PM reforçará policiamento nas áreas rurais em Sorocaba / SP

A Polícia Militar do Estado de São Paulo deve iniciar operações específicas e, também, ampliar o policiamento preventivo-ostensivo nas áreas rurais, locais em que se tem registrado aumento de furtos e roubos a fazendas, chácaras e sítios. Sorocaba e os municípios da região estão inseridos nesse eixo de ação da Polícia Militar. Além disso, a partir de maio do ano que vem Sorocaba poderá contar com o helicóptero Águia que auxiliará nas operações e no patrulhamento diário. As declarações são do comandante-geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, coronel Álvaro Batista Camilo, de 48 anos, em coletiva concedida aos veículos de comunicação de Sorocaba, na sala de reuniões do Comando de Policiamento de Área (CPI-7). Acompanhou a entrevista o comandante do CPI-7, o coronel Silvério Leme Filho.

A visita do coronel Camilo, ontem pela manhã, ao CPI-7, foi mais para conhecer as instalações, o refeitório dos oficiais (onde almoçou) e para divulgar as ações que a corporação pretende executar junto com à comunidade. Empossado em 15 de abril deste ano, o oficial afirmou que a união entre a polícia e a comunidade é fundamental para a redução da criminalidade: É preciso uma polícia que privilegie a proteção da cidadania e que trabalhe junto com a comunidade. Confirmou o início das operações do Águia em maio de 2010, a incorporação de mais 2,5 mil policiais efetivos e de mais mil temporários neste ano. Para o ano que vem, dois editais serão publicados para a incorporação de outros 3 mil policiais – 2,5 mil efetivos e 500 temporários. Conforme publicado pelo Cruzeiro do Sul, na edição de 27 de junho deste ano, o governo do Estado comprará quatro helicópteros que custarão R$ 23,8 milhões, ou seja, cada um custará aos cofres públicos R$ 5,9 milhões. O coronel confirmou os valores e disse que o hangar, que deve começar a ser construído neste segundo semestre no aeroporto de Sorocaba Bertram Luiz Leupolz, dispenderá cerca de R$ 1,2 milhão.

O objetivo do coronel é colocar mais policiais na rua e reduzir o número nos setores administrativos. Na minha gestão, já foram para a rua 10 mil policiais que estavam internos. Nos setores administrativos, estamos usando a tecnologia, a racionalização de processos internos, entre outras ações. Queremos a polícia em mais contato com a sociedade, declara o oficial, que é formado em administração e MBA em Gestão de Tecnologia da Informação, curso concluído em 2006. Ele admitiu haver defasagem do efetivo policial, cujo número não é divulgado por questões estratégicas de segurança pública.

Sobre as operações do helicóptero modelo Esquilo AS 350 B2, o coronel Camilo disse que ficará a critério do comando local. Disse que o comando tem a autonomia de definir voos periódicos de patrulhamento em pontos considerados críticos por conta da criminalidade: O ideal sempre é investirmos no trabalho de prevenção. Conforme explica, o redimensionamento do efetivo policial, iniciado este ano, leva em conta quatro itens: área, população, criminalidade e as peculiaridades de cada região (como a existência de escolas e presídios, por exemplo).

Nascido em Ferraz de Vasconcelos, o oficial reside atualmente em Mairiporã. Ingressou na Polícia Militar em 1979 e dois anos depois tornava-se aspirante a oficial e coronel em 2007. Em 30 anos de carreira, o coronel Camilo orgulha-se das 13 condecorações recebidas durante os seus préstimos à corporação, entre elas a Medalha das Forças de Paz das Nações Unidas.


Fonte:  Jornal Cruzeiro do Sul – Sorocaba/SP, edição de 21/07/2009

Veja a notícia completa aqui


Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

três × 5 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários