- Anúncio -

Paraná – A seleção dos militares estaduais para exercer a função de piloto de helicóptero e de avião no Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) do Paraná começa com uma seleção interna. Para piloto de avião a trajetória é semelhante. Um edital de concurso de helicóptero ou de avião é lançado e são oferecidas vagas para oficiais (Tenentes) da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

No concurso de helicóptero, os primeiros oficiais selecionados realizaram o curso de Piloto Privado (PPH) e Piloto Comercial de Helicóptero (PCH) em Escolas de Aviação contratadas pelo Estado através de licitação. Recentemente, a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) homologou os cursos de PPH e PCH da Escola de Aviação do BPMOA. A formação prática é feita no helicóptero Robinson R-44 do BPMOA.

Depois de passar na seleção, o tenente inicia os cursos teóricos e práticos. Depois de pouco mais de um ano ingressará na escala de voo como 2° Piloto em Comando (copiloto) e Coordenador de Operações Aéreas, checado PCH e checado no helicóptero que irá voar, que pode ser o próprio R-44, o EC130B4 ou o Bell 206 JetRanger. Vai depender da Base que irá trabalhar.

O BPMOA possui também dois aviões, um Cessna 182 Skylane e um Beechcraft Baron. Os pilotos de avião seguem trajetória bem semelhante, porém o tempo de formação pode ser diferente. Para ser considerado comandante de avião monomotor, o oficial precisará de cerca de dois anos como copiloto e para avião multimotor IFR passará de 5 anos de voo.

O piloto checado ao ingressar na escala de voo inicia também plano de ascensão que é dividido em cinco fases. Em cada fase o piloto precisa cumprir requisitos de tempo, hora de voo, instruções (para helicópteros deverá realizar procedimentos de emergência, Rapel, Mcguire, Helocasting, helibalde, embarque e desembarque a baixa altura, tiro embarcado, etc), até estar apto a realizar a última etapa.

Na quinta fase o piloto deverá realizar 10 missões (10 horas de voo) supervisionadas por um comande de aeronave. Ele será avaliado na função de Comandante. Passada essa fase ele é submetido a um Conselho de Voo que dirá se está apto ou não a ser Comandante de Aeronave do BPMOA. O Conselho de Voo é constituído pelos Comandantes de Aeronave do BPMOA e presidido pelo Comandante da Unidade.

Em média, o copiloto terá 600 horas de voo e 4 anos na função para assumir o comando. Considerando o tempo de formação o Tenente terá cerca de cinco anos de experiência de voo. A 1º Tenente Maitê Baldan é a primeira formanda da Escola de Aviação da PM e será a primeira mulher a pilotar as aeronaves do BPMOA.

Mas enquanto a Ten Baldan inicia sua trajetória como piloto de helicóptero da Unidade, na sexta-feira (15), na Base Leste do BPMOA (Curitiba), o  1° Tenente Maikon Venancio Correa passou a Comandante de Aeronave.

1° Tenente Maikon Venancio Correa passou a Comandante de Aeronave.

O Oficial deixou de exercer as funções de Coordenador de Operações Aéreas e de 2° Piloto em Comando (copiloto) para assumir a responsabilidade de comandar os helicópteros EC130B4 do Batalhão.

O novo Comandante é 1° Tenente do Corpo de Bombeiros da PMPR e ingressou nas fileiras da corporação em 2008, através do Curso de Formação de Oficiais, sendo que sua transferência para o BPMOA ocorreu em 2015.

O oficial tem licença de PCH e possui CHT de Helicóptero Monomotor a Turbina (HMNT) e Helicóptero Monomotor Convencional (HMNC), além de possuir endosso para operar aeronaves do tipo BH06 e EC30.

No BPMOA, como a seleção é distinta, o oficial será piloto de helicóptero ou piloto de avião. Pilotará as aeronaves da PM do Paraná em missões de resgate e transporte aeromédico, transporte de órgãos, salvamentos, operações de Defesa Civil, combate a incêndios florestais e missões policiais.

- Anúncio -

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários