dos noticiários nesse período – antes, durante e depois – sejam notícias esportivas.

Garantir a segurança das pessoas e a tranquilidade dos eventos é uma das prioridades das instituições de segurança pública dos governos estaduais e do Governo Federal. Eventos internacionais desse porte acabam proporcionando, por sua magnitude, a possibilidade de ocorrência de ações criminosas e, em especial, ações terroristas. E por sua importância, qualquer fato de proporção mediana, especialmente no que diz respeito à segurança pública, ganhará grande destaque na mídia nacional e internacional.

De acordo com esse contexto, a preparação das polícias e dos órgãos do sistema de segurança pública através de cursos, treinamento, aquisição de equipamentos entre outras coisas, torna-se imprescindível.

Região Sudeste

Rio de Janeiro

– Grupamento Aeromóvel (GAM)

Rio de Janeiro - GAM/PMO GAM da Polícia Militar foi fundado em 2002 e tinha apenas uma aeronave na ocasião, um helicóptero AS350B2 Esquilo, que foi batizado como Fênix 01.

Atualmente, beirando os 11 anos de existência, conta com uma frota de três helicópteros multimissão da linha Eurocopter Esquilo – dois AS350B2 e um AS350B3+; um helicóptero monomotor médio Bell Huey II utilizado para transporte tático de tropas e operações em áreas de alto risco; um Schweizer 300CBi para formação e instrução de pilotos; e um avião bimotor Piper Navajo, utilizado principalmente para missões de transporte de pessoal e transporte de órgãos. O efetivo atual do GAM é de 165 policiais militares, com 20 pilotos já formados.

Para o futuro, o GAM tem planos de ampliar suas ações de radiopatrulhamento aéreo e vigilância, com a aquisição de equipamentos imageadores aéreos de longo alcance, óculos de visão noturna, para potencializar a capacidade de operação à noite, além de novas aeronaves.

Para a Copa do Mundo em 2014, especificamente, o planejamento inclui a aquisição de dois helicópteros bimotores de pequeno ou médio porte, com características multimissão, mas com o foco principal nas operações de inteligência com imageadores aéreos e transmissão de dados em tempo real; além de mais um helicóptero monomotor de pequeno porte (categoria do Esquilo) e um monomotor médio para ações táticas e transporte de tropas (categoria do Huey II). Na PM do Rio de Janeiro, os investimentos no GAM para 2014 deverão atingir a casa dos R$ 80 milhões. Esses serão os recursos empregados para garantir a segurança dos jogos no estádio da Maracanã e no restante da cidade.

– Serviço Aeropolicial (SAER)

Rio de Janeiro - SAER/PCA Polícia Civil do Rio de Janeiro, que é uma das precursoras da aviação policial brasileira, vai atuar através do SAER. Desmembrado da antiga CGOA (Coordenadoria Geral de Operações Aéreas), em 2003, dispunha apenas de um helicóptero AS350BA. Hoje conta com mais duas aeronaves na frota: um Eurocopter AS350B3+, que, juntamente com o outro Esquilo mais antigo, é utilizado principalmente como plataforma de observação para as operações de alto risco, com o auxílio de um imageador aéreo de longo alcance ou como aeronave de apoio tático; e um Bell Huey II, utilizado para operações táticas em áreas de alto risco e transporte de tropas. Após o desmembramento, em 2003, o designativo de chamada das aeronaves deixou de ser Águia e passou a ser Polícia.

Para incrementar suas ações na Copa de Mundo, o SAER planeja adquirir um helicóptero bimotor leve para substituir os Esquilo na função de videomonitoramento aéreo, deixando aqueles dedicados às ações táticas e somente como backup para as ações de monitoramento. Um novo helicóptero tático monomotor de pequeno porte e mais um monomotor médio da categoria do Huey II também estão nos planos de aquisição. A compra de outros equipamentos, como alto-falantes, óculos de visão noturna, novos armamentos e equipamentos individuais, também está entre as intenções do SAER para 2014. A unidade também está recebendo quatro novos pilotos comandantes, que ingressaram através de concurso público e passarão por um treinamento de adaptação às missões da unidade.

São Paulo

– Grupamento de Radiopatrulha Aérea João Negrão (GRPAe)

São Paulo - GRPAe/PMO GRPAe começou suas atividades com helicópteros em 1984 com um único helicóptero HB 350B. Ao longo desses 29 anos, a frota teve um aumento considerável, e possui, atualmente, 21 helicópteros Eurocopter AS350 (dos modelos B, BA e B2) utilizados para radiopatrulhamento, resgate e as demais missões que a unidade executa; um Eurocopter EC 135 para transporte pessoal; dois Schweizer 300 CBi para instrução e formação de pilotos; e ainda mais quatro aviões – Cessna Centurion, Embraer Seneca, Beechcraft Bonanza e Beechcraft King Air.

O GRPAe é uma das unidades aéreas mais antigas do país e, atualmente, a maior unidade aérea policial da América Latina. Apesar de não ter sido a primeira unidade aérea policial do Brasil, foi a precursora na utilização do helicóptero no radiopatrulhamento aéreo com seus helicópteros Águia. A unidade, que começou suas operações com apenas 24 homens, hoje conta com um efetivo de 481 policiais, sendo 98 pilotos, 172 tripulantes, 60 mecânicos de voo, dois médicos, 12 enfermeiros e mais 137 policiais militares distribuídos na administração e em outras funções.

Para a Copa 2014, especificamente, o Comandante do GRPAe informou que não há planos de aquisição de novas aeronaves ou equipamentos, pois os recursos atuais suprem as necessidades da unidade para garantir a segurança da Arena Itaquera e seu entorno. Mas que, para o futuro, a unidade aérea que hoje conta com 10 Bases destacadas de Radiopatrulha Aérea (BRPAe) pelo interior do estado pretende ampliar esse serviço, só que na enorme região metropolitana da cidade de São Paulo, com mais quatro BRPAes.

– Serviço Aerotático (SAT)

A cidade de São Paulo também contará com o apoio aéreo do SAT da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Criada em 1984, a unidade aérea cujas aeronaves utilizam o designativo

Pelicano iniciou suas operações com apenas um helicóptero HB350B. Hoje o SAT conta com quatro helicópteros Esquilo em sua frota: um HB350B, um AS350BA, um AS350B2 e um bimotor AS355F. O efetivo é de 20 policiais, sendo oito pilotos e 12 tripulantes.

Para 2014, especificamente, a unidade também não tem planos para a aquisição de material, equipamentos ou aeronaves. Mas para os próximos anos, a fim de modernizar a frota, há a expectativa de adquirir alguns equipamentos como NVG e imageadores aéreos. Para modernizar sua frota de aeronaves e ampliar sua capacidade, o SAT espera adquirir também um helicóptero bimotor/IFR da categoria leve ou leve/médio.

Minas Gerais

– Batalhão de Radiopatrulhamento Aéreo (Btl RPAer)

Minas Gerais - CORPAER/PMPara garantir a segurança do público no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, o Btl RPAer da Polícia Militar, fundado em 1987 com um Bell 206 Jet Ranger III, hoje conta com 11 aeronaves de asas rotativas e asa fixa em sua frota. Somando-se a um antigo Bell Jet Ranger, com o qual a unidade iniciou suas operações, o batalhão dispõe de mais seis helicópteros Eurocopter AS350 Esquilo multimissão (cinco do modelo B2 e um B3); dois Esquilos B2 utilizados exclusivamente para missões de fiscalização e repressão a crimes ambientais; tem ainda um avião Embraer Corisco e um bimotor turboélice Beechcraft King Air C-90. O efetivo atual da unidade é de 184 policiais militares. O designativo utilizado pelas aeronaves é Pégasus, com exceção aos dois Esquilo utilizados em missões ambientais, em convênio com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, que utilizam o codinome Guará.

Para 2014, o investimento do Btl RPAer será da ordem de R$ 2,5 milhões para a formação de pilotos e para a compra de NVGs para operações noturnas. Segundo o comandante da unidade, não serão adquiridas novas aeronaves, pois, recentemente, foi comprado um Esquilo AS350B3, que veio a suprir as atuais demandas da unidade e também para o planejamento de emprego na Copa do Mundo.

– Coordenação de Apoio Aéreo (CAA)

Minas Gerais - Polícia CivilA Polícia Civil de Minas Gerais vai atuar com os helicópteros da CAA. A CAA foi criada em 1994, tendo, nessa ocasião, em seu inventário, um helicóptero Bell 206 Jet Ranger III e um Eurocopter AS350 B2. Ela utiliza desde então o designativo Carcará para identificar suas aeronaves.

Atualmente, seu efetivo é de 25 policiais e dispõe de dois helicópteros Eurocopter AS350B2 Esquilo e mais quatro aviões: um Embraer Sertanejo, um Cessna 210, um Cessna 182 e um Embraer Bandeirante, sendo que esses dois últimos, por estarem sendo leiloados, deixarão a frota em breve.

Para a Copa 2014, a unidade pretende adquirir um avião Grand Caravan e um helicóptero bimotor de porte leve/médio, em troca de um de seus helicópteros monomotor, que deverá ser dado como parte do pagamento. Além de uma nova aeronave, a CAA pretende adquirir alguns equipamentos para suas atuais aeronaves de asas rotativas, como tapete balístico, corta-cabos, filtro antiareia, GPS e EPI (Equipamentos de Proteção Individual), como macacão de voo e capacetes de voo. Os investimentos em equipamentos deverão somar a quantia aproximada de R$ 3 milhões.

Região Nordeste

Bahia

– Grupamento Aéreo (Graer)

Bahia - GRAER/PMO Graer da Polícia Militar da Bahia será a unidade aérea responsável pela segurança dos jogos da Copa 2014 no Estádio da Fonte Nova e seus arredores, na cidade de Salvador. A unidade foi criada em 2006 e, apesar de seu pouco tempo de existência, se tornou uma das unidades de referência da aviação policial brasileira. Suas aeronaves são identificadas pelo designativo Guardião.

O Grupamento começou a operar já com uma frota considerável de aeronaves: dois helicópteros Eurocopter AS350 B2 Esquilo e dois motoplanadores Aeromot AMT-200 Super Ximango. Atualmente, foram incorporados à frota mais um Esquilo AS350B2 VEMD, um avião Cessna Grand Caravan e um novíssimo helicóptero bimotor IFR Eurocopter EC145, recebido em dezembro de 2012, que veio configurado multimissão e com diversos equipamentos embarcados. O EC145 integrado à frota será utilizado para missões de transporte tático de tropas, vigilância, patrulhamento, missões aeromédicas e resgate, entre outras, ampliando a capacidade operacional da unidade. O efetivo atual é de 80 policiais, sendo destes: 13 pilotos, oito tripulantes e seis mecânicos de voo.

Em virtude das recentes aquisições, no momento, não existe plano da unidade para a aquisição de novas aeronaves visando à Copa de 2014. Porém, existe o projeto para os próximos quatro anos da criação de seis Bases Avançadas (BAVAN) do Graer, em seis pontos estratégicos no interior do estado. A estimativa de investimento para esse projeto é de R$ 88 milhões, incluindo a compra de novas aeronaves para cada uma dessas bases.

Ceará

– Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (CIOpAer)

Ceará - CIOPAerEm Fortaleza, a CIOpAer, unidade mista que integra as operações da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiro e da Polícia Civil, será responsável por fazer o radiopratulhamento aéreo na cidade durante a Copa do Mundo. A CIOpAer foi criada em 2001 com três helicópteros Eurocopter AS350B2 e um HB350B, mas já opera, desde 1995, quando era uma unidade apenas da Polícia Militar. A unidade perdeu um de seus Esquilos B2 em um acidente em 2005 e adquiriu outro helicóptero, um bimotor leve Eurocopter EC135, e hoje conta com uma frota de quatro helicópteros. O efetivo atual da unidade é 90 homens.

Apesar de não ter sido confirmado pelo Comando da CIOpAer, a Revista Força Aérea conseguiu ter acesso a informações de que a unidade está em fase final de aquisição de três novos helicópteros bimotores multimissão da categoria do EC145, que serão empregados na segurança dos jogos no estádio do Castelão e nos seus arredores na Copa de 2014 e nas demais missões peculiares da unidade.

Pernambuco

– Grupamento Tático Aéreo (GTA)

Pernambuco - GTAO GTA, que também é uma unidade aérea mista que atende as demandas da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros, vai auxiliar na vigilância aérea da Arena Pernambuco e na cidade de Recife. Apesar de a Polícia Militar de Pernambuco operar com helicópteros desde 2001, a unidade mista GTA foi criada em 2007 para integrar as forças estaduais. As aeronaves do GTA utilizam o designativo Falcão.

Atualmente, o GTA conta um uma frota de três helicópteros Eurocopter AS350B2 e um efetivo de 40 homens. Para a Copa do Mundo, a prioridade da unidade é o Programa de Elevação Operacional de Pilotos, para aumentar a quantidade de comandantes de aeronave da unidade, que hoje conta apenas com quatro. A unidade também planeja adquirir um helicóptero monomotor leve com capacidade para até quatro ocupantes, incluindo o piloto.

Rio Grande do Norte

– Centro Integrado de Operações Aéreas (Ceiopaer)

Rio Grande do Norte - GAPA segurança de torcedores, turistas e demais pessoas que estiverem na cidade de Natal durante a Copa de 2014 contará com a participação do Ceiopaer, também conhecido como

Grupamento Aéreo Potiguares (GAP), para garantir o bom andamento dos eventos esportivos na Arena das Dunas. A unidade que integra as operações da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros conta hoje com um helicóptero AS350B2 para cobrir as competições da Copa. A unidade teve suas operações iniciadas em 2002 com um helicóptero AS350B2, mantendo sua frota inalterada até os dias de hoje.

Para 2014, de concreto, está prevista a aquisição de um caminhão-tanque que já foi licitado e só falta ser entregue para a unidade. A reforma do hangar também está prevista para 2013. Ambos os projetos devem montar em R$ 600 mil.

Região Centro Oeste

Distrito Federal

– Batalhão de Aviação Operacional (Bavop)

Distrito Federal - GOA/PMO Bavop da Polícia Militar do Distrito Federal será a principal unidade responsável pela segurança dos jogos da Copa do Mundo de 2014 no Estádio Nacional Mané Garrincha, na capital do país. Criada em 1996 com seu primeiro helicóptero Fênix” – HB350B, hoje a unidade conta com três helicópteros AS350B2 e um avião monomotor Cessna 210 turbo.

A unidade vai receber um novo helicóptero monomotor leve – um Robinson R44 –, que já foi licitado. O 44 será usado basicamente para voos de instrução e formação de pilotos, além de utilizado no transporte de pessoal e em missões administrativas. O BAVOP também tem planos de adquirir um helicóptero bimotor multimissão leve/médio, principalmente para o transporte tático de tropas, mas que também servirá de apoio a operações policiais, patrulhamento e vigilância. A construção de um novo hangar em um local mais centralizado, junto a um quartel da PM na cidade-satélite de Guará, próximo a Brasília, também está incluso no planejamento para esse ano.

– Divisão de Operações Aéreas (DOA)

Distrito Federal - DOA/PCA Polícia Civil do Distrito Federal vai implementar suas ações aéreas através da Divisão de Operações Aéreas. Criada em 2001 com um helicóptero Esquilo HB350B, hoje conta com dois helicópteros da linha Eurocopter em sua frota, um AS350BA e um AS350B2. Os Carcarás, como são conhecidos os helicópteros da DOA, vão operar na Copa de 2014 em apoio às unidades da Polícia Civil em terra.

Com vistas à Copa do Mundo, está em andamento, na unidade, um projeto básico para a aquisição de mais um helicóptero monoturbina leve multimissão da categoria dos Esquilo, utilizados pela unidade atualmente. O valor estimado para o investimento é de R$ 7,5 milhões.

– Unidade de Operações Aéreas (UOPA)

Distrito Federal - NUOPA/DETRANApesar de não ser efetivamente uma unidade aérea policial, a UOPA, do Departamento de Trânsito (Detran) do Distrito Federal, atua como uma polícia de trânsito na capital federal. A unidade que foi criada em 2006, conta com um pequeno efetivo de 12 homens e possui uma única aeronave AS350B2 “Sentinela”, que dispõe de sistema imageador aéreo FLIR 8500 e atua basicamente no controle e monitoramento de tráfego na capital e em seus arredores, prestando apoio às unidades de trânsito em terra.

A unidade será um elo importante no contexto da segurança em apoio aos outros órgãos do sistema de segurança pública, especialmente nas questões de controle e monitoramento de trânsito.

Mato Grosso

– Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer)

Mato Grosso - CIOPAERO CIOPAer foi criado em 2006 para integrar as forças policiais estaduais e o Corpo de Bombeiros. A unidade, que conta hoje com sete aeronaves, vai patrulhar e monitorar os eventos da Copa nas imediações da Arena Pantanal “Verdão”.

A frota atual de aeronaves Águia é composta por dois helicópteros AS350B2 e um AS350B3; a unidade também opera quatro aviões, sendo dois Cessna 210L Centurion II, um

Embraer EMB-810C Seneca II e um Embraer EMB-810D Seneca III. A unidade dispunha também de um HB350B que era fretado em convênio com a Secretaria de Meio Ambiente, mas o contrato expirou e não há previsão de renovação.

Para o futuro, o CIOPAer pretende adquirir um avião Cessna Grand Caravan e equipamentos de proteção individual, como capacetes e macacões de voo, tudo em convênio com o Ministério da Justiça. Além disso, a unidade cogita adquirir um helicóptero bimotor da categoria leve-média visando a operação na Copa de 2014 e para operações de fronteira, mas esse projeto ainda está em fase de análise e discussão interna, para definição e perspectiva orçamentária.

Região Sul

Paraná

– Grupamento Aeropolicial-Resgate Aéreo (Graer)

Paraná - GRAerO Graer é uma unidade mista que agrega a Polícia Militar, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros do estado do Paraná. Quando foi criado, em 2010, já possuía uma frota considerável de quatro aeronaves, entre elas dois helicópteros Bell 206 Jet Ranger III, um Eurocopter EC130B4 e um avião monomotor Cessna 182 Skylane. O designativo de suas aeronaves é Falcão e, recentemente, mais duas aeronaves foram incorporadas à frota, um EC130B4 e um avião bimotor Beechcraft B58 Baron. Seu efetivo atual perfaz um total de 45 homens, sendo 38 policiais e bombeiros militares e sete policiais civis. Destes, 21 são pilotos e 12 são tripulantes. O Graer tem, atualmente, uma base destacada na cidade de Londrina, que foi escolhida estrategicamente por sua posição geográfica em uma região importante do estado.

Entre os planos da unidade para a Copa de 2014, para garantir a segurança do público na Arena da Baixada e em seus arredores, está a aquisição de mais dois helicópteros em 2013, sendo um bimotor e outro monomotor leve, além de um imageador aéreo e sistemas de transmissão de dados da aeronave, capacetes de voo e farol de busca para as aeronaves. Esses investimentos deverão ultrapassar a quantia de R$ 30 milhões.

Rio Grande do Sul

– Batalhão de Aviação (BAV)

Rio Grande do Sul - GPMA/PMO BAV da Brigada Militar proporcionará a segurança aérea dos jogos no Estádio Beira-Rio na capital do Rio Grande do Sul. O BAV está entre as unidades aéreas policiais mais antigas do Brasil. Fundado em 1989 originalmente como GPMA, a unidade se tornou um batalhão, em 2010, e difere de boa parte das unidades aéreas estaduais do país por ter a maioria de sua frota composta de aeronaves de asa fixa, em um total de oito. São elas: um Beechcraft Bonanza, um Cessna 210 Centurion, um Embraer Corisco, dois motoplanadores AMT 200-Ximango, dois Sêneca III e um Beechcraft King Air. Mas a unidade conta também com seis helicópteros: um monoturbina leve MD500E, dois HB350B, um bimotor Bell 230 e dois helicópteros leves com motor a pistão Schweizer 300C e 300CBi.

Na Copa de 2014, a unidade terá sua capacidade operacional ampliada com o recebimento de um imageador aéreo a ser cedido pelo Ministério da Justiça. A unidade também tem a intenção de adquirir mais um helicóptero monoturbina leve multimissão, mas a confecção do projeto básico ainda está em fase de estudos.

– Serviço de Apoio Aéreo (SAA)

Rio Grande do Sul - Polícia CivilNo reforço do policiamento na cidade de Porto Alegre, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul irá atuar através do SAA, com seu novíssimo helicóptero Eurocopter AS350B3e Esquilo, que chegou à unidade em novembro de 2012. Apesar de ter sido criada formalmente em 2004, somente agora, com a chegada dessa nova aeronave, se iniciaram as operações aéreas em si.

A unidade dispõe de 06 pilotos sendo metade deles atuando na função de comandantes e opera com um efetivo de 16 tripulantes pertencentes ao GOE (Grupo de Operações Especiais) do Departamento de Investigações Criminais (DEIC). Para o futuro o SAA tem expectativa de adquirir, até 2014, mais um helicóptero monomotor da mesma categoria do que está em uso atualmente.

Região Norte

Amazonas

– Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo (Graer)

Amazonas - GRAER/PMA Polícia Militar do Amazonas vai utilizar as aeronaves Águia do Graer para proporcionar a segurança da Arena da Amazônia e de seus arredores. A unidade, que possui uma dotação de 27 homens, é uma das mais recentes do país. Criada em 2010, conta com três helicópteros em sua frota: um monomotor a pistão Schweizer 300 CBi e dois multimissão AS350B3+.

A unidade pretende adquirir um avião Cessna Grand Caravan para transporte de tropas e, visando à Copa de 2014, está incrementando a formação de novos pilotos e o treinamento de emergências e de procedimentos operacionais para os pilotos mais antigos. Os tripulantes também estão passando por um processo de reciclagem e treinamento com vistas às operações durante o evento esportivo. Também há planos do governo em alugar um helicóptero bimotor para operações aeromédicas durante a Copa do Mundo.

União

Departamento de Polícia Federal

– A Coordenação de Aviação Operacional (CAOP)

Departamento de Polícia FederalA CAOP, da Polícia Federal, criada em 1995, tem sua sede em Brasília, no Distrito Federal. Atualmente, conta com sete aeronaves de asa fixa e seis de asas rotativas. Os helicópteros que compõem a atual frota da CAOP são dois biturbina médios Bell 412, dois biturbina leves Eurocopter AS355N e dois monoturbina leves multimissão Eurocopter AS350B2. No segmento de asa fixa são dois jatos regionais Embraer ERJ145, dois Cessna Caravan, dois bimotores Beechcraft King Air e um bimotor Embraer Carajá. O designativo empregado pela Polícia Federal para suas aeronaves de asa rotativa é Caçador.

Um dos aviões adquiridos recentemente pelo CAOP, um King Air 350 Extend Range, dispõe de um avançado sistema imageador aéreo e será utilizado prioritariamente em missões de vigilância. Um novo helicóptero bimotor AgustaWestland AW139 foi licitado recentemente e está previsto para ser entregue em maio de 2013. A unidade vai auxiliar na vigilância e segurança das cidades-sedes, inclusive com suas aeronaves, de acordo com a demanda operacional e missões que serão atribuídas à Polícia Federal em cada local, a serem definidas.

Departamento de Polícia Rodoviária Federal

– Divisão de Operações Aéreas (DOA)

Brasil - DOA/DPRFAs aeronaves pertencentes à Polícia Rodoviária Federal são operadas pela Divisão de Operações Aéreas (DOA). Criada em 1999, a DOA conta com 12 aeronaves distribuídas em seis bases pelo Brasil: Brasília (sede), Recife, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre e Campo Grande. A frota de helicópteros da DOA é composta de um biturbina médio Bell 412 EP, seis monoturbina leve Bell 407 e quatro monoturbina leve Eurocopter EC120B. Além dos helicópteros, a PRF conta com um avião Sêneca III para transporte de pessoal. Recentemente, foi adquirido mais um avião para transporte de pessoal, um Cessna Caravan, que tem previsão de ser entregue no primeiro semestre de 2013.

Coincidentemente, das seis bases da DOA/PRF distribuídas pelo país, quatro delas estão localizadas em cidades-sedes da Copa de 2014, são elas: Brasília, Recife, Curitiba e Porto Alegre. A DOA vai empregar suas aeronaves nas cidades que sediarão os jogos da Copa do Mundo, onde já possui base. Também existe a possibilidade de algumas aeronaves serem deslocadas para outras cidades-sedes durante a Copa, para atuarem também na segurança dos eventos.

Força Nacional

Brasil - Força Nacional de Segurança Pública– Seção de Aviação Policial (SAP-DFNSP)

A Força Nacional também opera uma divisão aérea, designada Seção de Aviação Policial da Força Nacional. Criada em 2008, conta com um helicóptero AS350B2, que fica sediado em Brasília e utiliza o indicativo Nacional para sua aeronave.

Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge)

O Governo Federal, através do Ministério da Justiça (MJ) e da Sesge, fará sua contribuição para com a aviação policial dos estados que sediarão os jogos da Copa 2014, através de investimentos em equipamentos. A Sesge vai capacitar unidades aéreas dos 12 estados que abrigarão jogos da Copa do Mundo da FIFA em 2014 com imageadores aéreos com resolução HD (High Definition) de longo alcance.

A licitação ocorrida no mês de novembro último contemplou a aquisição de 12 câmeras FLIR Star Safire 380HD e 30 kits com parte fixa (provisões para uso da câmera) e acessórios e equipamentos da empresa Cobham. O sistema imageador aéreo adquirido, além de ser utilizado a grandes distâncias em razão de sua capacidade zoom, também pode ser operado à noite ou com pouca luz, graças ao sistema de visão de baixa luminosidade (low light vision), à visão termal e ao sistema infravermelho.

Entre os equipamentos que virão integrados ao kit estão: monitores de vídeo para o posto dianteiro e traseiro; sistema de mapas móveis com realidade aumentada; sistema de transmissão de vídeo digital SD/HD (downlink); gravador de áudio e vídeo de alta definição; console de operador do sistema; fornecimento e instalação de sistema de recepção de áudio e vídeo (fixo e móvel) em solo; e instalação de provisões, integração, configuração de todos os equipamentos nas aeronaves que receberão os sistemas.

O pacote inclui ainda a instalação e a integração dos equipamentos embarcados; a homologação, a certificação e o licenciamento perante as autoridades aeronáuticas e de telecomunicações; a atualização da documentação técnica das aeronaves; e treinamento e capacitação dos usuários embarcados e das equipes de manutenção.

Para operar em conjunto com as aeronaves, nove dos 12 estados que abrigarão eventos da Copa de 2014 receberão dois micro-ônibus cada um, totalmente equipados, que serão usados como centros de recepção móveis de imagem e funcionarão como centro de comando e controle móveis. Já São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais receberão três unidades móveis, ou seja, uma a mais que os outros estados.

Algumas cidades também serão contempladas com uma antena repetidora, para captar e retransmitir os sinais oriundos das aeronaves, em tempo real, para os centros de comando e controle fixos, em virtude das características complexas do relevo, que cria diversas áreas de sombra para transmissão e recepção de dados. Os Centros de Comando e Controle serão os “olhos” dos gestores de segurança pública, permitindo o acompanhamento e a avaliação de cada situação no cenário dos jogos e nos arredores ou, ainda, em qualquer outro local da cidade que possa ter uma intercorrência que afete a segurança pública.

O investimento que está sendo feito pelo Governo Federal, através da Sesge, até o momento, é da ordem de R$ 98 milhões e vai viabilizar um salto tecnológico, permitindo que

as unidades aéreas policiais ampliem consideravelmente sua capacidade operacional com a incorporação de equipamentos de tecnologia de última geração.

Operações Aéreas – Copa 2014

Os helicópteros sempre tiveram um papel importante no contexto da segurança pública, desde quando as primeiras unidades policiais do mundo começaram a utilizá-los, no início da década de 1950.

O helicóptero, notoriamente, é um aparelho versátil e que pode ser empregado em uma variada gama de missões de segurança pública. As unidades aéreas que atuarão diretamente na Copa de 2014 vão utilizar bastante suas aeronaves para o radiopatrulhemento aéreo e o apoio às unidades em terra, especialmente no entorno dos estádios. O transporte tático de tropas também será uma importante missão para as aeronaves.

Com os helicópteros as polícias terão capacidade de deslocar rapidamente tropas especializadas, atiradores de elite (snipers), negociadores, bem como autoridades e comandantes de policiamento posicionando-os em locais estratégicos. As técnicas utilizadas poderão ser o desembarque da tropa em solo ou à baixa altura; a utilização do rapel para desembarque, no caso da impossibilidade de pouso ou de estabelecer voo pairado próximo ao solo; e também a técnica do fast rope, em que é possível desembarcar uma equipe inteira ou parte dela (de quatro a 10 policiais) em poucos segundos, com a aeronave posicionada em voo pairado a poucos metros do solo (até 10 metros), através do uso de cordas, que podem ser instaladas em ambos os lados da aeronave ou em um deles.

As aeronaves também serão usadas para realizar escolta a comboios de autoridades e delegações esportivas, provendo a segurança aérea e a cobertura para as equipes de terra, bem como no socorro de policiais feridos ou no caso de algum evento que deixe uma grande quantidade de pessoas feridas, como plataforma de evacuação aeromédica.

Mas o grande destaque para o policiamento aéreo em 2014 será a utilização do helicóptero como plataforma de observação. Com as aeronaves de asas rotativas dotadas com imageadores aéreos e sistemas de transmissão de dados cedidos pela Sesge, todas as imagens e informações captadas poderão ser transmitidas, em tempo real, para as unidades móveis de comando e controle, em que estarão gestores e comandantes do policiamento nos locais próximos aos eventos. Por sua vez, as unidades móveis terão capacidade de retransmitir todas essas informações aos Centros Integrados de Comando e Controle, que vão concentrar todas as informações pertinentes e necessárias para que as autoridades do alto escalão possam fazer avaliações mais precisas dos acontecimentos.

Dessa forma, sempre que necessário, as aeronaves serão acionadas para decolar e atuar como plataforma de observação avançada, para prestar apoio ao policiamento em solo e, principalmente, munir as autoridades de segurança pública com informações e imagens em tempo real, permitindo, assim, o redimensionamento e a otimização do emprego do policiamento e dos recursos em solo, para prover segurança mais eficiente e eficaz.

Também no caso de qualquer anormalidade, as imagens aéreas auxiliarão, de forma importantíssima, o processo de tomada de decisão das autoridades, que poderão mobilizar outras aeronaves para auxílio, de forma direta ou indireta, além dos demais recursos que se fizerem necessários.


O AUTOR é major da Polícia Militar do Rio de Janeiro e trabalha na Secretaria de Estado de Segurança (SESEG/RJ) como Assessor Técnico de Assuntos Aeronáuticos. É piloto comercial de helicóptero e editor do site www.asarotativa.com.


fa

Fonte: O artigo foi originalmente publicado na Revista Força Aérea nº 80 (Fev./Mar.). Publicação autorizada pelo autor.


Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

12 + 8 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários