Pará – Em seus 17 anos de criação, diversos profissionais integraram e integram o Grupamento Aéreo de Segurança Pública (GRAESP) do Pará, nas funções de pilotos, copilotos, mecânicos, operadores aerotáticos e outras funções importantes para o desempenho da atividade.

E de forma pioneira, recentemente, a 2ª Tenente Suzane Patrícia Gomes da Silva de 35 anos, 12 deles dedicados à Polícia Militar do Pará, passou a integrar o quadro de servidores do GRAESP como a primeira mulher na função de piloto.

A Tenente Suzane é filha de policiais militares e em 2008 ingressou PM como soldado. Trabalhou em serviços administrativos, operacionais e com projetos junto às Escolas da PM. Foi durante a operação do Círio de 2009 que a policial sentiu o desejo de servir o GRAESP. Na época, enquanto a imagem de Nossa Senhora de Nazaré chegava à Basílica, o Grupamento fazia a homenagem com uma “chuva de pétalas”.

Tenente Suzane é a primeira mulher a integrar o Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará. Foto: Alex Ribeiro – Ag. Pará.

Em 2013, Suzane foi aprovada no Curso de Formação de Oficias. Após um período atuando na função, buscou qualificação junto à Escola Internacional de Aviação Civil, com duração de quatro meses. Com a habilitação da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ela pode, finalmente, realizar seu primeiro voo no GRAESP.

Para a Tenente Suzane, “o principal desafio nosso (mulher) é conseguir manter a nossa sensibilidade. Eu sou do universo masculino, a maioria dos amigos são homens, então a mulher traz organização e sensibilidade, seja no questionamento ou posicionamento, as mulheres na instituição trazem isso, buscam fornecer qualidade de vida nos pequenos detalhes”, afirmou Suzane, acrescentado “é necessário ser mãe, mulher e profissional e dar conta desses três ambientes. Se não está bem em um, não estará bem no outro também”, afirmou a tenente que é casada e mãe de um menino.

Atualmente, 100 homens compõem o grupamento aéreo, o que nem de longe assusta Suzane. “É importante a visão masculina, sim, feminina, sim, os dois caminhando juntos. É a troca de incentivo, de material, orientação, e isso é muito satisfatório. Meu entendimento é objetivo: o mérito, a dedicação, a disciplina e esforço são pessoais, mas o sucesso é uma conquista coletiva, ninguém vence sozinho”, relatou a Tenente.

“Desde quando cheguei aqui recebi ajuda no estudo, um apoio, o oferecimento de um livro. Respeito muito os que aqui estão. É gratificante ter o seu espaço, compreender o espaço deles e conseguir alegrar, produzir. Chamo todos de meninos”, brincou.

A conquista alcançada agora já é inspiração para tantas outras mulheres, nas diversas áreas. “Todas as mulheres que se propõem a fazer algo ainda não realizado acabam se tornando referência. Mas prefiro me ver apenas como uma ‘chave’, que abriu uma porta onde muitas outras colegas, podem e precisam ocupar. O quanto de desafios que a mulher enfrenta desde quando nasce carregado de um patriarcado, que estabelece o que pode e não pode. As dificuldades existem em outras profissões, em todo o mundo. Então é necessário ter cautela, determinação para ocupar o espaço de forma técnica”, pontuou.

Tenente Suzane é a primeira mulher a integrar o Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará. Foto: Alex Ribeiro – Ag. Pará.

E se depender dela, a busca por conhecimento continuará sendo uma constante. “Desejo me dedicar ainda mais, me qualificar, quanto mais eu estudo, mais eu quero estudar, querendo melhorar cada vez mais porque se trata de um universo muito amplo que nós temos que minimizar os riscos”, explicou.

Primeiro voo

O dia mais aguardado aconteceu para o município de Capanema e teve duração de 50 minutos. A Tenente Suzane foi a copiloto do avião Guardião 08. Durante o percurso houve o revezamento de comando. A troca é necessária até a carga horária estipulada ser alcançada para estar apta a se tornar comandante. A primeira viagem foi considerada ótima, destaca a piloto.

“Foi excelente. É um momento de celebração. Agora o meu desejo é de contribuir levando saúde à população realizando o transporte de vacinas da COVID-19”, e acrescenta “Sempre há tempo de resgatar sonhos. Estudem. Dediquem-se. Acreditem em vocês. O Sucesso e o fracasso é uma escolha pessoal”, finalizou.

Do primeiro voo até hoje, a missão mais nobre desenvolvida foi a de levar vida e esperança à população. ” A maior missão da minha vida está sendo entregar vacina para a população paraense porque dessa forma eu me sinto uma cidadã. Eu levo saúde para as pessoas. Hoje essa é a minha maior missão. É a missão da minha vida”, definiu a piloto.

Tenente Suzane é a primeira mulher a integrar o Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará. Foto: Alex Ribeiro – Ag. Pará.

GRAESP em números

Em 2020, o trabalho resultou em 2.743 horas de voo. Com a chegada da Pandemia, a maior parte das ações foram centralizadas no apoio às ações de combate ao COVID-19, cerca de 200 voos cobriram todas as regiões do Pará no transporte de álcool em gel, equipamentos de proteção individual (EPIs), medicamentos, respiradores e de profissionais de saúde.

Em 2021, o trabalho permanece. Desde janeiro deste ano, as equipes realizam a distribuição de vacinas para todos os 13 Centros Regionais de Saúde.  Em apenas três meses (janeiro a março), o GRAESP já voou 808 horas.

Tenente Suzane é a primeira mulher a integrar o Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará. Foto: Alex Ribeiro – Ag. Pará.

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

quatro × cinco =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários