Eduardo Alexandre Beni

Ao longo da carreira como piloto dos helicópteros Águia da Polícia Militar de São Paulo tive a oportunidade de realizar, ao lado de médicos e enfermeiros, centenas de resgates de homens, mulheres e crianças feridas.

Foram vítimas de soterramentos, quedas de laje, choques elétricos, queimaduras, acidentes automobilísticos, afogamentos, ferimentos por armas de fogo ou facas, picadas por cobras ou vítimas de parada cardiorrespiratória. Uma infinidade de causas, locais diversos, urbanos e rurais, onde todas as pessoas precisavam de ajuda e clamavam por socorro.

Minha missão era pilotar, mas era a equipe de saúde que estava ali que iria salvar aquela vida. O olhar direto para a vítima, o toque, a velocidade do diagnóstico e um único pensamento: vou tentar salvá-la. Muitas vezes conseguiam, outras não. Eram momentos de alegria ou de tristeza, mas todos com o sentimento de dever cumprido.

Hoje, 18 de outubro, em homenagem à São Lucas, que também foi médico e um dos discípulos de São Paulo, é comemorado o Dia do Médico. Pessoas abnegadas e prontas para salvar vidas. Nesse exato momento existe um médico ou uma médica tentando salvar a vida de uma pessoa enferma.

Eles não escolhem o dia para exercer a profissão.

Para eles, todo dia é dia de salvar.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

quatro × 5 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.
Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.

Comentários

comentários