Águia da Polícia Militar é a salvação durante a paralisação da cidade de São Paulo

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Por volta das 20h de hoje, o Águia 21 da Polícia Militar de São Paulo foi acionado pelo Corpo de Bombeiros para realizar transporte de um rim. O Grupamento de Radiopatrulha Aérea, com a solicitação do COBOM, enviou o Águia 21 para o transporte emergencial desse órgão. São Paulo, como outras capitais do Brasil, pararam em virtude das manifestações do chamado “movimento do passe livre”.

2013-06-17 20.32.24

Em meio dessa paralisação e ondas de protestos pela cidade, a equipe médica ficou sem como efetuar o transporte terrestre. O órgão foi retirado do doador no Hospital do Rim que fica na Rua Borges Lagoa. A equipe médica saiu do hospital com o rim, mas teve que voltar ao hospital, pois se continuassem iriam perder o órgão. Vendo que não conseguiriam levar o rim, acionaram o Corpo de Bombeiros.

O COBOM, de pronto, acionou o Águia. O Águia 21 pousou no Hospital Edmundo Vasconcelos, que fica próximo, onde a equipe médica embarcou com o órgão. Em cinco minutos o Águia estava pousando no Hospital Albert Einstein.

A cidade de São Paulo paralisada pelas manifestações impossibilitou o transporte terrestre do órgão, mas o pronto atendimento do Corpo de Bombeiros e do Águia da Polícia Militar foi possível efetuar o transporte do rim.

Além desse helicóptero, a Polícia Militar acompanha as manifestações pela cidade de São Paulo com outros helicópteros e com “olho de águia”, repassando as informações ao comando das operações.

- Anúncio -

3 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns à todos os PM`s do Estado de São Paulo que nestes últimos dias tem sido execrados por toda imprensa pelo simples fato de estarem cumprindo o dever de restabelecer a ordem pública. Infelizmente ações como esta não é noticiada pela grande mídia.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários