Paraná terá mais 2.500 policiais e helicóptero para socorro médico

A segurança dos paranaenses receberá reforço de 2.500 policiais. Até outubro, 1.100 policiais militares e 400 bombeiros, nomeados no fim do mês passado pelo governador Orlando Pessuti, terminam o treinamento e começam a trabalhar nas ruas. Nesse prazo, mais 500 PMs e 500 policiais civis, aprovados em concurso, serão chamados para os primeiros exames. Até o fim do ano, o Paraná terá contratado, por concurso público, mais de 8 mil policiais civis, militares e delegados, desde 2003. 

“Além da capital, existem regiões e cidades importantes no interior com índices de criminalidade preocupante como Londrina, Foz do Iguaçu, Cascavel, Maringá e o Sudoeste do Estado, que vão receber o contingente policial”, explica o secretário da Segurança Pública, coronel Aramis Linhares Serpa.

Parte dos policiais convocados participam do Curso de Formação de Soldados, oferecido pelo Centro de Formação de Praças da Academia Policial Militar do Guatupê, em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba), e parte em batalhões no interior. O curso tem duração de 11 meses, entre aulas teóricas e práticas, mas, a partir do terceiro mês, a atividade operacional supervisionada pode ser intercalada com as disciplinas complementares à formação profissional.

Serpa diz que os outros 1 mil policiais (500 militares e 500 civis) devem ser chamados nos próximos dois meses para avaliações física, psicológica e médica. Os policiais militares convocados vão atuar exclusivamente em Curitiba e região metropolitana. Os civis vão assumir as funções de investigador, escrivão e papiloscopista.

AMPLIAÇÃO – Mais 4,8 mil policiais devem ser integrados ao efetivo da Polícia Militar, com a aprovação de projeto de lei pela Assembleia Legislativa, que cria novas companhias policiais no Estado, um batalhão especializado em eventos e transforma a Companhia de Choque, em Batalhão de Operações Especiais.

Ainda neste semestre, os 16 novos delegados da Polícia Civil, que passam por treinamento, devem se juntar aos 314 que atuam em diversas regiões do Estado. “Temos sedes de comarcas que não têm delegado efetivo ou delegados que têm de se deslocar de uma cidade a outra para fazer o atendimento”, afirma Serpa.

HELICÓPTERO – O Paraná terá um helicóptero exclusivo para o transporte de feridos e pacientes em estado grave, que será adquirido por R$ 8 milhões pelo convênio assinado com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). Serpa cita que outros dois helicópteros para policiamento estão à disposição das polícias Civil e Militar.

O Paraná era um dos poucos Estados não possuía equipamentos como esses, de acordo com o secretário. “Os helicópteros são importantes instrumentos para ajudar na segurança pública. Um veículo ou uma pessoa, identificado no sobrevoo, não consegue fugir. Além disso, a aeronave facilita o atendimento médico em acidentes graves”, afirma Serpa.

O secretário conta que, além do policiamento aéreo de Curitiba e região metropolitana, as aeronaves são usadas para patrulhamento no combate a crimes ambientais no Estado, ações policiais e para o transporte imediato de feridos que necessitam de atendimento médico, durante a Operação Verão.


Fonte: Agência de Notícias do Estado do Paraná.


2 COMENTÁRIOS

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

5 × quatro =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários