Nasa derruba helicóptero para estudar segurança de voo – assista ao vídeo

- Anúncio -
Print Friendly, PDF & Email

A agência espacial americana (Nasa) derrubou nesta quarta-feira (28) um antigo helicóptero da Marinha, com 13,7 metros de comprimento, para estudar a segurança de suas aeronaves. O teste foi feito no Centro de Pesquisa Langley, na cidade de Hampton, Virgínia, em parceria com a Marinha, o Exército, a Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA e a empresa privada Conax Florida Corporation.

Helicóptero colide contra o chão para avaliar segurança Foto: Nasa Langley Research Center/Reprodução.

Ao colidir o helicóptero contra o chão, após ser preso por cabos e cair de uma altura de 9 metros, a 48 km/h, o objetivo dos engenheiros da Nasa é produzir novos veículos cada vez mais seguros, eficientes, leves, silenciosos, ecológicos e capazes de transportar uma maior quantidade de passageiros e cargas.

O espaço onde a aeronave caiu é chamado de LandIR, tem 122 metros de comprimento por 73 metros de altura, e é usado há quase 50 anos. Foi nesse mesmo lugar onde o astronauta Neil Armstrong e seus colegas da missão Apollo 11 ensaiaram o pouso na Lua, o que ocorreu em 20 de julho de 1969.

Veja o vídeo a partir do minuto 13:33.

Desde então, o local se tornou uma instalação para testes de colisões, na qual os engenheiros da Nasa simulam acidentes aéreos. Recentemente, a área também ganhou uma grande piscina, onde se fazem testes com a cápsula espacial Orion, que vai substituir a antiga geração de ônibus espaciais e deverá aterrissar na água ao voltar para a Terra.

Para o teste desta quarta, a fuselagem do helicóptero foi toda equipada com computadores de bordo, instrumentos para medir aceleração e quase 40 câmeras para gravar a “reação” de 13 bonecos – amarrados no interior da aeronave – antes, durante e após o impacto.

Do lado de fora, foram montadas câmeras para capturar outras imagens da queda. E a aeronave foi pintada de branco com bolinhas pretas, em que cada ponto representa um conjunto diferente de dados.

Essas câmeras internas e externas são de alta velocidade, pois conseguem registrar até 500 imagens por segundo, o que permite que os cientistas vejam exatamente como a fuselagem se dobrou, rachou e entrou em colapso com a colisão – à qual seria possível sobreviver, segundo os pesquisadores.

Treze bonecos foram dispostos no interior da aeronave para análise do impacto Foto: Nasa Langley/David C. Bowman.

Além disso, foi instalado o sensor de movimento Kinect, do videogame Xbox, da Microsoft, como um instrumento adicional para rastrear as ações dos bonecos.

Em 2014, a Nasa prevê um novo teste de colisão de um helicóptero semelhante, com uma tecnologia ainda maior.

Fonte: Aviation News

- Anúncio -

1 COMENTÁRIO

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários