Acidente aeronáutico e suas implicações no desenvolvimento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático – TEPT

Rosana Conceição Bauer (1)
Renato Maiato Caminha (2)
Christian Haag Kristensen (3)

INTRODUÇÃO

A tarefa de prevenir acidentes aeronáuticos, além de difícil, não se esgota. Observam-se crescentes estudos durante os últimos 25 anos acerca da aviação militar e civil de nosso país, reconhecendo suas particularidades e pesquisando os fatores contribuintes dos acidentes aeronáuticos, sem deixar de registrar que, grande parte dos fatores são recorrentes (FAJER, 2009).

No entanto, percebe-se que, por mais sofisticada que seja uma aeronave e por mais treinado que se encontre um piloto, ainda assim estes não estão livres de acidentar-se e morrer, porque são os comportamentos humanos associados à tarefa de voar, que promovem estados de vulnerabilidade que expõem tripulantes ao perigo, contrapondo-se à expectativa daquele comportamento que seria o previsto (BAUER, 2011).

Na medida em que é possível descrever os tipos de distorções cognitivas que se fazem presentes nos erros de decisão tomados pelos tripulantes, descobrimos que há uma maior probabilidade de preveni-los. A cada acidente investigado, colhem-se ensinamentos e são estes conhecimentos que orientam as ações em torno das pessoas (BAUER, 2011).

Uma destas ações se destina ao acolhimento às pessoas e à prevenção de transtornos psicológicos nos ambientes onde há vítimas de acidente aeronáutico, sejam elas os próprios tripulantes ou seus familiares, colegas de trabalho, pessoas envolvidas no socorro às vítimas, entre outros. Porém, ainda é incipiente o trabalho de intervenção com os pilotos no período do pósacidente, e embora existam alguns protocolos sendo testados, como o protocolo CISM (LEONHARDT, 2006) aplicado pelo Instituto de Psicologia da Aeronáutica em Unidades Aéreas que tiveram acidentes, ainda não foram realizadas pesquisa de resultados.


Leia aqui o artigo na íntegra


Autores:

(1) Rosana Conceição Bauer – Ten Cel QFO da FAB, Psicóloga, especialidade Psicologia Cognitivo Comportamental e Fatores Humanos. Atualmente é Chefe da Seção de Investigação de Acidentes Aeronáuticos no SERIPA V.
[email protected]
(2) Renato Maiato Caminha – Psicólogo, Mestre em Psicologia, Pesquisador em Transtorno do Estresse Pós Traumático e Coordenador da Especialização em Psicoterapias Cognitivo Comportamental do INFAPA.
[email protected]
(3) Christian Haag Kristensen – Psicólogo, Doutor em Psicologia, Professor Adjunto da Faculdade de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Pesquisador do CNPq – nível II.
[email protected]

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

2 × 2 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários