Acre – Mais do que voar, cada saída de aeronave do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAER) carrega consigo uma história. Neste sábado (23), o que era para ser o resgate de um idoso vítima de AVC, em uma aérea de difícil acesso do município de Manoel Urbano, acabou com uma verdadeira força tarefa para também resgatar pacientes vítimas de um grave acidente de trânsito, ocorrido no município de Sena Madureira.

“Nós acionamos a equipe do CIOPAER para nos ajudar em um resgate de paciente vítima de AVC. O resgate foi feito, porém tiveram que parar em Sena Madureira, devido a um grave acidente com três vítimas de trauma. Dois vieram para Rio Branco de ambulância e o paciente mais grave, de helicóptero”, explicou Pedro Pascoal, coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Rio Branco.

A equipe composta por piloto, copiloto, um médico e um enfermeiro, especialistas em resgate aeromédico, pousou no heliponto de Rio Branco por volta das 15h, trazendo o paciente H. S. N de 28 anos. Apesar da gravidade dos ferimentos, o paciente chegou estável e foi entregue a equipe de profissionais do Pronto Socorro para a continuidade do tratamento em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Agilidade, equipe especializada e suporte de tripulação são fatores essenciais para que as missões de resgate aéreo ocorram de forma eficaz. Por esse motivo, as operações são feitas em conjunto, com uma equipe engajada, unida e, sobretudo, humanizada.

“O helicóptero chega aos locais mais longínquos, remotos e inimagináveis, dando suporte aos municípios distantes e ajudando as equipes a salvar vidas. É uma ferramenta de grande utilidade e que melhorou em 100% as missões de resgate do SAMU”, finalizou Pascoal.

Escreva um comentário

onze + doze =

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.
Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.

Comentários

comentários