Bope começa a utilizar VANT em operações especiais no Rio – Vídeo

O Bope (Batalhão de Operações Especiais) começará a utilizar em breve VANT em ações táticas e operacionais no Rio de Janeiro. Três “vants” (veículos aéreos não tripulados) foram desenvolvidos pelo Instituto Militar de Engenharia (IME) e cedidos à divisão de elite da Polícia Militar, que poderá aproveitar a nova tecnologia, por exemplo, para monitoramento remoto no decorrer de incursões em favelas da capital fluminense.

Orçado em R$ 180 mil, o projeto contempla ainda a Defesa Civil Estadual, a Artilharia Antiaérea do Exército e o próprio IME – cada um recebeu um VANT personalizado. Uma sétima aeronave está sendo finalizada e será entregue ao Corpo de Bombeiros para operações na região serrana do Estado, que sofre anualmente com problemas decorrentes das chuvas.

Os vants contam com tecnologia integralmente nacional, segundo o governo do Estado, e será aperfeiçoado nos próximos anos. Até novembro, de acordo a financiadora do projeto, a Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro), outros vants devem ser cedidos gratuitamente às forças de segurança pública e de Defesa Civil do Rio.

“Temos vants demonstradores de tecnologia, frutos de pesquisas de pós-graduação e de trabalhos de graduação, construídos por cérebros brasileiros, com recursos nacionais e tecnologia livre de restrições internacionais de comércio. Nossa busca é pela soberania tecnológica”, afirmou o gerente do projeto, Jacy Montenegro Magalhães Neto.

De acordo com o governo estadual, os miniaviões contam com um sistema de zoom ótico capaz de filmar uma placa de carro, por exemplo, a cerca de 500 metros de altura. Em razão de seu tamanho reduzido, ele não pode ser visto a mais de 100 metros de altura, o que impede que seja alvejado por arma de fogo e destruído.

Os futuros operadores dos vants, entre os quais os policiais do Bope, receberão treinamento técnico do IME e aulas de pilotagem. A tecnologia dos primeiros protótipos do projeto já foi utilizada pelo IME anteriormente durante operações em Teresópolis e Nova Friburgo, na região serrana, durante os trabalhos de resgate após as enchentes de 2011 –mais de 900 pessoas morreram na tragédia.

Assista à reportagem do R7:

Fonte: UOL Noticias / R7.

10 COMENTÁRIOS

  1. Meus amigos Montenegro e Arlindo Bastos, é com muita satisfação que recebo essa notícia.

    Sei do esforço e dedicação dos dois para a realização desse sonho.

    Para mim é uma alegria vê-los prosperando. Que felicidade.

    Montenegro, conheci poucas pessoas com tamanha inteligência, abnegação, coragem e humildade. Você possui todas essas virtudes.

    Arlindo, obrigado por ter me oferecido um milésimo de segundo de participação nessa longa caminhada de vocês na consagração do VANT.

    O Brasil agradece.

    Do amigo

    Maj PM Beni
    PMESP – GRPAe

  2. Uma grande vantagem sem sombra de dúvida, o medo de perder um helicóptero com toda sua tripulação fica descatada – acho que todas SSPs deveriam adotar ou tentar adotar esse modelo – como é o caso do Estado de Alagoas, os custos ficará mto melhor que levar várias aeronaves para esse ou aqule Estado que precisar.
    Parabéns ao IME – que acreditou nesse projeto.

  3. Meu AMIGO Beni,
    entrei há pouco no seu website para te deixar um recado, pois há muito não nos falamos (tenho estado mais na bancada e no campo do que perto de um micro), e tive a maravilhosa surpresa de encontrar suas palavras a nosso respeito. Obrigado, de coração!

    Gostaria que vc soubesse que é uma grande honra para mim receber um elogio seu. Você sempre foi referência para mim: como pessoa, como militar, como brasileiro, como PAI e como profissional dedicado e extremamente competente. Jamais fiz segredo disso, e não há conversa sobre nossa “guerra” em que eu não cite seu nome. (“Individual”).

    Com relação ao motivo do meu contato: estamos há 4 meses da entrega formal dos VANTs, e prestação de contas à FAPERJ. Construímos 3 “Morcegos” para o BOPE (promessa inicial do projeto). Devido ao íntimo contato estabelecido junto ao DGDEC/RJ, por conta da Operação Serrana e da Operação 3 Picos, resolvemos tentar esticar o orçamento e conseguimos construir um VANT para o CBMERJ/DGDEC/CEstAD-RJ. Adicionalmente, repotencializamos um alvo-aéreo da EsACosAAe e montamos um “chupacabra” para ficar no IME e continuar o desenvolvimento em 2013 (se os Maias estiverem errados).

    Sendo assim, nos próximos 4 meses teremos diversas missões de EV tipo “vôo do cliente”, com a participação de militares Policiais e Bombeiros. Em outubro/12 a EsACosAAe abrirá, por nossa (IME) solicitação, uma turma de 10 alunos para treinamento dos futuros pilotos de VANT, no Curso de Piloto de Alvo-Aéreo (http://www.esacosaae.ensino.eb.br/).

    O treinamento técnico de operação e Mnt 1º Esc será dado no IME. Gostaria de contar com sua indispensável presença em algumas dessas missões, se possível. A ferramenta VANT pertence ao Piloto Policial, e vc é minha referência. Na oportunidade, vou enviar as datas e a promessa de ajustá-las para quando vc possa comparecer. Tenho tentado deixar claro, junto à imprensa e junto a meus superiores, que o VANT deve ser mais um botão no manche do Piloto Policial.

    Uma ferramenta de Rec Avç, uma chance de poupar a vida de um Piloto. JAMAIS um substituto. Seria ridículo tentar sequer sugerir a substituição do fator-humano pela máquina-burra. Infelizmente, os tempos disponibilizados na mídia televisiva e espaços na mídia impressa não são suficientemente largos ou mesmo julgados importantes para uma explicação técnica capaz de sensibilizar o público em relação a isso.

    Escrevo para oferecer, o que faço por seu intermédio, mais uma ferramenta ao trabalho dos Pilotos Policiais. É o trabalho de 12 gerações de alunos, de um Servidor-Civil das FFAA e de um engenheiro-militar que tem uma Bandeira-do-Brasil hasteada na janela do quarto do filho, desde que o gurí nasceu.

    Se eu tive alguma coragem, foi a de divulgar o resultado e a de permitir a comparação com a promessa. Confio no projeto, e julgo que a guerra é vencida quando o bom-combate é lutado, independente do resultado final.

    Mas nós que vestimos fardas estamos aqui para isso mesmo. O que nos faz acordarmos felizes e dormirmos tranquilos é a certeza de termos oferecido ao País a nossa ousadia, toda nossa capacidade de perder horas de sono, a distância da família (que reza para que voltemos vivos da próxima missão…), todo nosso conhecimento e, finalmente, nossa capacidade única, como seres humanos, de colocarmos o dom da Vida a serviço de algo muito maior do que nós: Nosso amado BRASIL, e todos os brasileiros.

    E que essa seja a forma de deixarmos uma boa história a ser contada por nossos filhos, aos nossos netos.

    Forte abraço!
    Como dizem os “Caveiras”, “FORÇA E HONRA”!
    Como dizem os Bombeiros, “ESTAMOS JUNTOS”!

    Maj PM Beni … Obrigado. Você também é responsável por esse resultado.
    Brasil acima de tudo!!
    Maj EB Montenegro.

    • Prezado Montenegro, essa sua fé moverá muitas montanhas e quando falarem sobre a história do VANT no Brasil seu nome será lembrado. O novo é algo que incomoda as pessoas e a resistência é algo natural. Quando Bartolomeu de Gusmão criou o balão, Santos Dumont o avião, Barão de Coubertin a Olimpíada na era moderna, todos sofreram resistências, até mesmo quando as polícias no Brasil resolveram operar helicópteros. Tudo isso passou e a história está posta frente ao mundo tecnológico em que vivemos e a “integração dos povos”.

      A regulamentação ainda é uma resistência, mas ela será vencida, tenho certeza. Isso acontecerá por causa de pessoas como você e como o Arlindo Bastos. A ignorância frente ao novo cega a inteligência e amordaça a sabedoria, mas o tempo é o senhor da razão.

      Costuramos uma proposta de regulamento sobre a Aviação de Estado na ANAC e no extinto CONAV que possuia uma subparte sobre o emprego do VANT na segurança pública, a qual você e o Arlindo, além de outros mestres, participaram na elaboração.

      Ela foi um pedido e necessidade da própria ANAC e pelo que me foi dito e li essa subparte foi suprimida pelas pessoas que analisam essa proposta na SENASP/MJ. Além disso excluíram outros órgãos da proposta, como o IBAMA, Receita Federal, Detrans/DF, Meio Ambiente, etc e excluíram a subparte sobre sistema de visão noturna, entre outras coisas.

      Essa proposta deve ser encaminhada em breve a ANAC e ai saberemos, efetivamente, o que foi alterado ou excluído. Mas como sou um ferrenho defensor da boa discussão e dos princípios democráticos, falaremos sobre isso mais para frente. Espero que esteja errado e falando um impropério.

      O VANT é e ponto e o sistema de visão noturna também, aliás, o OVN já está consagrado na aviação policial mundial, menos no Brasil….ainda.

      Por isso não desista jamais, pois essas ações obrigam as pessoas a pensar e encontrar uma solução razoável para o novo.

      Além de tudo isso, é o Brasil produzindo seu VANT, o Exército Brasileiro, mais uma vez, adiante, como fez com a construção do simulador do helicóptero AS350.

      Que Deus sempre ilumine seu caminho.

      Eduardo Beni

  4. INICIATIVAS COMO ESSA, DEMONSTRAM QUE TEMOS CAPACIDADE DE DESENVOLVER SOLUÇÕES BRASILEIRAS PARA DEFESA,SEGURANÇA, DEFESA CIVIL E OUTROS SEGMENTOS.
    PARA ISTO, É PRECISO INVESTIMENTOS NA FORMAÇÃO DE ENGENHEIROS E TÉCNICOS, PROVOCAR PROJETOS QUE PROPORCIONEM TRANSFERENCIA DE TECNOLOGIA, DE MODO A DESENVOLVER O MERCADO AERONAUTICO. E A LEGISLAÇÃO PRECISA ACOMPANHAR A TECNOLOGIA.

    PARABÉNS PELO PROJETO! SUCESSO !

    CMTE AYRES-PLAH 0552

  5. “Sonhos são a expressão da alma, são intensos desejos geradores de motivação;
    É o que nos dá asas para voar, que nos deixa sem chão;
    É a nossa motivação pessoal, um verdadeiro mergulho no solo fértil da fé;
    É o que faz a vida se tornar interessante,
    É um convite ao infinito céu!
    Não pare de sonhar, nunca desista da magia dos sonhos!
    Sonhos são imensos desejos que gritam no íntimo humano, procurando uma oportunidade para se concretizar.
    Algumas pessoas afundaram-os no solo do esquecimento; outras, como eu, anseiam intensamente pela realização dos mesmos.
    O sonho torna-se real quando você empenha-se a torná-lo real”.
    Michelle Ramos.

    Com o texto acima, exemplifico o trabalho efetuado pelo Major Montenegro e pelo funcionário civil especialista em eletrônica João, pessoas que sempre me incentivaram nas pesquisas, conto com os mesmos sempre que eu preciso tirar alguma dúvida operacional, sem falar no Cap Koppe, que serve na Escola de Artilharia Anti Aérea do EB, outro entusiasta do emprego militar dos VANT, além do Maj PMESP Beni, que para mim é atualmente a maior autoridade em legislação aérea do Brasil, que por sinal sempre me apoiou em meus artigos; tenho o maior prazer em te-los no meu círculo de amizade mais próximos. Tudo isto está acontecendo graças a vcs, que pensam nas vidas que poderão ser poupadas com estas ferramentas, continuem fazendo ser possível acreditar em um país melhor para o nosso povo.

    VANT, BRASIL!
    Arlindo Bastos. Cap PMBA.

  6. Primeiramente, gostaria de parabenizar a todos que fizeram e fazem parte deste projeto.
    Gostaria de saber como sera a utilização do espaço aéreo (NOTAM?)e a coordenação com as unidades aéreas (PM / PC / CBM) do Estado.

    Cap Ximendes
    BAvOp – PMDF

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

1 + um =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários