- Anúncio -

EUA – O Comando de Aviação da Polícia Estadual de Maryland, EUA, completou no dia 19 de março o 50º aniversário da primeira missão civil aeromédica realizada no estado e o início de um sistema médico de emergência integrado cujos membros ajudaram a salvar dezenas de milhares de vidas desde então.

Em 19 de março de 1970, às 11h20, o “Helicopter 108” da Polícia Estadual de Maryland, tripulado pelo piloto Gary Moore e pelo médico Paul Benson, foi acionado para Baltimore Beltway e Falls Road para socorrer uma vítima de acidente de trânsito. No helicóptero Bell Jet Ranger transportaram o motorista ferido para o Center for the Study of Trauma, conhecido hoje como o University of Maryland R Adams Cowley Shock Trauma Center.

“Demorou cerca de três semanas antes de recebermos nossa primeira ligação, porque era tudo novo em todo o estado”, disse o tenente-coronel aposentado Gary Moore. “Naquela manhã de 1970, Paul [Benson] e eu eramos a equipe de serviço e pousamos na estrada, pegamos o paciente e o levamos ao centro de trauma. Aquele paciente sobreviveu.

A missão daquela manhã de quinta-feira, meio século atrás, significou a expansão do serviço aeromédico na Polícia Estadual de Maryland. A missão marcou a primeira vez que uma agência civil transportou em um helicóptero um paciente gravemente ferido de uma cena de acidente. Isso nunca havia sido feito antes fora de um cenário militar.

Nos últimos 50 anos, os membros do Comando de Aviação da Polícia Estadual de Maryland completaram mais de 180.000 missões e transportaram mais de 150.000 pacientes. Atualmente, o Comando de Aviação possui uma frota de 10 helicópteros AgustaWestland AW 139, distribuídos em bases nos condados de Allegany, Frederick, Baltimore, Prince George, St. Mary’s, Talbot e Wicomico.

O perfil da missão médica da Divisão de Aviação da Polícia Estadual de Maryland começou em novembro de 1960 com um helicóptero Hiller UH12E. A inconfundível aeronave, popularizada pela série de TV M*A*S*H, foi usada principalmente para missões policiais. No entanto, um perfil de “suporte médico” logo se estabeleceu e iniciou a ideia de evacuação aeromédica para os cidadãos de Maryland.

No início o helicóptero Hiller transportava vítimas de parada cardiorrespiratória e gestantes após tempestades de neve incapacitantes ou outras emergências. Os resgates foram realizados com essa aeronave já em 1966, mas não sob um sistema completo de atendimento aeromédico.

O Dr. R Adams Cowley, ex-cirurgião do Exército dos EUA conhecido por ser o pai do conceito “Hora de Ouro” em medicina de trauma, foi a força motriz por trás dessa expansão na área de evacuação aeromédica (medevac). O Dr. Cowley, fundador do University of Maryland Shock Trauma Center, em Baltimore, acreditava que o transporte médico de pacientes gravemente feridos salvaria vidas. Ele colaborou com o piloto da polícia estadual de Maryland, Robert Wolfe, e outras pessoas para fechar a lacuna mais significativa no tratamento de traumas.

Dr. Cowley estava certo. Desde o início dos anos 70, o Centro de Traumatismos da Universidade de Maryland e o sistema integrado de serviços médicos de emergência de Maryland se transformaram em uma rede de centros de trauma, hospitais especializados e serviços médicos que lhes deram reputação mundial como líderes em tratamento de trauma.

O Departamento substituiu sua frota de Jet Rangers no final dos anos 80, com a aquisição dos helicópteros AS365 Dauphin, que forneceram aprimoramentos adicionais para a frota, como aumento de velocidade, helicóptero biturbina e espaço adicional para acomodar dois pacientes. Em 2013, o programa foi aprimorado novamente quando a frota fez a transição para os helicópteros AgustaWestland AW139.

Equipamentos e medidas de segurança adicionais foram incorporados, juntamente com a adição de um segundo piloto e um segundo médico à tripulação de voo padrão. A missão de 24 horas por dia do Comando de Aviação da Polícia Estadual de Maryland cresceu para incluir resgate aéreo, apoio à segurança nacional, busca e resgate e avaliação de desastres.

O piloto civil em comando Craig Thompson testemunhou a evolução do programa de medevac da polícia estadual de Maryland durante seus 46 anos no Departamento. Ainda piloto do Comando de Aviação, Thompson voou nos três modelos de helicópteros aeromédicos.

“O Jet Ranger foi divertido de pilotar, mas não certificado IFR (regras de voo por instrumentos), embora tenhamos voado com menos tempo VFR (regras de voo visual) o tempo todo”, disse Thompson. “O Dauphin era rápido e voava instrumento. O AW139 foi um grande salto do Dauphin. Nossa aeronave atual é muito maior, mais rápida e muito mais capaz.”

Durante a comemoração realizaram o reconhecimento de membros do Comando de Aviação da Polícia Estadual de Maryland que perderam suas vidas no cumprimento da missão em acidentes envolvendo um avião e quatro helicópteros. Esses acidentes mataram nove policiais (state troopers) e um técnico de emergência médica.

Um vídeo em homenagem aos membros do Comando de Aviação e a todos os socorristas dedicados que fazem parte do sistema de resposta a emergências de Maryland foi produzido pelo piloto da polícia estadual Hae Kim.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários