Distrito Federal compra dois helicópteros para a Polícia Militar

A Secretaria de Segurança Pública comprou dois helicópteros modelo Esquilo para operações de patrulhamento da Polícia Militar do Distrito Federal. A empresa escolhida para o fornecimento é a Helicópteros do Brasil S/A (Helibras) que participou e venceu duas concorrências internacionais promovidas pelo Governo do Distrito Federal no ano passado, por meio da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão. Cada aeronave custará aos cofres públicos US$ 3.852.261,94, o correspondente, na cotação de 10 de dezembro último, a R$ 6.593.916,76. O custo total da aquisição será, portanto, de R$ 13,1 milhões.

Os empenhos para pagamento à empresa já foram realizados, e os helicópteros serão entregues em 21 de agosto, quando passarão a reforçar o policiamento ostensivo promovido pela PM. De acordo com a especificação constante do contrato, os helicópteros são de porte leve, versão AS350B2, monoturbinados, multimissão leve, versão policial, novos de fábrica, com ano de fabricação de 2011.

Tem capacidade para cinco a seis passageiros e um piloto. De acordo com o site oficial da Helibras, o helicóptero apresenta melhor desempenho em altitudes elevadas e em temperaturas altas. Por conta do espaço na cabine, esse modelo se adapta bem para missões policiais, mas é indicado particularmente para transporte executivo e de passageiros, transporte aeromédico e de carga externa, com capacidade para até 1.160 kg de carga no gancho.

O contrato para compra das aeronaves foi assinado pelo então secretário de Segurança, João Monteiro Neto, atual diretor-geral do Serviço de Limpeza Urbana (SLU). A conclusão da licitação foi aprovada pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) em novembro do ano passado, em processo relatado pelo conselheiro Ronaldo Costa Couto.

O recurso para a aquisição das aeronaves será praticamente todo federal. Um dos helicópteros será comprado com recursos do Fundo Constitucional do Distrito Federal, na rubrica da Polícia Militar do DF. A outra negociação foi feita por meio de convênio entre o Governo do Distrito Federal e o Ministério da Justiça, que libera 99% da verba correspondente ao valor pelo Programa Nacional de Segurança Pública (Pronasci).


Fonte: Correio Braziliense


23 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns aos meus companheiros de aviação da PMDF, minha instituição de origem pelas aquisições. Isso é um salto importante em nossa atividade e para nossa instituição. Parabéns aos Oficiais e praças do BAVop-PMDF.

    Um abraço e todos

    TC Gonçalves
    CONAV-SENASP
    2011-2012

  2. Parabéns a todos os membros do BAVOp-PMDF por esta grande conquista!
    Já tinha passado da hora dos senhores possuírem mais vetores aéreos para as missões no DF.
    Conheço bem todos os pilotos, mecânicos e tripulantes e tenho certeza de que a experiência e padronização do BAVOp fará com que os três helicópteros sejam muito bem empregados!
    Os senhores merecem!

  3. Parabéns ao Comando do BAVOP que com maestria regeu seus integrantes, levando-os a conseguir o que pedíamos a tempos. O sucesso do trabalho se deu devido à divisão de tarefas e a participação ativa de todos os que se empenharam nesta conquista. Exemplo a ser seguido! A população do DF e a copa do mundo estarão bem servidos com estas aeronaves. Somadas ao AS350B2 que já voa na PMDF, juntamente com novas aquisições que devem acontecer nos próximos anos, seremos uma potência.

    Aos componentes do BAVOP, SUCESSO!!!

  4. Parabéns aos meus grandes amigos do BAvOp-PMPDF! Tenho muito orgulho de ter sido formado por profissionais tão dedicados e competentes. Nestes três anos e meio que passei na atividade aérea na PMDF, vi o quanto este grupamento realizava com apenas uma aeronave(Fênix 01). A população do DF estará muito melhor guarnecida com a aquisição destas duas aeronaves. Conheço, de perto, a luta e o empenho dos senhores para bem servir os candangos. A minha eterna gratidão! Meus grandes amigos, que Deus continue abençoando vocês. Do paraibano e fênix honorário (candango de formação de aviação de segurança pública) que muito admira o trabalho do “meu eterno GOA”.
    Cap Pimenta-PMPB/FN

  5. Parabenizo ao comando do BAvOp pelo empenho e incansável luta pela aviação policial no DF, que por muitas vezes tomando decisões difíceis mas necessárias para a segurança e desempenho do Batalhão…aos mecânicos que não medem esforços mediante dificuldades ou falta de estrutura e aos IRMÂOS TRIPULANTES OPERACIONAIS que são o pilar no desenvolvimento de qualquer tipo de missão e formam a melhor equipe operacional tendo paixão por voar !!! VOAR, PAIRAR, SALVAR !!! OPERAÇÕES AÉREAS !!!

  6. Parabéns aos briosos e obstinados amigos do BAVOp pela aquisição. Sabemos que o empenho, profisionalismo e paixão de vcs pela aviação de segurança pública foram determinantes para mais esta conquista.
    Que Deus continue abençoando-os e que o o BAVOp da PMDF continue prestando um serviço de altíssima qualidade.

    CAP PMPE MARCUS

  7. Nesse caso, por exemplo, Cmte Ayres. O preço final de US$ 3.8 mi daria pra comprar, se colocasse um pouquinho mais de dinheiro, DOIS B407. O que aconteceu para que o Esqulo fosse a melhor opção, mesmo com o preço de mercado acima dos outros? A Bell não participou da concorrência?

  8. Parabéns ao DF. Já voei o PT HZG pelo IBAMA e pude vê-lo em Curitiba no aeroporto do Bacacheri semana passada. A aeronave é ótima e está linda.
    Mais uma vez parabéns.
    Cap Machado
    2ª Cia BAPM SC

  9. Prezado Paulo Dantas,

    Como já me pronunciei anteriormente, minha proposta de participar deste site é de contribuir para o crescimento da aviação policial, como um piloto experiente, embora não seja um policial. Não é minha pretensão fazer trabalho de vendedor de determinada marca, a qual por acaso hoje eu trabalho.
    Mas não quero deixar de responder à sua curiosidade, já que o fez em público. Em primeiro lugar, o preço de um helicóptero é função de variáveis determinadas pelo edital. Todos sabem que os Esquilos, seja B2 ou B3 são mais baratos que o Bell 407, seja no Brasil ou nos Estados Unidos ou na Europa. Afirmar que o valor de U$ 3.8 mi é quase o preço de 2 B407 é, desculpe, leviano. O edital é feito segundo normas e foi elaborado pelos seus colegas policiais da PMDF e seguindo as regras da SENASP (CONAV). Saiba que cada aeronave dessas tem uma configuração muito completa (guincho, gancho, Bravio, flexcomm, etc…),e inclusive o FLIR (partes fixas e móveis). Saiba que a licitação do tipo concorrencia internacional,permitia a participação de outros concorrentes, mas concorrencia internacional, com bastante prazo para resposta. Mas desta vez, não sei porque razão, outros fabricantes não compareceram. Mais uma vez, se voce tiver interessado em saber mais sobre preço, eu posso conversar pelo telefone.

    Ao companheiro Brazuca,

    Nenhuma das empresas que voce cita, ficaram de fora desta licitação. Aliás, a Secretaria de Segurança do DF fez questão de fazer uma concorrencia internacional, contrariando o Decreto do MJ que obriga em fazer pregão, para que as empresas estrangeiras tivessem mais competitividade. Mas mesmo assim, ninguém apareceu. Sinceramente, não sei porque. Pergunte a eles.
    Caso voce seja um piloto de helicóptero, voce conhece bem a parte técnica e sabe que os produtos se equivalem. Cada piloto tem sua preferencia, e eu como fui piloto e intrutor de voo dos 2 modelos, eu conheço bem as máquinas, suas limitações e emergencias, seus equipamentos, etc… . E já estive do outro lado da concorrencia, portanto conheço também as 2 empresas.

    Quanto à sua alusão à palavra indústria entre aspas,senti uma certa dose de ironia. Eu acredito que seja pelo seu conceito a respeito do termo, aliás algumas vezes discutido até em laudas jurídicas, mas inconteste quando o produto é reconhecido pelo BNDES como produto nacional, com mais de 40% de capital brasileiro de seu valor agregado. Mas, em que pese o conceito, a licitação também não considerou isto, embora as Medidas Provisórias 4095 e 497 publicadas em agosto de 2010, assim o determinem (veja no site do Gov. Federal). Agora, as empresas estrangeiras de qualquer ramo, terão que investir no Brasil, senão as empresas brazucas, terão vantagem de até 25% de diferença no preço final, como incentivo – BUY BRAZILIAN ACT. Nos Estados Unidos, esta Lei é de 1928. Estas MP foram publicadas com o respaldo das Federações das Industrias Brasileiras (FIESP, FIRJAN, FIEMG, etc…). Mas, reafirmo, cada um com suas preferencias.
    Para os pilotos, a melhor máquina é a que estamos voando.

    CMTE AYRES – PLAH 0552

  10. Brazuca,

    Mais um esclarecimento: As MP citadas não foram elaboradas pela “industria” aeronautica brasileira e sim pelo Governo Federal que quer garantir o desenvolvimento da indústria nacional em todos os segmentos.
    Quem enxergou isto e investiu no Brasil no passado, poderá usufruir no futuro, seja na construção naval, no Oil & Gas, na construção civil, em TI, no mercado militar e porque não até na industria aeronautica.

    Ayres

  11. Ayres,

    Você é muito bom! Não é por acaso que o nosso meio está cheio de esquilos, a preferência nacional com limpador de parabrisa!

    Valeu pelos comentários, aprendi muito! (sem ironias e com muito respeito!)

    abraços!

  12. Parabéns a todos do então GOA agora BAVop que muito me ajudou na minha formação,e agora seja só o começo de uma implementação da aviação aérea policial militar na PMDF,um forte abraço do Major Alexandre da PMRN.

  13. HA HA HA! Então quer dizer que o 407 é mais caro que o Esquilo? Realmente, revendo meu comentário fui muito duro ao dizer que daria para comprar 4x 407’s com os R$ 13,1 mi, admito. Mas estou sendo bastante benevolente ao dizer que daria para comprar 3x 407’s com esse dinheiro. Se quiser posso passar o telefone do escritório da Bell para pesquisar, será preciso? O que facilita a vida do Esqilo no Brasil são as condições oferecidas pelo BNDES no finaciamento da acft, Cmte Ayres, façe-me o favor…

  14. Prezado Paulo Dantas,

    Não precisa me dar o telefone deles. Eu já tenho. Conheço bem o pessoal lá, afinal já trabalhamos juntos.

    Quanto ao financiamento do BNDES, só está disponivel para o mercado civil. O BNDES não financia os Governos Federal e Estaduais. Se eu pudesse usar essa ferramenta, seria uma maravilha. No mercado governamental, temos que ganhar no preço mesmo. Mas voce não acredita, paciência…

    Agora voce acha mesmo que um empresário compraria um helicóptero tres vezes mais caro só porque tem financiamento do BNDES? E podendo fazer um financiamento da Textron com juros do mercado americano?

    Forte abraço !

    CMTE AYRES – PLAH 0552

  15. Prezado Paulo Dantas, sem tomar partido, mas quero lhe informar que todas as aquisições de aeronaves com recurso do Governo Federal, foram adquiridas na modalidade de pregão, ou seja menor preço, por recomendação do próprio TCU. Tenho acompanhado todos os certames público e estranho este fato de um esquilo valer 03(três) 407. Ne verdade, nos certames públicos, todas as cotações da Bell estão acima do preço do esquilo B2 e abaixo do preço do Koala. No entanto todos nós sabemos que durante a licitação isso pode abaixar, a depender tb do pregoeiro. Mas o que temos observado é que na abertura dos envelopes de lance, a Bell e a Agusta, em sua maioria, nem aparecem para o processo, pois sabem que não chegarão no preço, e acabam fazendo pressão para compra por inexigibilidade ou direta, alegando a superioridade de seus equipamentos, em detrimento do esquilo. Mas estamos cumprindo recomendações do TCU, mas mesmo assim, como foi o caso de Brasília, este certame foi de concorrência internacional e não pregão, e mesmo assim, ganhou o menor preço.

    É isso, por experiência própria.

    TC Gonçalves

  16. Cmte Ayres, já vi empresários cometerem loucuras muito maiores do que essa.

    E, eu descobri porque a Bell e a Agusta não participam das licitações em que o Esquilo concorre. Fiquei com uma inveja tremenda do seu trabalho. Você não vai perder NUNCA! Parabéns!

    Prezado Ten. Cel. Gonçalves, não lembro de ter dito que um Esquilo vale tres B407s, o que eu disse foi que com O PREÇO TOTAL dos dois Esquilos daria para comprar TRES B407s. Mas, até então, eu não sabia que as polícias realizavam uma operação tão “específica, mas tão específica” que somente o Esquilo, aquela extraordinária aeronave, que nunca dá problema, teria condições de atendê-los.

    Alguém já teve o interesse ou a curiosisade de saber como é que as Polícias que não possuem Esquilos conseguem trabalhar? Ou, pra variar, ninguém sabe? Depois não sabem porque a aviação policial não vai pra frente…

  17. Prezado Paulo Dantas,

    Sua afirmativa acerca de comparação de preços está registrada acima, nesta mesma reportagem. A Polícia Rodoviária Federal opera 6 Bell 407 há mais de 10 anos e tem feito um bom trabalho. Acompanho o trabalho deles desde a criação e tive o prazer de ser um dos intrutores da primeira turma. A compra foi fruto de uma licitação internacional em que participaram a Bell (na época representada pela Lider) e a Helibras. Eles são uma referencia para a aviação policial.
    Mas independentemente da vontade do cliente para comprar um determinado modelo, no mercado governamental é obrigatório fazer licitação pública, a menos que o produto tenha atributos que o tornem incomparável (INEXIGIVEL) e nessa faixa de aeronaves, não há inex. Todos devem concorrer e apresentar menor preço. Sabendo disso, nos preparamos com equipe especializada para respónder editais e por dominarmos os custos industriais, nossos preços são menores. É fato.

    CMTE AYRES – PLAH 0552

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

13 − dois =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários