Maj PM Machado lança livro sobre as operações aéreas na Tragédia do Morro do Baú/SC

Este livro apresenta um relato histórico do Major Aviador PM Alessandro José Machado sobre a maior operação empreendida com aeronaves de resgate e defesa civil na América Latina.

Livro escrito com o objetivo de registrar na história a atuação da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação de Santa Catarina na catástrofe que assolou o Vale e Alto Vale do Itajaí em Novembro de 2008.

O Batalhão de Aviação Policial Militar é um orgulho da Polícia Militar Barriga-Verde. E é justamente este sentimento de grande satisfação, de intenso amor-próprio por atuar nesta instituição, que o Major PM Alessandro José Machado nos transmite nesta obra sem igual em nossa literatura. E muito mais, pois nos proporciona uma verdadeira viagem pela história da aviação policial em Santa Catarina.

Seu foco principal é a maior catástrofe que já atingiu o nosso Estado em todos os tempos, nas regiões do Vale e do Alto Vale do Itajaí, em novembro de 2008.

É o registro histórico da gloriosa atuação da 2ª Companhia do Batalhão de Aviação de Santa Catarina e de unidades aéreas de todo o país, num dos momentos mais trágicos já vividos pelo povo catarinense e atentamente acompanhado por todos brasileiros e no exterior.

Uma saga de coragem, superação, solidariedade, amor ao próximo e de dever cumprido.

Os contatos podem ser feitos através do e-mail [email protected] ou pelo site da editora Insular.

Fonte: Editora Insular.

6 COMENTÁRIOS

  1. Major Machado,

    Apresento os meus sinceros votos de congratulações pela obra. Demonstra o elevado grau de profissionalismo e amor que tens a tua Corporação. Um grande abraço e bons voos.

    TC BM Paulo Rogério de Andrade Lima.

  2. Caro amigo Major MACHADO. Com os cordiais cumprimentos do Comando do Anjo da Guarda Fest. Estamos felizes com sua obra, onde mostra que a missão diária desenvolvida por Vossa Senhoria, consiste em muita dedicação e persistência, assim sendo, o ANJO DA GUARDA FEST parabeniza o amigo por contar a história da maior catástrofe natural catarinense e por prestar a sua contribuição para o progresso dos setores militares e civis e, acima de qualquer coisa, manter viva a admiração das pessoas por estas instituições que atuaram diretamente na ajuda humanitária. Que Deus ilumine e o proteja sempre. Cordialmente Sandro Rocha – Membro Honorário da Força Aérea Brasileira e Diretor Geral de Operações Terrestres e Aéreas do Comando do Anjo da Guarda Fest.

  3. Caro amigo, parabéns pela obra onde retrata esta grande operação, da qual o Sr. fez parte com muita dedicação e empenho profiissional, servindo de exemplo a todos nós. Felicidades.

  4. Grande Amigo !!
    Parabéns…. Essa obra de importância histórica, retrata muito bem o que passamos e o que vivenciamos, um exemplo de gerenciamento em emergência, num ambiente saudável e cooperativo, sem afastar-se da segurança operacional, em que todos voavam com um único objetivo, o de salvar vidas.
    Sucesso…. Gde Abraço

  5. Prezado e amigo Machado, terminei de ler o seu livro e foi um grande aprendizado, principalmente em algumas passagens, como aquele referente a segurança da aeronave de vcs (que coisa), isso é algo que por vezes não damos muita atenção, mas é fundamental para a segurança da operação. Outra coisa que chamou a atenção foi o desprendimento da primeira equipe em prol da vida e como a comunicação é importante e as vezes a falta dela, ou a descrença nela, atrapalha a operação. A passagem da bota foi demais e te digo que já vi muito isso. Outro ponto interessante foi colaboração da Marinha e a vaidade de alguns integrantes da FAB na estruturação da operação e como é dificil coordenar operações conjuntas. Temos que lembrar que nessas missões a função é sempre do Bombeiro (Defesa Civil) e da Polícia Militar. Os demais ógãos e forças tem que entender que ficam sob esse comando. Outro conflito que sempre há é o interesse da autoridade e o interesse da tripulação em salvar vidas. Nessas horas aparecem sempre os oportunistas, mas sempre teremos que controlar essas “discrepâncias”. Nesse tema vem os “interesseiros” em tratar com a imprensa….por isso que tanto o Bombeiro como a PM tem que montar a sala de imprensa e centralizar as informações. Não é uma questão de “oportunismo”, mas sim serve para impedir que eles apareçam e fazer um trabalho justo e sério. Gostei muito do seu trabalho e vai ajudar muito na minha tese de CSP. “VÍVERES”….kkkkkkkk….essa pérola do Silveirinha ficou na história.

  6. Prezados amigos Beni, Paulo, Giuliano, TC Lima e Sandro, meu muito obrigado pelas palavras. Escrever este livro foi uma meta alcançada e um objetivo concluído. Agradeço à vocês pelo prestígio assim como a todos aqueles que contribuíram para a conclusão desta obra. Certa vez comentei com uns colegas sobre as diversas missões e operações das quais participamos, e de como se perde com a falta de registro, pois o tempo se encarrega de apagar as memórias. Quem sabe algum colega se motiva em escrever sobre a ação nas Operações na Serra Fluminense ou sobre as Operações no Pan de 2007. Grande abraço e podem sempre contar com o amigo catarinense.
    Maj Machado
    VÍVERES!!!!!!!

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

1 × quatro =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários