Alagoas – Nessa terça-feira (19), o médico Jhonat Silva do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) teve a oportunidade de reencontrar a pequena Ana Laura, de 10 anos, uma das pacientes assistidas pelo Serviço Aeromédico, há três meses, depois que ela sofreu uma crise de fibrose cística, doença genética crônica, que afeta principalmente os pulmões.

Neste mês, ela recebeu alta médica e pode reencontrar o médico Jhonat Silva, que ajudou a salvar sua vida. “Quando recebemos a autorização da mãe para realizar o procedimento, ela se retirou do local, mas a criança pediu a presença da mãe de volta. Neste momento, disse que a amava e que não queria morrer”, relembrou o médico do SAMU.

Emocionado, ele conversou com Ana Laura e com a mãe dela, Deise Silva. “Foi muito comovente e até eu precisei de um momento a sós para me recompor e realizar o procedimento. Por isso, é muito emocionante podermos estar conversando com Ana Laura e aproveitando esse momento”, destacou Jhonat Silva.

Deise Silva, conta que o dia 22 de junho ficou marcado na família que mora em Ipioca, bairro da região Norte de Maceió. “Ela já fazia acompanhamento da doença com uma pediatra e estávamos em casa quando tudo aconteceu. O pai dela a levou às pressas para uma unidade de saúde em Paripueira e, de lá, foi transferida para Maceió”, relembra Deise. “Eu estava muito nervosa e o momento da transferência foi muito difícil. Hoje está tudo bem, mas, na hora, só conseguia pensar no pior”, relembra.

Depois que foi transferida para Maceió pelo Grupamento de Operações Aéreas de Alagoas e Serviço Aeromédico do SAMU, Ana Laura permaneceu internada na UTI pediátrica do Hospital Geral do Estado (HGE) até o dia 4 de julho, quando foi transferida para o Hospital Universitário (HU) e, posteriormente, recebeu alta médica.

Passeio Aéreo

Para marcar o reencontro, Ana Laura e o médico Jhonat Silva, estiveram novamente no helicóptero do Serviço Aeromédico do SAMU, mas, desta vez, como passageiros. Em um breve passeio pela região do hangar, de onde a aeronave decola para atender as ocorrências, os dois puderam conversar e contemplar a paisagem.

Foram cerca de 15 minutos de sobrevoo, mas o suficiente para deixar um sorriso no rosto de Ana Laura. Mesmo tímida e com o rosto parcialmente coberto pela máscara, a menina não escondeu a satisfação pelo reencontro com o médico que a salvou.

Ana Laura, resgatada pelo Serviço Aeromédico do Samu, pode andar novamente no helicóptero, desta vez como passageira

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

19 − 11 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.
Ao enviar esse comentário você concorda com nossa Política de Privacidade.

Comentários

comentários