- Anúncio -

Aeromédico do Brasil – O portal Resgate Aeromédico iniciou uma série de entrevistas com os protagonistas do aeromédico brasileiro para conhecer melhor o funcionamento dos operadores aeromédicos públicos e privados.

No Brasil, segundo a ANAC, o serviço aeromédico privado é explorado por cerca de 39 empresas de táxi-aéreo. Nesse setor há também operadores públicos. Os Corpo de Bombeiros Militares, Polícias Militares, Polícias Civis, Polícia Rodoviária Federal e Secretarias de Segurança Pública realizam atividades de resgate e transporte aeromédico. Em muitos Estados essas unidades são integradas.

Dessa vez vamos falar sobre a Chefia Especial Aérea de Segurança Pública (CAESP) de Alagoas. O Major BM Diego Mendonça é atualmente o responsável pela chefia do CAESP. Trata-se de um operador público que realiza operações de busca e salvamento, operações aeromédicas, apoio a Defesa Civil, transporte de órgãos e de pessoal e também operações policiais.

Cel BM André - Cmt Geral do CBMAL
Cel BM André – Cmt Geral do CBMAL

Como possuem um helicóptero dedicado ao aeromédico vamos saber mais sobre o serviço. Conversamos com o Coronel BM André Alessandro Madeiro de Oliveira, Comandante Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas.

O Coronel BM André tem cursos na área de resgate e emergências médicas e defesa civil, mas foi na área de operações aéreas que focou sua carreira, iniciando sua especialização em 2001 e exerceu o cargo de chefe especial aéreo de segurança pública (CAESP) de Alagoas.

RA: Quais aeronaves são utilizadas no aeromédico de Alagoas?

Cel André: Exclusivamente no socorro utilizamos um helicóptero esquilo AS350B3e (Falcão 05) que opera com um piloto, um tripulante Bombeiro Militar, um médico e um enfermeiro, ambos do Serviço Atendimento Móvel Urgência (SAMU). Dois outros helicópteros da chefia prestam apoio eventual em resgates. Os helicópteros pertencem a Secretaria de Segurança Pública. No total são cinco helicópteros. Três helicópteros esquilos AS350B3 locados, (a locação inclui seguro, combustível, manutenção e apoio solo), um helicóptero AS350B2 próprio utilizado para operações noturnas e um helicóptero AW119Ke Koala próprio para transporte.

Helicópteros esquilos AS350B3. Um fica baseado em Maceió e outro numa base avançada no município de Arapiraca.

RA: Como é a seleção dos pilotos e tripulantes?

Cel André: Em breve lançaremos edital no Corpo de Bombeiros para seleção de 4 novos pilotos e 14 tripulantes operacionais. Atualmente temos cinco pilotos do Corpo de Bombeiros, seis da Polícia Militar e quatro da Polícia Civil. Somente os comandantes mais experientes voam no aeromédico. Nesse serviço somente os cinco tripulantes operacionais bombeiros voam. Todos os tripulantes operacionais foram selecionados em concurso e há 28 em atividade. Os médicos e enfermeiros do SAMU são selecionados pela Secretaria de Saúde de Alagoas e passam por treinamento no CAESP para integrar a tripulação aeromédica.

RA: Como é feita a regulação do serviço aeromédico em Alagoas?

Cel André: O Serviço Aeromédico em Alagoas é regulado mediante acionamento do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas através do Centro Integrado de Segurança Pública e pelo Médico Regulador do SAMU. O chamado de emergência pode entrar pelo 193 do Corpo de Bombeiros, pelo 192 do SAMU ou por ambos. A Secretaria de Saúde possui um página explicando como funciona o SAMU 192: atendimento pré-hospitalar móvel realizado por aeromédico.

RA: No Estado de Alagoas existem algum hospital com heliponto preparado para receber uma vítima transportada de helicóptero?

Cel André:  Não há hospital em Alagoas com heliponto preparado para receber helicópteros. Nós transportamos a maioria das vítimas para o Hospital Geral do Estado (HGE) em Maceió ou para o Hospital de Emergência do Agreste em Arapiraca. Atualmente o HGE dispõe de 338 leitos, sendo 41 de UTI e é separado por áreas: Área Vermelha, destinada a pacientes graves; Área Amarela, pacientes em observação; Área Azul, destinada a pacientes menos graves e a Área Verde, destinada aos pacientes internados. O Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, informou que aumentará seus leitos de 40 para 118 e a UTI passará para 21. O Hospital Metropolitano de Maceió está em fase final de construção e deve ser inaugurado até o meio do ano. Esse hospital terá heliponto homologado.

Projeto Hospital Metropolitano de Alagoas. Imagem Seinfra.

RA: Possuem convênio com o SAMU?

Cel André:  Em Alagoas o serviço aeromédico possui um Acordo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Segurança Pública e a Secretaria de Estado da Saúde para operacionalizar o serviço. A Secretaria de Estado da Saúde realiza a locação da aeronave, disponibiliza os profissionais de saúde e equipamentos médicos. Cabe ao Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, através da Secretaria de Segurança Pública, disponibilizar os pilotos, tripulantes e equipamentos de salvamento e resgate.

RA: Pretendem ampliar a frota de aeronaves?

Cel André: Sim, com a aquisição de um avião para transporte aeromédico de pacientes e órgãos.

RA: Pretendem ampliar o serviço?

Cel André: Sim, colocar o serviço aeromédico no município de Arapiraca e a inclusão na frota de um avião para transporte pacientes e de órgãos.

RA: Onde fica a base de operações?

Cel André: Temos um Base em Maceió que atua exclusivamente do resgate aeromédico. A outra Base fica em Arapiraca, onde sua atuação principal é o serviço policial. Eventualmente realizam apoio no socorro aeromédico.

Samu Aeromédico socorre duas crianças no interior de Alagoas

RA: Quais equipamentos aeromédicos possuem na aeronave, pretendem adquirir algo específico, qual?

Cel André: Possuímos na aeronave oxímetro de pulso; respirador / ventilador Oxilog Dragster 5000; aspirador; desfibrilador cilindro com umidificador e equipamentos de imobilização. Estamos em processo de aquisição de uma incubadora para transporte neonatal. Além desses possuímos equipamentos de salvamento aquático (nadadeiras e flutuadores); salvamento veicular (ferramenta combinada, correntes, serra sabre e alavanca Hulligan) e salvamento em altura (mosquetões, freios 8, cordas, cadeirinhas, triângulo de resgate e maca envelope).

RA: Vocês fazem treinamento de CRM ou algum voltado para a segurança das operações?

Cel André: Sim, realizamos com o apoio do SERIPA II treinamento anual de CRM. Possuímos também uma Plataforma de Treinamento em Maceió para as tripulações do SAMU Aeromédico e do Serviço Aéreo Militar da Secretaria de Segurança Pública (SSP).

RA: Vocês voam sempre com dois pilotos no aeromédico, porque?

Cel André: Sim, voamos com apenas um piloto no comando do helicóptero em virtude da aeronave estar configurada para transporte aeromédico de pacientes. Nossos pilotos possuem larga experiência e o esquilo AS350B3e possui homologação para voar single pilot com segurança em missões aeromédicas.

Caso sua organização ou empresa queira participar do Aeromédico do Brasil, basta enviar um e-mail para contato@evoluigi.com.br.
- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários