Gestores da Saúde destacam desempenho da Operação Carnaval de Alagoas

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) revela que as unidades de saúde realizaram cerca de 6,5 mil atendimentos durante o último feriadão carnavalesco, sem nenhum registro de reclamação na Ouvidoria do Sistema Único de Saúde (SUS).

Diante do desempenho positivo da Operação Carnaval, lançada pelo governo na rede estadual de saúde, na sexta-feira (4), envolvendo mais de 12 mil profissionais em hospitais, nos ambulatórios 24horas, Hemorrede, Laboratório Central (Lacen), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Vigilância Sanitária Estadual, gestores e técnicos destacam o empenho dos profissionais e o apoio da gestão como responsáveis pelo resultado.

Além do atendimento extra, realizado pelo Hemoal, que disponibilizou um montante de 214 bolsas de sangue e atendeu 15 hemofílicos, o Samu Aeromédico foi um dos destaques da Operação Carnaval. Durante o feriado, foram realizados diversos atendimentos estratégicos, a exemplo do ocorrido no sábado (5), na BR 104, em Rio Largo, quando um acidente automobilístico deixou um morto e quatro feridos.

Em função da agilidade no deslocamento o Arcanjo, como é chamado o helicóptero do Samu, tem sido fundamental para reduzir o tempo resposta e salvar vidas.

Segundo o diretor do Samu Maceió, Kleber Santana, durante o Carnaval foram realizados 347 atendimentos na capital alagoana, 249 em Arapiraca e 113 nas bases descentralizadas. “Com esse atendimento ágil e eficiente, conseguimos evitar muitas mortes, principalmente por meio do Samu Aeromédico, que chega aos locais de difícil acesso e, em questão de minutos, transporta as vítimas para as unidades hospitalares”, disse o diretor, acrescentando que o serviço de ponta é custeado totalmente pelo governo estadual.

Para o gerente geral do Hospital Geral do Estado (HGE), Carlos Alberto Gomes, a operação Carnaval foi considerada um sucesso. Segundo ele, além do esforço da gestão, aliado ao comprometimento dos servidores, garantiu o atendimento adequado aos pacientes.

Fato que resultou no atendimento de 1.485 pacientes nos quatro dias de folia momesca, além de 2.910 nos ambulatórios 24 horas. “A equipe multidisciplinar esteve preparada durante todo o carnaval para prestar assistência, principalmente às vítimas de acidentes. Não registramos faltas dos servidores, o que contribuiu bastante para a evolução da rotina de trabalho”, informou.

Já o diretor-geral da Unidade de Emergência Doutor Daniel Houly (UEDH), José Karlisson Valeriano, o funcionamento da unidade durante no período de Carnaval ocorreu dentro das expectativas. Segundo ele, a escala extra nos setores médico e administrativo, criada especialmente para o período, foi suficiente para atender a demanda que, naturalmente, registra elevações nesta época do ano.

Na unidade do Agreste, entre o sábado (5) e a quarta-feira de Cinzas (10), foram registrados 660 atendimentos, sendo 50 deles ocasionados por acidentes de motocicleta. “Todos os procedimentos simples foram realizados com sucesso, enquanto os mais complexos puderam contar com pessoal e estrutura suficientes para garantir a estabilidade no quadro de saúde do paciente. Assim, foram garantidos como todos os procedimentos necessários durante a permanência dos mesmos na Unidade”, salientou José Karlisson Valeriano.

Para o secretário da Saúde, Alexandre Toledo, o fato de os quatro dias de folia ter transcorrido sem intercorrências, comprova que a estrutura montada para a saúde funcionou, assegurando a população acesso aos serviços do SUS. Além do reforço nas escalas de plantão, aponta ele, dezenas de profissionais ficaram de sobreaviso para atuar em casos emergenciais, como ocorreu no Hemocentro de Alagoas (Hemoal), que funcionou no sábado de Carnaval para coletar plaquetas por aférese, visando atender aos pacientes com Leucemia e Dengue Hemorrágica.

“Temos que destacar o nível de organização da Operação Carnaval, montada pela equipe técnica da Sesau e executada com empenho e profissionalismo pelos mais de 12 mil profissionais. Com um trabalho planejado e organizado, conseguimos atender a todas as ocorrências e garantir a assistência em saúde a todos aqueles que nos procuraram desde as primeiras horas do Sábado de Zé Pereira até a meia noite da Quarta-Feira de Cinzas”, destacou o titular da pasta da Saúde.


Fonte: Secretaria de Saúde de Alagoas, por Adalberto Custódio, Ednar Costa, Josenildo Torres e Arnaldo Santtos.

Fotos: Ascom / SAMU.


- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários