- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

A Força Aérea Brasileira (FAB) celebra no dia 03 de fevereiro, o dia da Aviação de Asas Rotativas. A data relembra o feito ocorrido em 03 de fevereiro de 1964, quando foi realizado o primeiro resgate em combate pela FAB.

A comemoração desse dia pretende enaltecer os feitos heroicos dos então 1º Ten Av Ércio Braga, 1º Ten Av Milton Naranjo, 3º Sgt João Martins Capela Junior e 3º Sgt Wilibaldo Moreira Santos.

Eles cumpriam uma missão de paz pela Organização das Nações Unidas (ONU) na República do Congo, e utilizando o helicóptero H-19 resgataram tripulantes, missionários e freiras prestes a serem capturados por rebeldes fortemente armados.

Como era o trabalho da FAB no Congo

A história do Congo é marcada por mais de vinte anos de guerra civil e disputa pelo poder entre milícias. Os missionários estavam espalhados em vilas no interior do país assolado pela Guerra Civil. Nos locais, eles ensinavam inglês e matemática para as crianças congolesas. Muitos destes religiosos foram mortos ou conseguiram fugir com a ajuda dos próprios moradores ou dos militares a serviço da ONU.

“O comandante decolava primeiro em um avião. Quando era dado o sinal, os helicópteros chegavam de assalto e pousavam no local escolhido. Às vezes pousávamos e já não havia ninguém. Não dava tempo para esperar os missionários chegarem ou então eles já tinham ido embora”, explicou o agora Brigadeiro do Ar Ércio Braga.

Os dias de missão foram intensos. Os pilotos realizavam dois a três resgates por dia. Os voos eram visuais, à baixa altura, com o suporte da carta de navegação.  A vegetação pouco densa, com árvores de até 20 metros de altura, facilitava a busca dos missionários e de suas famílias, mas deixava os helicópteros vulneráveis aos ataques das tribos da região.

Os nossos militares foram responsáveis pelo salvamento de mais de 100 missionários. O Brigadeiro Braga foi condecorado como herói de guerra pela ONU e homenageado pelo presidente dos Estados Unidos. “Receber estas homenagens foi a minha consagração como piloto de helicóptero na missão da ONU”, afirmou Braga.

A pane no helicóptero H-19 e o resgate dos tripulante e missionários

Naquele dia o então Tenente Aviador Ércio Braga voltava de mais uma missão de resgate de missionários e freiras, quando houve um problema mecânico com o helicóptero H-19 em pleno voo, na região de Katanga, no Sul do Congo.

O pouso forçado ocorreu em um local vulnerável, composto de árvores esparsas e de baixa altura. Em um dos outros helicópteros da Organização das Nações Unidas (ONU) estava o Tenente Aviador Milton Naranjo, que pousou em meio a tiros das tribos rebeldes para realizar o resgate. No final, todos voltaram em segurança, e a ação marcou o Dia da Aviação de Asas Rotativas na FAB.

“No dia resgatamos quatro freiras congolesas de uma vila em Katanga. Na volta, eu vi que vazou o óleo hidráulico e o motor ia parar. Antes que isso pudesse acontecer, eu pousei em um campo aberto. Os rebeldes vinham se aproximando e atiravam. Nós tivemos de abandonar o helicóptero, mas, antes, conseguimos retirar o combustível. Se o helicóptero explodisse, pessoas poderiam morrer”, conta Ércio Braga.

Em meio à tensão do resgate, os Sargentos João Martins Capela Junior e Wilibaldo Santos, de arma em punho,  davam cobertura à tripulação e aos resgatados. A poeira levantada com a aterrissagem castigava a visão dos militares, mas a garra e a vontade de que tudo desse certo foi maior. Todos saíram ilesos.

Dia da Aviação de Asas Rotativas da FAB

Essa missão real de Busca e Salvamento em Combate cunhou esta data como o Dia da Aviação de Asas Rotativas da FAB, por seu legado de bravura, desprendimento e espírito guerreiro, marcas indeléveis dessa Aviação.

A Força Aérea Brasileira possui uma página especial contando essa história. Para saber mais clique AQUI.

Busca e Salvamento – SAR

No Brasil, o então Ministério da Aeronáutica criou, no fim de 1950, o serviço de Busca e Salvamento em cada Zona Aérea. Uma aeronave Catalina, pertencente, na época, à Base Aérea de Belém, foi colocada à disposição para missões SAR.

Dois eventos foram importantes para a evolução do serviço no país: em 1947, um voo do Correio Aéreo Nacional (CAN) caiu numa área pantanosa de Porto de Moz (PA) e as experiências adquiridas pelos militares que entraram na mata para prestar socorro os levaram a perceber a necessidade de organizar e preparar melhor o trabalho.

Em 1967, cinco sobreviventes foram resgatados 11 dias após a queda do voo FAB 2068, em um C-47 encontrado próximo a Tefé (AM). Nesta ocasião, foram envolvidas 35 aeronaves da FAB e da Força Aérea Americana (USAF), 347 pessoas e mais de mil horas de voo. Um dos resgatados, ao avistar a equipe da FAB, disse a frase que se tornaria um bordão: “eu sabia que vocês viriam!”.

Saiba mais: Conheça a história do C-47 – FAB 2068.

Dia do Piloto de Helicóptero

O Dia do Piloto de Helicóptero é comemorado no dia 24 de fevereiro. A Associação Brasileira de Pilotos de Helicópteros (ABRAPHE) reconhece essa data em homenagem aos heróis que atuaram no salvamento de pessoas do incêndio no edifício Andraus em 1972 na cidade de São Paulo.

Helicóptero Enstron pilotado pelo Comandante Cláudio Finatti sobre o Edifício Andraus.
Helicóptero Enstrom pilotado pelo Comandante Cláudio Finatti sobre o Edifício Andraus.
- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários

comentários