Suíça – Pouco antes das 13h do dia 23 de março de 2015, quando a equipe da Rega iniciava o almoço, um alarme soa e são acionados para uma missão aeromédica. O Hospital Cantonal de Baden solicita a transferência de uma mulher de 35 anos para o Hospital Universitário em Basileia (Basel).

A paciente tinha diagnóstico de dissecção aórtica, considerada uma emergência absoluta. A tripulação faz o trajeto mais rápido até o helicóptero EC145. Enquanto o piloto Alex Itin inicia a partida do helicóptero e Adrian Ferrari monitora o processo do lado de fora da máquina, o médico de emergência Christian Möhrlen já estuda os dados clínicos da paciente. O voo para Baden leva doze minutos.

“No voo para o hospital, discutimos o diagnóstico e tentamos nos preparar da melhor forma para a nossa paciente”, explica Adrian Ferrari. “Nesse caso, percebemos a idade da paciente. A dissecção da aorta ocorre principalmente em pessoas de 50 a 70 anos. Uma jovem paciente com uma doença tão grave é incomum”, complementou. O voo para Baden leva doze minutos e o transporte é realizado com sucesso.

O que aconteceu

Às 10 horas, Cindy Essl teve uma consulta com seu fisioterapeuta em Würenlos, Aargau, pois havia sofrido fratura no ombro após acidente de esqui durante suas férias de inverno na Áustria. Quando Cindy se levanta após a terapia, ela desmaia, sentindo muita dor no pescoço, tórax, costas e estômago. O fisioterapeuta suspeita que o ombro está quebrado novamente ou um nervo está comprimido.

Ele reage imediatamente, coloca sua paciente em seu carro e a leva algumas centenas de metros para o consultório de seu médico de família. Vai direto para a sala de tratamento. O médico de família examina Cindy e ao mesmo tempo avisa o marido. Como médico de família, ele conhece sua paciente, seu histórico familiar e isso provavelmente salvaria a vida dela.

Como as doenças cardíacas são mais comuns em sua família, o médico sabia que a mãe de Cindy teve um ataque cardíaco e dois tios morreram de doença cardíaca. Quando encontra uma grande diferença na medição da pressão arterial nas metades esquerda e direita do corpo, ele chama uma ambulância. Cindy Essl é levada ao Hospital Cantonal de Baden para confirmar o diagnóstico suspeito.

Após uma ultrassonografia do coração, fica claro que a aorta está rompida. A velocidade é essencial. É importante encontrar um lugar para Cindy Essl em um centro cardíaco especializado o mais rápido possível. Ela precisava de uma cirurgia urgente.

Vida Salva

Depois de tudo, parte dessa experiência traumática é a visita a Rega. Cindy Essl está ciente de que não apenas a tripulação, mas também o rápido transporte de helicóptero para um hospital adequado foram fundamentais para sua recuperação.

Em sua visita ao helicóptero na Base, Cindy Essl relembrou do momento do embarque. “Alex, antes de decolarmos, você me disse que teríamos um bom tempo de voo, quanto tempo seria e que eu deveria gostar. E eu com tanto medo de voar”, disse Cindy.

“Devo minha vida ao fato de que muitas pessoas fizeram a coisa certa, na hora certa. Do fisioterapeuta ao médico de família, ao ambulatório, ao hospital em Baden com tratamento inicial, a Rega e ao Hospital Universitário de Basileia (Basel). A interação entre os vários parceiros do sistema de saúde suíço funcionou perfeitamente”, disse Cindy Essl.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

treze − doze =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários