CIOPAER/MT sofre com trotes – qualquer cidadão pode acionar

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Os três helicópteros do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) da SESP (Secretaria de Segurança Pública), estão disponíveis para qualquer cidadão que esteja em Mato Grosso em apuros ou que perceba situação de risco de terceiros. Segundo o Tenente Coronel responsável pelo Ciopaer, Siqueira Júnior, dependendo da gravidade da ocorrência, e principalmente em casos de resgate de vítimas feridas em acidente, qualquer cidadão pode acionar o helicóptero.

CIOPAER e GOE de Mato Grosso

Os quatro aviões e os três helicópteros são utilizados em 4 tipos de situações: em casos de emergências – acidentes e roubos, em operações e patrulhamento planejados, translado de policiais para operações e no apoio a outras Secretarias.

De acordo com o Major Juliano Chiroli, todos os dias os helicópteros ficam no pátio, pronto para entrar em operação, em horário comercial. Durante a madrugada há uma escala. “Temos 70 pessoas especializadas para este setor. Dividimos a turma em escalas. Qualquer cidadão pode pegar o telefone e acionar nossa equipe. Dependendo da gravidade da ocorrência, vamos com o helicóptero para o local, enquanto equipes em terra também se deslocam”, disse Major Chiroli.

Devido essa liberdade, a equipe acaba tendo transtornos com trotes. Segundo oficiais do setor, mensalmente pelo menos três ocorrências inverídicas fazem com que a aeronave seja empregada. “Tentamos evitar o máximo que isso ocorra, quando somos acionados, enquanto estamos nos preparando para o voo, viaturas ou o Samu vão para o local, e quem chega primeiro nos avisa se a ocorrência procede”, disse o Tenente Coronel Siqueira.

Cada hora voo tem custo mínimo de R$ 2,2 mil, incluindo combustível (querosene), manutenção e seguro. “Precisamos contar com a sociedade, para que este serviço seja utilizado apenas em casos emergenciais quando acionado por eles”, afirmou Siqueira.

Nesta terça-feira (17), um helicóptero está em Cuiabá, outro foi para a fronteira auxiliar em uma operação e o terceiro está no interior.

Fonte: RepórterMT, por Mayara Michels.

- Anúncio -

1 COMENTÁRIO

  1. MUITO SIMPLES A SOLUÇÃO:

    BASTA QUE O ACIONAMENTO DE UM EQUIPAMENTO TÃO CARO SIGA UM PADRÃO LÓGICO, QUE JÁ É ADOTADO EM OUTROS ESTADOS.

    ACIONAMENTO E EMPENHO MEDIANTE SOLICITAÇÃO DE OUTRAS UNIDADES, COMO BOMBEIROS E POLICIAMENTOS, SENDO A AERONAVE APOIO NA INTERVENÇÃO DESTAS UNIDADES, E CLARO QUE SOB O CRITERIOSO JULGAMENTO DA REAL NECESSIDADE E POSSIBILIDADE DE EMPREGO (CUSTO X SEGURANÇA X BENEFÍCIO…).
    HELICÓPTERO E VIDAS NÃO SÃO BRINQUEDOS, E NEM É PARA “PASSEIO” (QUANDO MAL EMPREGADO).
    BONS VOOS.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários