Polícia Militar admite falhas e estuda mudanças

- Anúncio -

O CIOPAER admitiu ontem que as principais falhas apontadas pelo relatório do Cenipa de fato podem ter levado ao acidente com o helicóptero Aguia Uno, em 2005. O Major Heverton Mourett considera que “o elemento humano pode ter sido fator contribuinte”, mas não determinante, referindo-se ao preparo que os tripulantes possuíam para operar em situação de crise e à carga horária que já cumpriam no momento em que embarcaram para a missão de resgate.

Em relação a outro fator apontado pelo relatório, a desatualização das informações meteorológicas concedidas para o vôo, Mourett assegura que o vôo do helicóptero não teria sido autorizado pelo Controle de Vôo do aeroporto caso as condições meteorológicas não estivessem favoráveis. Por isso, ele defende que, pelo menos no momento em que levantou vôo, o clima apresentava condições favoráveis.

O major cogita que, ao chegar nas proximidades da Serra de São Vicente, aí sim o helicóptero se deparou com clima adverso e teria tentado retornar. Neste momento, de noite e sem visibilidade (apesar dos pilotos terem experiência com vôo noturno), pode ter ocorrido um fenômeno chamado de desorientação espacial, que acabou levando o helicóptero a voar contra o próprio solo.

Por isso, o major considera que o ocorrido levanta a necessidade de se capacitar os pilotos para gestão em momentos de crise durante os vôos. De qualquer maneira, ele considera que vôos com finalidade de promover segurança pública e defesa civil não são vôos quaisquer, mas que acarretam riscos potenciais. Quanto à habilidade dos pilotos para operar em locais de condições adversas e sem visibilidade (operar por instrumentos), Mourett esclarece que não há oficiais no Ciopaer preparados para a tarefa, que nem seria autorizada por não haver instrumentos tecnológicos de orientação para tanto.

De maneira geral, o major não contestou a análise contida no relatório do Cenipa. Para ele, o documento é “pertinente” no sentido de apontar na corporação aspectos a serem reformulados. Atualmente, a comissão de segurança de vôo do Ciopaer estuda encaminhar adaptações. A jornada de trabalho dos oficiais poderá ser reduzida.


Fonte: Renê Dióz, Diário de Cuiabá


- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários

comentários