Aldeão é morto pelas pás do rotor de um helicóptero após briga durante resgate no Nepal

Nepal – Um homem nepalês morreu durante uma operação de resgate em uma aldeia remota nos Himalaias depois de habitantes locais e turistas brigarem por lugares em um helicóptero de evacuação.

Cerca de 150 turistas israelenses ficaram presos em aldeias no Vale Langtang desde 25 de abril quando o terremoto devastador atingiu o país e foram resgatados por vários helicópteros no dia 29 de abril.

israel
Missão de resgate: Cerca de 150 israelenses foram resgatados de uma vila remota nos Himalaias após várias brigas com os habitantes locais (a foto é de um helicóptero de resgate no Monte Everest).

As testemunhas disseram que os aldeões exigiram ser resgatados antes dos turistas e ameaçaram os israelenses antes de embarcarem no helicóptero.

Também houve relatos de que os aldeões e os turistas atacaram fisicamente uns aos outros durante a operação de resgate e que um piloto de helicóptero foi feito refém pelos habitantes locais.

‘Os aldeões exigiram que fossem os primeiros a ser evacuados, ameaçaram os israelenses e apressaram o helicóptero,’ disse Yediot Achronot do Israeli Daily, segundo o Times of Israel.

‘Um homem nepalês morreu quando a sua cabeça foi atingida pelas pás do rotor. Em outro caso, vários aldeões agarraram o co-piloto do helicóptero e fizeram-no refém para garantir que fossem evacuados.’

israel1
Os meios de comunicação israelenses declararam que os aldeões e os turistas brigavam por espaços nos helicópteros e presenciaram um homem nepalês morrer após ser atingido pelas pás do rotor. Também houve relatos de que um piloto de helicóptero foi feito refém pelos habitantes locais.

Os turistas israelenses conseguiram ser finalmente evacuados depois de irem a pé para um local alternativo. Israel forneceu a maior equipe médica de resgate após o tremor no Vale Kathmandu, enviando mais de 250 médicos, paramédicos e outros especialistas, informaram os meios de comunicação israelenses.

Segundo as autoridades da União Europeia, aproximadamente 9.000 cidadãos europeus ainda estão no Nepal depois do terremoto. Mais de 1.000 deles não foram encontrados ainda.

O terremoto desalojou cerca de 2.8 milhões de nepaleses. Acredita-se que mais de 70.000 casas foram destruídas e outras 530.000 ficaram danificadas em 39 dos 75 distritos do país.

O número oficial de mortos no Nepal chegou a 5.489,  sem incluir as 19 pessoas mortas no Monte Everest — cinco alpinistas estrangeiros e 14 guias nepaleses da comunidade Sherpa — quando o tremor causou uma avalanche no acampamento de base.

O grupo de ajuda de emergência Oxfam disse que o congestionamento no aeroporto de Kathmandu, o bloqueio das estradas, a falta de combustível e os terrenos difíceis estão desacelerando o ritmo da entrega de ajuda.

O grupo disse que está procurando maneiras de transportar por terra as mercadorias essenciais vindas da Índia. Também informaram que um outro desafio é a obtenção de ajuda nas aldeias remotas nas montanhas, muitas das quais estão conectadas com o mundo exterior através de uma única estrada que deve estar bloqueada agora por deslizamentos de terra.

Fonte: Daily Mail Australia/ Reportagem: Sara Malm

 

 

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

14 − 12 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários