Criação de Centro de Treinamento de Aviação como instrumento de gestão para formação e qualificação aeronáutica de pilotos

- Anúncio -

Cap PM Marcus Vinícus Baracho de Sousa

Vivendo um processo de ampla expansão no Brasil, a Aviação de Segurança Pública se depara também com as dificuldades na gestão da formação de sua Força de Trabalho. Potencializando tais obstáculos, segue a legislação brasileira, no setor aeronáutico, que também se moderniza, buscando acompanhar os padrões estabelecidos pela ICAO.

Criação de Centro de Treinamento de Aviação como instrumento de gestão para formação e qualificação aeronáutica dos pilotos da Polícia Militar do Estado de São Paulo

A formação e treinamento de pilotos para atuarem nas OASP passa a ser uma questão estratégica, pois, demora-se muito mais para a preparação desse profissional que deve ser altamente qualificado, do que a aquisição de aeronaves.

As OASP devem se preocupar também com sua capacidade de suprir a evasão de pilotos policiais, que naturalmente ocorre, por diversas razões (aposentadoria, doença, transferência, morte….), buscando garantir a operacionalidade da Organização.

Trata-se então de um modelo de gestão que cada OASP deverá identificar e estabelecer para que, dentro de uma análise de seu ambiente interno e externo, faça da capacitação de pilotos um de seus itens de planejamento.

Claro que as normas ANAC, que tratam do tema, devem ser consideradas e aplicadas, atuando como instrumentos de melhoria de práticas, sendo inaceitável a informalidade no setor de instrução aérea das OASP.

Esse estudo mostra como um Centro de Treinamento de Aviação, pode servir como instrumento de gestão da formação e treinamento de pilotos policiais. Faz um apanhado histórico na Aviação da Força Pública do Estado de São Paulo, demonstrando o tratamento estratégico que sempre foi dado ao tema, desde 1913 e mesmo em momentos de grande crise social.

Considera a experiência que o GRPAe-SP, viveu e tem vivido nos últimos trinta anos.

Bons voos, com boa gestão!


Clique e leia a monografia na íntegra

Criação de Centro de Treinamento de Aviação como instrumento de gestão para formação e qualificação aeronáutica dos pilotos da Polícia Militar do Estado de São Paulo


Cap PM Marcus Vinícus Baracho de Sousa, é Mestre em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública, piloto policial do Grupamento de Radiopatrulha Aérea, Instrutor de Voo, Bacharel em Direito e incentivador da aplicação dos conceitos de Gestão na Aviação de Segurança Pública.

- Anúncio -

2 COMENTÁRIOS

  1. A competência com que foi desenvolvido este trabalho permeia a Carreira de todos os envolvidos, destacando-se aqui, pela vinculação à atividade aérea, o Ten Cel Beni e o Cap PM Baracho (autor). Enalteço a participação do Maj PM Regis e do Ten Cel Galdino que são exemplo de profissionais dedicados à aviação policial paulista, cada qual na sua esfera. É de se compreender que há 30 anos cada Polícia iniciava suas atividades de modo insipiente, mas hoje nenhuma dela imagina desenvolver suas atribuições sem o concursos direto das Unidades de Aviação Policial. A legislação sofre aperfeiçoamentos que exigem mais que a “simples” operação das aeronaves. O Autor, meu dileto Amigo, alcançou descortinar um assunto sensível aos governos, pois investimentos em formação qualificada devem ser tão ou mais importantes que a aquisição de aeronaves, ou a construção de hangares, mas como fazer políticos entenderem que para se ter “saúde é necessário saneamento”, é necessário enterrar canos e isso é coisa que ninguém vê. Parabéns, sugiro disseminação, multiplicação, publicação e execução, já que debates não são mais necessários graças à lucidez alcançada no trabalho. Ao Cmt G da PMESP, Cel Ricardo Gambaroni, profissional que soma mais de 20 anos de experiência em AVIAÇÃO POLICIAL, autoridade nacionalmente reconhecida por seus modelos operacionais, rogo que, contanto com o apoio do Cel Falconi, Cmt do GRpAe, implementem as propostas, mas não deixem de levar a ideia a todas os Operadores de Aviação de Segurança (Polícias Militares, Civis, Federal, Rodoviária Federal, IBAMA, Receita Federal).

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários