Diretor da Aduana americana visita Receita Federal do Brasil

O comissário da US Customs and Border Protection, autoridade máxima da administração aduaneira americana, Alan Bersin, realizou no último domingo (25/9) um voo de vigilância na região de Foz do Iguaçu, a bordo do helicóptero da Divisão de Operações Aéreas – Dioar, da Receita Federal.

Em visita ao país, Bersin e comitiva foram recebidos em Brasília nesta quinta-feira (22/9) pelo secretário da RFB, Carlos Alberto Barreto, e pelo subsecretário de Aduana e Relações Internacionais – Suari, Ernani Checcuci, com os quais debateu o incremento do intercâmbio entre os dois órgãos.

O voo em Foz incluiu o monitoramento da barranca do Rio Paraná, do lago de Itaipu e da área rural do Parque Nacional do Iguaçu utilizada pelos contrabandistas para evitar os postos de fiscalização na BR-277. Apesar de não ter ocorrido identificação de atividades ilegais, o voo serviu para demonstrar e explicar aos representantes da Aduana dos Estados Unidos as modalidades de emprego de aeronaves pela Receita Federal do Brasil, bem como os desafios relacionados à geografia da região de fronteira.

Ao terminar o voo, Bersin agradeceu a oportunidade e ressaltou a importância do emprego de meios aéreos nas operações de fronteira, citando a existência de mais de 130 helicópteros e 160 aviões a serviço da aduana americana.

Ele elogiou ainda a opção da RFB de iniciar a implantação do serviço aéreo com aeronaves de vigilância, reconhecimento e monitoramento, e afirmou que o próximo passo é a evolução para operações de interdição, citando que no CBP os próprios pilotos atuam armados e têm condições de conduzir as ações de interdição, se necessário.

Bersin e sua comitiva chegaram ao Foz do Iguaçu no sábado (24/9). A recepção ao grupo foi feita na Aduana da Ponte Internacional da Amizade (fronteira Brasil-Paraguai) pelo delegado, Rafael Dolzan, pelo chefe da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho, Sérgio Antônio Lorente, e pelo chefe da aduana/RFB na Ponte, Márcio Luiz Zamian.

Durante a visita foram apresentadas as atividades que são desenvolvidas na aduana brasileira, por meio de slides e fotos, relativas às ações de repressão e os resultados obtidos nos últimos anos pela RFB, naquela região fronteiriça. A comitiva mostrou-se impressionada com o movimento aduaneiro (30 mil veículos e 60 mil pessoas por dia, em média), comparando nossa fronteira com a fronteira entre os Estados Unidos e o México.

Ao final Bersin, em nome da comitiva americana, elogiou a estratégia utilizada e as ações realizadas pela RFB, ressaltando que a aduana moderna deve se preocupar com três aspectos principais: repressão forte, inovação constante dos procedimentos e análise de risco (informações).

Alan Bersin é diretor da US Customs and Border Protection (Aduana e Proteção às Fronteiras dos EUA) desde 2007. Supervisiona 57 mil funcionários e administra um orçamento operacional de mais de US$ 11 bilhões.


Fonte: Receita Federal do Brasil.


Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

um × 2 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários