A serviço da vida… CIOPAer/AC completa 2 anos.

Com a meta de diminuir o isolamento das comunidades mais distantes da capital acreana e de proporcionar apoio operacional às ações na área de segurança pública e de meio ambiente, além de atuar na promoção de cidadania, o helicóptero Harpia 01, conhecido como Comandante João Donato, completa dois anos de operação. São mil horas de voo e resultados positivos que comprovam a eficácia e eficiência do Centro de Operações Aéreas do Acre (Ciopaer/AC).

A aeronave tipo AS350 é equipada com modernos sistemas de navegação, rádio multifrequência, mapas eletrônicos e computador de bordo, o que garante a execução de vários tipos de serviços. Já foram realizadas mais de 50 operações conjuntas e mais de 40 ações de salvamentos em diversas comunidades isoladas ou de difícil acesso.

Com uma equipe de 21 homens, todos treinados pela Força Aérea Nacional, a tripulação conta com dois comandantes, quatro pilotos formados e três em formação, e também dois mecânicos estão sendo treinados para compor a equipe. “Se me perguntarem quem da tripulação é o mais importante? Vou responder que não tem, porque todos são essenciais para as operações, é realmente um trabalho de equipe”, destacou o comandante Carlos Augusto da Silva Negreiros.

Do alto do helicóptero, é possível avistar cada rua e suas residências com precisão. E com uma velocidade que pode atingir até 246 km/h, pode-se chegar de uma ponta à outra de Rio Branco em questão de minutos. Além disso, a velocidade do equipamento permite que os deslocamentos dentro do Estado também sejam feitos em pouco tempo.

O Ciopaer possui um contato direto com o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), para acionar o patrulhamento ou ajudar em ocorrências. E também mantém comunicação com a Secretaria de Saúde e demais órgãos de governo. “O helicóptero é uma ferramenta incrível, capaz de proporcionar a cobertura de áreas de difícil acesso de forma espetacular”, completa o piloto Cleyton de Oliveira Almeida.

Uso do helicóptero garante o salvamento de vidas no Acre

No dia 14 de setembro de 2009, um capotamento de carro na BR-364 havia deixado três pessoas feridas, entre elas uma em estado grave. Nesse período, os tripulantes do Ciopaer estavam em treinamento e fazia parte do processo a realização de uma ação simulada de resgate de vítimas de acidentes. A aula prática já tinha data e local para acontecer, mas a fatalidade fez com que a operação fosse realizada com pacientes reais.

Esse foi o cenário do primeiro salvamento realizado com o apoio do Helicóptero João Donato. Duas pessoas foram imediatamente deslocadas das proximidades de Manoel Urbano para Rio Branco. Três horas após o acidente, as vítimas mais graves – os biólogos Filogônio Ribeiro e Giuliana Santi – já estavam sendo atendidas na UTI do Hospital Geral das Clínicas de Rio Branco.

“Agradeço a Deus por ter colocado em meu caminho o major Josiley Gonçalves e o capitão Vieira Lins, o major Albuquerque e o capitão Negreiros, o secretário de Saúde Oswaldo Leal, a enfermeira Eneida e demais plantonistas do Pronto Socorro”, disse Santi.

Meses depois parte da tripulação foi recebida pela vítima e por seus familiares. O reencontro da bióloga com a equipe foi marcado por fortes emoções. “Todos os dias da minha vida rezarei por vocês. Não consigo deixar de me emocionar todas as vezes que ouço o barulho do motor do helicóptero”, disse ela aos pilotos.

Assim como a bióloga, dezenas de outras famílias podem comemorar o fato de terem suas vidas salvas pela rapidez no atendimento médico proporcionado pelo transporte de helicóptero.

Outro salvamento que marcou a tripulação foi realizado em maio de 2010. O chamado partiu de Santa Rosa, quando a gestante Marlenira da Silva Nascimento teve complicações durante o parto. O salvamento foi crucial para o nascimento de Mayara, já que, segundo a equipe da Maternidade Bárbara Heliodora, a parturiente não teria resistido à viagem de quatro dias de barco até Sena Madureira.

“Vibro a cada dia por poder trabalhar salvando vidas. É gratificante saber que contribuímos com as pessoas e o que nosso trabalho vale a pena. Tenho orgulho de fazer parte desta equipe”, disse o major Cleyton.

As histórias de salvamento são muitas, mas todas carregam a mesma emblemática: o tempo gasto de deslocamento foi essencial e fez a diferença entre a vida e morte de pessoas. “A vida não tem preço. Ações como essas demonstram a necessidade do equipamento de segurança do Estado”, enfatiza o comandante Sérgio da Silva Alburquerque.

O caso mais recente de salvamento é de um morador do Seringal Sossego, Raimundo Moura da Silva. A colocação fica na divisa do Acre com o Amazonas. O percurso, que é de 90 quilômetros, seria feito de carro pelo ramal Espinhara, e o restante, 20 quilômetros, teria que ser feito a pé pela mata. “Esse foi primeiro resgate aeromédico realizado completamente pela tripulação acreana, que demonstra a independência operacional do Centro. A operação foi um sucesso – além de salvar uma vida, fica a sensação de dever cumprido”, comemora o major Alburquerque, após seu primeiro voo como comandante de aeronaves.

Ainda relacionado ao apoio às ações de saúde, o helicóptero Comandante João Donato foi essencial para a realização do Saúde Itinerante em comunidades isoladas. O transporte da equipe médica e de equipamentos foi feito pela aeronave. Os pacientes com quadros clínicos mais graves também foram levados até hospitais pelo helicóptero.

Helicóptero João Donato faz a diferença nas operações de patrulhamento

O Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) tem contato direto com o Ciopaer, o que tem garantido o uso do helicóptero para o patrulhamento ou ajuda em ocorrências. Já foram realizadas, por exemplo, operações de patrulhamento preventivo na região da Baixada e do Taquari, com o objetivo de reduzir os índices de criminalidade.  As ações fazem parte do planejamento estratégico do governo do Estado, através da Polícia Militar. O fator surpresa é o reforço do patrulhamento aéreo com a participação do helicóptero Comandante João Donato, do Centro Integrado de Operações Policiais Aéreas.

“Essa ferramenta é imponente. Permite visão privilegiada e deixa as pessoas que estão cometendo atos delituosos vulneráveis”, enfatizou o major Negreiros. Ele lembra a operação em que foi acionado pelo Ciosp e a tripulação do Ciopaer atuou em conjunto com as forças de segurança por terra, que foi determinante para a prisão de criminosos. “Quatro criminosos renderam e assaltaram um taxista. Fomos acionados e em conjunto com o Bope conseguimos encontrar os marginais, que estavam armados”, disse o major.

O coordenador do Ciopaer, Alberto da Paixão Nascimento, destaca que o uso do helicóptero em operações de segurança tem garantido maior eficiência nas ações. “O campo de visão que essa ferramenta proporciona é incrível. Do alto podemos ver com exatidão pelo menos um quilômetro. Somado a isso podemos pousar em qualquer espaço, o que torna a fiscalização, patrulhamento e perseguição a criminosos mais eficientes”, disse. Em conjunto com as forças de segurança já foram realizadas operações de perseguição a assaltantes, traficantes e sequestradores.

Tripulação caminha para autonomia de operação e tem trabalho reconhecido nacionalmente

Depois de dois anos de treinamentos e da parceria com a Força Nacional de Segurança Pública, o Centro Integrado de Operações Aéreas está passando pelo processo de transição para adquirir o status de autonomia de operação. Na última semana de julho esteve no Acre um piloto examinador da Seção de Aviação Policial (SAP) para a realização de checagem dos procedimentos técnicos dos pilotos da segurança pública do Estado.

Na ocasião, o comandante Farias Junior, examinador credenciado pelo Departamento da Força Nacional de Segurança Pública (DFNSP), destacou a progressão técnica e gradual do Ciopaer rumo a sua independência de atuação. “Nossa tripulação recebe treinamentos constantemente para que possamos estar preparados para todos os tipos de missão. Nós gostamos do que fazemos. E principalmente desempenhamos nossas funções com amor”, disse o major Albuquerque.

Os oficiais foram submetidos a dois tipos de exames. O major Albuquerque e o tenente Samir, que já são pilotos comerciais, realizaram o check de voo na aeronave tipo AS50 (helicóptero João Donato), e o major Cleyton foi submetido ao check de Piloto Comercial.

A tripulação é composta por militares, civis e homens do Corpo de Bombeiros. Uma equipe multifuncional é capaz de atuar nas mais diversas operações. E recentemente teve o trabalho reconhecido nacionalmente. Parte da tripulação do Ciopaer do Acre integrou a equipe de 350 policiais e homens das três Forças Armadas da operação Gênesis, que teve como objetivo o combate ao tráfico de armas e de drogas nos 983 quilômetros de fronteira do Mato Grosso com a Bolívia.

“Esta foi a maior operação contra os cartéis de drogas já realizada na fronteira. E a participação da equipe do Acre mostra o reconhecimento do trabalho que vem sendo realizado pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública”, destacou o major e piloto Negreiros.

Mato Grosso foi o primeiro Estado do país a receber esse tipo de operação integrada e abriu precedente para que operações como essa sejam levadas para os outros dez Estados fronteiriços do Brasil, e o Acre será um dos próximos a realizar esse tipo de intervenção.

Quem foi o Comandante João Donato?

A história da aviação no Acre começou em maio de 1936, quando o primeiro hidroavião  aquatissou nas águas no rio Acre, no estião do Bagé, hoje onde se localiza o bairro Taquari. De acordo com o historiador Marcos Vinícius, neste período o Acre tinha como interventor o paulista Manoel Martiniano Prado, que proclamou que o Acre entraria para a modernidade nas asas dos aviões.

Na época, cada família acreana recebeu de presente pequenos lotes de terra de 20 metros para desmatar, destocar, aterrar e aplainar, para que fosse construído o primeiro campo de aviação, que veio a ser o Aeroporto Salgado Filho. A primeira pessoa do Acre a ser habilitada para pilotar aviões foi o ex-proprietário do Seringal Amapá, e coronel aposentado da aeronáutica, coronel João Donato. O fato de ser pioneiro na história da aviação acreana fez com que o helicóptero recebesse seu nome como forma de homenagem.


Fonte/Fotos: Viviane Teixeira – Agência de Notícias do Acre


8 COMENTÁRIOS

  1. Parabenizo à todos os militares que compõem o Centro de Operações Aéreas do Acre (Ciopaer/AC) em especial aos tripulantes do helicóptero Harpia 01, conhecido como Comandante João Donato, que completa dois anos de operação.
    Fiquei “maravilhado” ao assistir ao vídeo, que demonstra a organização, a disciplina, e acima de tudo a responsabilidade de todos. Parabéns e que estes dois anos de atividades sejam multiplicados por muitos e muitos anos!
    Walter de Moura Vogt – Vice-Presidente do CONSEP de São João Nepomuceno-MG

  2. Meus mais sinceros votos de sucesso ao CIOPAer/AC pelo belo trabalho realizado durante os dois primeiros anos de sua existência.

    Importante ressaltar o imprescindível apoio prestado ao CIOPAer/AC pela FORÇA NACIONAL, que cedeu e ainda cede Comandantes de helicóptero para a unidade (MAJ PMDF Vieira Lins, MAJ PMMT Outo, CAP PMPE Pierre) bem como pelo GTA/MA, que teve a incumbência de formar o primeiro Comandante de helicóptero do CIOPAer/AC, o meu amigo MAJ PMAC NEGREIROS!

    A todos que colaboraram e ainda colaboram com o crescimento do CIOPAer/AC, os meus parabéns e o desejo de que o “João Donato” continue a servir e socorrer a população Acreana por muitos anos.

    Bons voos!

    Cmte Rodrigo Duton – MAJ PMERJ
    Grupamento Aéreo e Marítimo (GAM)

  3. Parabenizações aos colegas e amigos do CIOPAer/AC pela constante evolução operacional e pelos bons serviços prestados a população acreana.

    Bons e seguros voos.

    Abraços a todos.

    Cap PM Thiago Balbi
    Grupamento de Radiopatrulhamento Aéreo da PMAM (GRAER)

  4. Queridos amigos do Acre,

    Fico emocionado e muito orgulhoso de ter participado da origem do serviço aéreo de Segurança Pùblica do estado do Acre. Vi todos nascerem e alçarem vôos cada vez mais longos e hoje se consolida como uma importante Unidade Aérea do Brasil. Não vou citar nomes, mas vou agradecer a todos do estado pela confiança depositada no trabalho que a Força Nacional fez nestes 02 anos de sucesso. Muitos não acreditavam que o Acre tivesse sucesso em suas atividades aéreas, mas eu nunca duvidei do caráter e competência de todos vocês. O CIOPAer do Acre provou aos ditos “grandes” que um estado pequeno, pode desenvolver ações de segurança pública com competência e profissionalismo, e além disso, utilizar equipamentos de alta tecnologia em prol da sociedade e do Brasil Profundo. Hoje o estado do Acre é sim uma referência em Unidade Aérea, que voa à serviço do estado, exerce uma gestão enxuta e otimizada e à exerce com qualidade, profissionalismo e segurança, mesmo na Amazônia. Me orgulho de vocês, sejam sempre assim, simples como a pomba e prudentes como a serpente.

    Aviação de Segurança Pùblica do Brasil – Rumo à excelência

    TC Gonçalves
    Seu amigo

  5. Parabenizo esse valoroso grupamento por mais um ano de vitória contra as advesidades do serviço aéreo na região norte, pois aqui é atípico das demais regiões por conta das distâcias e apoio terrestres que muitas vezes é impossível em uma simples situação de patrulhamento. Tenho acompanhado os trabalhos dos senhores e sinto-me orgulhoso de ter conhecido muitos dos senhores, quando eramos alunos na EDRA,compravando na convivência o compromisso que cada um de vocês tem com o melhor serviço prestado para o povo do Acre. Parabens e fiquem na proteção de Deus a cada acionamento da aeronave.

  6. Senhores, até aqui a caminhada não foi fácil. Nosso vídeo sintetiza momentos de grande alegria e descontração, mas também, é fruto de muito trabalho, treinamento realizado e dedicação integral de todos os membros do CIOPAER. Agradeço a Deus por cada dia, por cada missão, por cada hora voada, pelas vidas salvas, pela vida de cada profissional envolvido. Agradeço ao apoio das pessoas responsáveis por materializar um projeto de governo em realidade: Ex-Sec Seg. Márcia Regina e Sra Solange Firmino (Ex-Coord.- madrinha do CIOPAER), diretamente envolvidas no processo de fazer a aviação no Acre. A FNSP, na pessoa do TC Gonçalves, que deu apoio incondicional em todos os momentos, e em nome do qual agradeço a cada comandante, tripulante e mecanico da FNSP que fez e faz parte desse time CIOPAER/AC. Voar na amazonia por si só já é um gande desafio, fazendo segurança publica, em condição de poucos recursos entaum, torna a missão ainda mais complexa devendo sempre ser bem analisada. A todos que confiaram, nosso muito obrigado. Temos a perfeita percepção de que muito nos falta na caminhada rumo a excelencia, mas não tememos o desafio. Com muita humildade e vontade sigamos em frente.

  7. A VIDA, NOSSO BEM MAIOR ESTÁ EM EXCELENTES MÃOS NO ESTADO DO ACRE! PARABÉNS AOS AMIGOS DO ACRE, MUITOS SALVAMENTOS COM AS BENÇÃOS DE DEUS!!!

  8. Parabens aos nobres Guerreiros do Acre.

    Tive a oportunidade de, recentemente, dividir a cabine de um helicoptero com o Cmte Albuquerque, em missoes de prevencao e repressao a crimes ambientais Ibama.

    Fiquei surpreso por todas as qualidades observadas e constatadas durante a missao.. superaram qq expectativa pois o Cmte Albuquerque parecia ser um integrante de uma organizacao criada ha muito mais tempo, tamanha a desenvoltura.

    Parabens a todos e nao deixem essa chama se apagar.

    Abracos, com respeito e admiracao.
    Basile Julio Cesar
    (um eterno aprendiz)

Escreva um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

16 + 19 =

Comentários que contrariem a lei, a honra e a intimidade serão moderados.

Comentários

comentários