Graer/AM versus Trânsito

Com um texto bem mais incisivo e cobrança às autoridades com “missões específicas” de controlar o trânsito, a Polícia Militar reenviou nota de esclarecimento sobre o pouso do helicóptero Águia Uno, do Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo (Graer), na manhã de quarta (01/Set/2010) no viaduto do Coroado.

Um grande congestionamento ocorreu na região e a PM não apenas descartou qualquer relação entre o problema no trânsito e a manobra com a aeronave da Secretaria de Segurança, como apontou que a atividade é rotineira e se, desta vez, ocorreu problema, não foi causado pela PM, sugerindo que as autoridades responsáveis deveriam controlar o trânsito.

O texto da nota não cita especificamente o Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), mas, durante a manhã, agentes do Instituto informaram motoristas que o engarrafamento nas avenidas Cosme Ferreira e André Araújo foi causado pelo pouso da aeronave da PM. Também pela manhã, o diretor de trânsito do IMTT, Walter Cruz, disse ao portal acrítica.com que não sabia identificar o motivo do pouso, a área escolhida ou de onde havia partido a ordem para a ação.

A PM informou que o policiamento com a Águia Uno vem sendo desenvolvido rotineiramente em Manaus e os pousos são realizados em “áreas estratégicas da cidade, previamente identificadas” e que “não causam nenhum tipo de transtorno à segurança e circulação de veículos e pedestres”.

Ao final da nota de esclarecimento, o major Hermes Silva de Macedo, assessor de comunicação da PM, escreve que as atividades do Graer vão continuar “como prescreve nossa missão constitucional” e manda um recado ao IMTT ao dizer que autoridades com “outras missões especificas em nossa cidade” devem estar “mais alertas às suas atividades” e não devem atribuir “erroneamente responsabilidades a quem não as merece”.

Leia abaixo a nota na íntegra

A Polícia Militar do Amazonas esclarece à população manauense que o congestionamento ocorrido hoje pela manhã (01/Set/10), às 7 horas, na Alameda Cosme Ferreira, Bairro Coroado, não foi causado por esta instituição como querem fazer crer algumas pessoas desinformadas alcançadas pelo ocorrido. Na verdade, a PMAM identificou o ocorrido porque naquele momento, o Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo – GRAER desta Força Pública do Estado, estava em patrulhamento de segurança naquela região da Capital como forma de garantir proteção e policiamento através da aeronave AGUIA UNO que ultimamente vem desenvolvendo atividades nos céus de Manaus, e realizando pouso em áreas estratégicas da cidade, previamente identificadas, e que não causam nenhum tipo de transtorno à segurança e circulação de veículos e pedestres e sim auxilia o policiamento terrestre promovido pela Polícia Militar, principalmente, nas Zonas Norte e Leste desta cidade, razão pela qual não poderia gerar congestionamento de veículos automotores.

Assim sendo, a PMAM vai dar continuidade aos trabalhos desenvolvidos pelos policiais militares nas principais zonas de nossa capital como prescreve nossa missão constitucional. E aos que tem outras missões especificas em nossa cidade, estejam mais alertas as suas atividades e não atribuam erroneamente responsabilidades a quem não as merece.

Manaus, 1 de setembro de 2010

HERMES SILVA DE MACEDO
Assessor de Comunicação Social – PM5


Fonte : A Crítica


1 COMENTÁRIO

  1. Isso é reflexo do momento politico que vivemos, onde o novo e questionado por orgões de impresa com objetivo de atingir o Governo.
    A unico prejudicado é a sociedade que pode as vezes ficar sem uma ferramenta de segurança usada no mundo inteiro e aqui questionada pela impresa….

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

5 + 10 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários