Conselho Regional de Medicina pede que ANAC verifique condições de avião do SAMU/PI

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

Piauí – Após o pouso forçado de um avião do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu) Aéreo, o Conselho Regional de Medicina (CRM) vai solicitar da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), informações a respeito das condições técnicas da aeronave. A entidade médica diz que a medida visa preservar a vida de pacientes dos profissionais que trabalham no Samu.

CRM pede que Anac verifique condições de avião do Samu/PI

O avião Samu fez um pouso forçado após uma pane mecânica na quarta-feira (4). A aeronave havia saído de Picos, Sul do Piauí, com um paciente e voava com destino a Teresina, mas um problema foi detectado e o piloto pousou em uma pista na cidade de Valença. Ninguém ficou ferido.

Segundo o CRM, O médico que estava na aeronave, juntamente com uma enfermeira, o piloto, o copiloto e o paciente, informou que houve falha na aeronave e que há relatos de outras equipes que trabalham no serviço de que já ocorreram outros problemas técnicos durante missões de resgate.

A equipe médica relatou ao CRM-PI que ficou com medo e um dos médicos urgentistas que estava no plantão disse que temeu pela sua vida e que já pensa em deixar a função. Diante do ocorrido a aeronave ficou sem funcionar por 24 horas. As informações da coordenação do serviço é que o atendimento já está normatizado.

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou que o piloto detectou uma leve perda de potência ao passar por Ipiranga do Piauí e, por prudência, ele optou por descer numa pista de pouso mais próxima, no caso, a de Valença, acionando imediatamente à central para que a aeronave reserva fosse deslocada para aquele município.

Ainda de acordo com a Sesapi, todas as providências foram tomadas pela empresa prestadora de serviço, inclusive quanto ao reforço na manutenção das aeronaves. O órgão informou ainda que a manutenção é feita em oficina homologada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), de acordo com o programa de manutenção do fabricante da aeronave.

O coordenador médico do SAMU, Dr. Gerardo Mesquita, informou que o Samu Aéreo já realizou 360 missões, e que o pouso forçado foi a primeira ocorrência de falha com o avião.

Saiba um pouco mais sobre o Samu Aéreo do Piauí

Criado para prestar socorro de urgência a pacientes que necessitem ser deslocados para centros de média e alta complexidade, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) Aéreo do Piauí realizou, nos cinco primeiros meses deste ano, 65 atendimentos. O número é cerca de 26% maior do que o registrado em 2015, quando 48 atendimentos foram realizados até o mês de maio.

Estrutura da aeronave do Samu Aéreo( Foto: Thiago Amaral)

A equipe formada por sete enfermeiros e sete médicos, que trabalham em sistema de revezamento, dispõe de uma aeronave equipada com incubadora, sonar, colares cervicais, talas de imobilização, desfibrilador, ventilador mecânico com monitor cardíaco e outros equipamentos, dependendo do tipo de atendimento que irá prestar.

“Considerando que nosso estado é longilíneo, onde as distâncias são consideráveis, o Samu aéreo funciona como importante meio de transporte para pacientes que estão em situação de risco de vida. Nós iniciamos com quantidade de voos diminuídas, mas hoje nós realizamos voos todos os dias, e, por muitas vezes, com dois atendimentos diários”, destaca a coordenadora-geral do Samu Piauí, Christianne Rocha.

As principais chamadas são relacionadas a casos de recém-nascidos que precisam de acompanhamento em UTI neonatal; acidentes de trânsito com vítimas diagnosticadas com politraumatismo; gestantes de risco; vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto do miocárdio.

Os municípios que registraram o maior número de requerimento do serviço neste período foram Parnaíba, Bom Jesus, Picos, São Raimundo Nonato e Floriano, todos com destino a Teresina.

A solicitação dos serviços do Samu Aéreo é feita pelo médico da regulação alocado em um dos hospitais regionais do Estado. É ele o responsável por realizar a avaliação e requerer, caso haja necessidade e condições, o transporte do paciente.

Atuando desde 2013, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Aéreo do Piauí funciona no período diurno, manhã e tarde.

Fonte: G1/PI e Secretaria de Saúde do Piauí.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários