- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Distrito Federal – Mais uma vida foi salva graças ao trabalho integrado da Secretaria de Saúde e o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). Nesta quinta-feira (27), uma ação conjunta resultou no transplante de um coração.

O órgão foi captado em Goiânia (GO) e levado no helicóptero Resgate 04 do Grupamento de Aviação Operacional (GAvOp) para o Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF), onde foi realizado o transplante. A cirurgia ocorreu com sucesso, de acordo com a equipe de saúde. A receptora passa bem com recuperação considerada boa para o tipo de procedimento.

“O Corpo de Bombeiros Militar tem sido um grande parceiro nestes transportes, principalmente neste cenário da pandemia. Os voos comerciais estão muito restritos e nem sempre é possível o deslocamento de aeronave da FAB. Sem o apoio do Corpo de Bombeiros, esta captação, por exemplo, não seria possível”, destacou a diretora da Central Estadual de Transplantes do DF, Joseane Vasconcellos.

O GAvOp atua também em resgates, salvamentos e combate a incêndios florestais, inclusive naquelas ocorrências de grande vulto em que há necessidade de muitos recursos materiais e humanos. Em todas as situações o GAvOp emprega seu poder operacional disponível, inclusive com mais de uma aeronave, se for necessário.

Para isso a Unidade possui programa de revalidação de manobras, no qual pilotos e tripulantes operacionais fazem treinamentos programados para manter a proficiência nas atividades que realizam.

Os treinamentos seguem cronograma, desde a leitura do POP (Procedimento Operacional Padronizado), avaliação prática de nós e amarrações em macas, treinamento com aeronave em solo, treinamento na torre, simulados com aeronave em giro e debriefing sobre acertos, erros e vulnerabilidades na operação.

Nas ocorrências com múltiplas vítimas, o Corpo de Bombeiros utiliza protocolo internacional chamado de “Método Start” (Simple Triage And Rapid Treatment), que consiste em fazer uma rápida e objetiva triagem das vítimas ainda em cena, definindo as prioridades para o transporte.

Para os profissionais do GAvOp, “o resgate aéreo é um elo crucial nesse sistema, principalmente em ocorrências distantes em rodovias, no qual o tempo para transporte por terra aos Hospitais costuma ser longo. Além disso, a presença da equipe médica de suporte avançado no local pode fazer a diferença no atendimento pré-hospitalar.”

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários