Palestras debatem tecnologia e oportunidades de negócios na área de helicópteros

“Tenho certeza que teremos muito trabalho a desenvolver a partir de agora”. Foi assim que o Reitor da UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá, Renato Nunes, abriu as palestras do seminário “O Desenvolvimento do Setor Aeronáutico de Asas Rotativas no Brasil”, promovido pela Universidade em parceria com a Helibras e ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.

Logo após a abertura foi assinado um convênio de cooperação entre Helibras e Unifei, para o desenvolvimento de tecnologia e pesquisa no setor aeronáutico. De acordo com o Reitor, essa assinatura é “fruto de uma convergência entre o governo, que usou seu poder de compra no caso dos helicópteros EC725 para desenvolver a indústria nacional, a Universidade, onde é gerado o conhecimento e a Indústria, representada pela Helibras e fornecedores, que são os verdadeiros produtores de riquezas”.

Eduardo Marson, presidente da Helibras, definiu o convênio como o início de um trabalho. “Essa assinatura não é o final, mas sim o começo de um processo de conhecimento, que estará disponível não só na Helibras, mas para toda a sociedade e para o país, por meio da Unifei.

Palestras

O primeiro painel teve como tema as “Oportunidades, desafios e ambiente de negócios” ligados ao setor de asas rotativas. O Presidente da Helibras abriu a discussão mostrando o atual cenário de mercado no Brasil.

De acordo com Marson, o mercado governamental (segurança pública e defesa civil) é o que apresentará maiores oportunidades à medida que se aproximam a Copa do Mundo e as Olimpíadas. “Hoje, são 130 helicópteros policiais em uso na área da segurança pública, mas, com estes eventos, estimamos que possam chegar a 250 aeronaves”.

O mercado civil também apresenta bons números, com um crescimento de 10% ao ano. Para o mercado militar, no entanto, além dos 50 helicópteros EC725 já vendidos, a oportunidade é o mercado de manutenção e modernizações. Outro segmento em ascensão é o Offshore, em decorrência da exploração do pré sal. Esse setor também será beneficiado com o programa EC725, já que a versão civil deste helicóptero, o EC 225, é um dos modelos mais eficientes para os trabalhos de transporte de funcionários e materiais para as plataformas de exploração, devido ao seu longo alcance, como confirmou Marco Aurélio Balboa, consultor do Centro de Aviação da Petrobras em sua palestra.

A produção de um helicóptero brasileiro, maior curiosidade dos participantes, mostrou que vai beneficiar outras empresas além da Helibras. Um exemplo foi a palestra da Inbra Aerospace, empresa de materiais compostos e blindagem, que mostrou durante sua apresentação, como a organização deve crescer para participar do projeto do EC725 . A empresa será integrada a cadeia de fornecedores do grupo EADS.

Para os interessados em consolidar carreira neste setor, Eduardo Marson avisa: “O mercado está aquecido. Em 2010 tivemos um recorde de produção, com 42 helicópteros e, a partir deste projeto de expansão, a finalização do novo hangar e a transferência de tecnologia, teremos mais espaço para produção e manutenção. Estimamos empregar 1.000 trabalhadores até 2015. Passamos de 290, no ano de 2009 e hoje somos 570. Estamos a caminho.”

Fonte: Helibras.

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia.

    Primeiramente, gostaria de dizer que eu e meu irmão somos ex-alunos da UNIFEI, na época da EFEI. Cursava o meu primeiro semestre de Engenharia de Produção por lá, nos idos de 1999, e pude ver, com meus próprios olhos a pujança e abnegação desta Universidade que me deu bons amigos e meu último ano de convívio diuturno com meu irmão, hoje, Gerente da Camargo Correa em Lavras-MG.

    A vida girou e, hoje, como Capitão do Corpo de Bombeiros Militar em MS, retornarei em Novembro a Itajubá-MG para realizar Ground School em Esquilo B3+, na qualidade de aspirante a piloto de helicóptero pelo meu Estado.

    Essa integração me remete a um excelente saudosismo, somado à certeza da competência na parceria ora firmada.

    FICO A INTEIRA DISPOSIÇÃO DE AMBAS ATRAVÉS DO MEU EMAIL E CONTATOS FUTUROS.

    Abraços.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

1 × um =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários